A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos

Tudo o que já sabemos a respeito do Porsche Taycan

A eletrificação dos carros caminha a passos largos – as fabricantes de alto volume já estão dando início à migração da combustão interna para as baterias, e já existe uma variedade considerável de esportivos e superesportivos elétricos feitos por companhias novas, como a Rimac, e por empresas veteranas, como a Pininfarina. Era questão de tempo até que o mainstream começasse a se render, e agora estamos prestes a conhecer o Porsche Taycan, primeiro modelo 100% elétrico feito pela icônica fabricante de Stuttgart.

Relembrando um pouquinho: o Porsche Taycan tem suas origens no conceito Mission E, apresentado no Salão de Frankfurt de 2015. O nome do carro era uma referência ao compromisso da Porsche com os carros elétricos, e a Porsche o descrevia como sua ideia para um rival para o Tesla Model S. A princípio não falava-se em uma versão de produção mas, considerando que o conceito era totalmente funcional – com dois motores elétricos, mais de 600 cv e autonomia de 500 km – e que seu visual era totalmente plausível, era evidente que ele se tornaria um modelo produzido em série.

A confirmação levou dois anos para chegar – em setembro de 2017, a Porsche anunciou que o Mission E seria produzido em série. O nome Taycan (que vem do turco e significa “cavalo jovem e vigoroso”) foi revelado em junho de 2018. De lá para cá, aumentou a quantidade de flagras do modelo em testes; a própria Porsche já revelou imagens do carro camuflado; e o Taycan até já estabeleceu um novo recorde em Nürburgring Nordschleife – ele se tornou o carro elétrico de quatro portas mais rápido no lendário circuito alemão ao completar uma volta em 7min42s.

À medida em que o tempo passa, fica mais próxima a apresentação do carro em detalhes, sem disfarces – a Porsche marcou a estreia para daqui a seis dias, em 4 de setembro. Serão três eventos simultâneos, na China, no Canadá e na Alemanha, transmitidos para o mundo todo pela internet. Enquanto isso não acontece, decidimos reunir em um só post tudo o que já foi divulgado sobre o carro até agora.

 

Ele terá uma versão perua

Em março de 2018, quando o nome Taycan sequer havia sido revelado, o conceito Mission E deu origem a outro carro: o Mission E Cross Turismo, exibido no Salão de Genebra. Ele lembrava bastante o Panamera Sport Turismo, porém tinha molduras nos para-lamas, suspensão elevada e faróis auxiliares que lembravam um carro de rali – por isso o sobrenome Cross Turismo.

A Porsche afirma que o Mission E Cross Turismo (ainda não foi confirmado o nome Taycan Cross Turismo) será um veículo muito prático, e que ele terá as mesmas especificações básicas do sedã.

 

Ele dividirá sua plataforma com a Audi

O Cross Turismo não será o único modelo derivado do Porsche Taycan. Um dos mais recentes conceitos elétricos da Audi – o e-tron GT Concept, mostrado no Salão de Los Angeles do ano passado – ganhará uma versão de produção no ano que vem. Ela será construída sobre a plataforma do Taycan, chamada J1. A ideia é claramente compartilhar recursos na transição para a eletricidade (o que ajuda a dividir os custos), mas é bem provável que o Taycan seja um carro mais caro e refinado, enquanto o Audi e-tron GT deverá apresentar uma proposta mais agressiva e esportiva.

 

Ele será muito parecido com o conceito por fora…

Por mais que as fotos divulgadas pela Porsche mostrem o carro camuflado, com adesivos disfarçando principalmente os faróis e as lanternas, fica evidente que o a identidade visual e as proporções do conceito Mission E foram preservadas, bem como suas linhas gerais.

As diferenças mais notáveis são tamanho das saias laterais, que são bem menores no protótipo, e o desenho das rodas, que obviamente será mais tradicional. Além disso, a versão de produção terá portas convencionais, em vez das portas suicidas vistas no conceito.

 

… e um pouco menos por dentro

O interior, revelado recentemente por fotos oficiais, ficou consideravelmente mais conservador nas linhas, no entanto há alguns elementos do conceito que são reconhecíveis. O principal deles é, sem dúvida, o cluster de instrumentos digital. Trata-se de uma tela curvada que emula o contorno do quadro do Porsche 911. Assim como no conceito, ela fica posicionada de forma “flutuante” acima da coluna de direção, e é recebe um tratamento anti-reflexo especial para compensar a ausência de uma moldura.

Como vimos há alguns dias, embora não seja tão conceitual quanto no Mission E, o interior do Taycan vai inovar pela possibilidade de receber cinco telas coloridas – além do quadro de instrumentos e das duas telas no console central (uma para o sistema multimídia e outra para os demais comandos do carro), ele poderá vir com uma tela só para o passageiro da frente e outra para os ocupantes do banco de trás. Este, aliás, poderá acomodar três pessoas. No conceito, eram apenas duas.

 

Ele terá pelo menos duas versões – e uma delas vai passar dos 700 cv

É sabido já há algum tempo que a versão “standard” do Porsche Taycan terá cerca de 600 cv, tração nas quatro rodas e capacidade para acelerar até os 100 km/h na casa dos três segundos. No entanto, como noticiamos nesta semana, também haverá uma variante mais forte, chamada preliminarmente de Taycan S ou GTS – há também quem aposte no nome “Taycan Turbo”, mas há quem critique esta possibilidade porque, bem, não há qualquer tipo de turbocompressor no Taycan.

O caso é que, segundo informações obtidas pelos britânicos da revista Autocar, esta versão mais potente terá uma função de overboost que, por cerca de 2,5 segundos, garantirá potência de “bem mais de 700 cv” e pelo menos 103,5 kgfm de torque. Com isto, o Taycan S/GTS/Turbo será capaz de acelerar até os 100 km/h em menos de três segundos, mesmo pesando 2.250 kg. Ambas as versões utilizarão o mesmo conjunto de baterias de 90 kWh.

Isto posto, um relato da revista Car Magazine, também no Reino Unido, fala de outras variantes. Segundo a publicação, o Taycan “básico” deverá ter apenas tração traseira, baterias de 80 kWh e potência entre 325 e 380 cv. Especula-se também a existência de uma versão intermediária chamada Carrera 4S, com baterias de 96 kWh, terá tração nas quatro rodas e potência entre 430 e 490 cv. Ainda de acordo com a revista, uma versão GTS com pelo aliviado, motor mais potente e tração traseira está sendo avaliada, bem como um suposto Taycan “Turbo S” com 730 cv.

 

Ele deverá custar pelo menos US$ 85.000

Embora a Porsche ainda não fale em preços, é consenso na imprensa internacional que o Porsche Taycan deverá custar US$ 85.000 em sua versão mais acessível, o que o coloca ao menos US$ 10.000 acima do Tesla Model S mais barato, e no mesmo patamar do Porsche Panamera. No entanto, acredita-se que as versões mais potentes poderão passar dos US$ 200.000. Para efeito de comparação, o Model S mais caro sai por US$ 133.000.

Matérias relacionadas

BMW X5 Security Plus: um SUV V8 de 450 cv que aguenta tiros de AK-47

Dalmo Hernandes

Polo GTI vs. Golf GTI: quais as diferenças e semelhanças entre eles?

Dalmo Hernandes

Porsche 911 R é um sonho purista com câmbio manual, tração traseira e motor aspirado de 500 cv

Dalmo Hernandes