A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Toyota vai leiloar um Supra de “Gran Turismo” na vida real – e por uma boa causa

Você consegue imaginar o quanto seria legal acelerar, no mundo real, um dos carros que mais marcantes do já clássico Gran Turismo? Pois se você tiver a sorte de morar no Reino Unido e dinheiro o bastante para realizar este sonho, esta é uma oportunidade que provavelmente não vai se repetir: a Toyota está leiloando um Supra com pintura da Castrol e motor preparado para render 370 cv. E a causa é nobre.

Se você é da Geração Y, são grandes as chances de ter jogado os primeiros games da franquia Gran Turismo. Deste o primeiro game, de 1997 – quando nove entre dez carros disponíveis eram japoneses –, o Supra com as cores da Castrol é um dos carros mais icônicos. E um dos melhores, também.

Na vida real a equipe TOM’S, que atuava como equipe de fábrica da Toyota no fim da década de 1990, usou o Supra com as cores da Castrol para competir contra rivais do calibre do Nissan Skyline GT-R e do Porsche 911 GT1. O mais incrível é que o motor não era o icônico seis-em-linha biturbo 2JZ, mas sim um quatro-cilindros de dois litros e 16 válvulas turbinado muito semelhante ao do Corolla WRC, preparado para render 480 cv.

Com coração de carro de rali, o TOM’S Supra foi superior a todos os rivais e foi campeão da categoria GTC 500 no Super GT de 1997, com Pedro de la Rosa e Michael Krumm. O sucesso nas pistas refletiu-se em sua reputação no game, e desde então o carro se tornou um dos mais queridos dos fãs da série.

Toyota-Supra-Red-Nose-Day-2015-10

O carro que será leiloado pela Toyota faz parte da coleção da divisão britânica da companhia, e foi criado como homenagem ao Supra campeão nas pistas e lendário nos games. Como base, foi usado um Supra 1996 – um dos últimos a entrar no Reino Unido.

Este sim é equipado com o seis-em-linha de três litros biturbo, que recebeu uma séri de novos componentes (entre eles, um intercooler HKS, mangueiras Samco, filtro de ar e escape de aço inox da Blitz) para entregar por volta de 370 cv – 90 cv a mais que a potência declarada de 280 cv. O único senão é o câmbio, automático de quatro marchas. Não que fôssemos recusar o carro por causa disso, mas uma caixa manual de seis marchas seria mais apropriado, concorda?

Toyota-Supra-Red-Nose-Day-2015-11

 

O carro também recebeu rodas de 19 polegadas da Ace, calçadas em pneus 235/35, e um body kit completo com splitter frontal, saias laterais e uma generosa asa traseira. O interior foi customizado com couro nas cores da Castrol – uma extravagância de gosto duvidoso que só perdoamos pela história do carro – e ganhou sistema de som Kenwood de alta fidelidade com seis alto falantes. Bem… não é exatamente um carro de corrida, embora pareça e certamente soe — e acelere — como um.

Toyota-Supra-Red-Nose-Day-2015-19

O Supra está sendo leiloado no site Pistonheads, e para dar lances basta cadastrar-se e fazer sua oferta. Também está sendo leiloada uma Toyota Picnic – minivan da década de 1990 que fez bastante sucesso no Japão – que recebeu o motor de um Toyota Celica Turbo GT-Four, criado para homologação do carro de rali.

Toyota-Picnic-Turbo-Red-Nose-Day-2015-2

Trata-se de um 2.0 turbo de 210 cv, capaz de levar a Picnic aos 100 km/h em apenas 7,5 segundos. De acordo com a Toyota, a ideia foi do departamento de comunicação da marca no Reino Unido, que achou que seria bom para a imagem da companhia ter um verdadeiro sleeper em forma de minivan.

Toyota-Picnic-Turbo-Red-Nose-Day-2015-16

A Picnic também recebeu suspensão rebaixada, interior de couro vermelho que é a cara de 1996 e embreagem reforçada.

Será possível dar lances nos dois leilões até o dia 13 de março, quando serão anunciados os vencedores. Desejamos, desde já, parabéns ao futuro dono do Supra – já que, para nós, o mais perto que chegaremos do carro emblemático de Gran Turismo será mesmo… em Gran Turismo.

Todo o valor arrecadado no leilão será doado para a organização Comic Relief, fundada em 1985 pelos comediantes Richard Curtis e Lenny Henry e voltada ao amparo de famílias necessitadas na Europa e na África.

 

Matérias relacionadas

Bandeja de fast food é coisa do passado: o negócio agora é drift com PVC nos pneus de trás

Dalmo Hernandes

Este Evo dualcharged  de 800 cv subindo uma montanha vai animar o seu dia

Dalmo Hernandes

Os controversos restomods da Vilner: bom gosto ou cafonice?

Dalmo Hernandes