A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Você só precisa de um minuto para se apaixonar pela Ferrari Challenge Stradale

Setenta segundos, ou um minuto e dez segundos, na verdade. O fato é que os caras do Petrolicious fizeram este vídeo com um dos 1.288 exemplares que existem, e nós vamos abrir esta segunda-feira com ele.

E já avisamos: o ronco é só uma das coisas que fazem da Challenge Stradale um carro tão fantástico.

Produzida entre 1999 e 2005, a Ferrari 360 Modena veio antes da F430, que veio antes da 458 Italia, que veio antes da 488 GTB. Sim, o tempo passa, mas dá para dizer que a 360 envelheceu muito bem — tanto em visual quanto em desempenho. É até meio surpreendente o fato de ela já ter sido lançada há dezesseis anos.

Equipada com um V8 de 3,6 litros, 405 cv a 8.500 rpm e 58 mkgf de torque a 4.750 rpm, a 360 Modena era capaz de chegar aos 100 km/h em 4,2 segundos, com máxima de 304 km/h. E era exatamente este o motor de sua versão de competição, a 360 Modena Challenge, feita para disputar o Ferrari Challenge — categoria monomarca promovida pela própria Scuderia para que um grupo seleto de proprietários pudesse competir com seus carros na pista.

ferrari_348_challenge_2

Você pode até conhecer o Ferrari Challenge, afinal, quase todo novo modelo da marca (especialmente as Ferrari V8) acaba recebendo uma versão de competição nestes moldes. No entanto, o que você talvez não saiba é que esta tradição começou em 1993 com o Ferrari Club da Holanda. Os carros eram equipados com gaiolas de proteção, freios maiores, cintos de competição e tinham a bateria reposicionada para melhorar a distribuição de peso — nenhuma modificação que os tornasse inaptos a rodar nas ruas, ainda que na hora de acelerar fossem colocados pneus slick.

A categoria foi tão popular que, ainda naquele ano, se espalhou por outros países da Europa e, no ano seguinte, atravessou o Atlântico em direção os EUA. Àquela altura, já havia sido desenvolvido um kit pronto que podia ser usado para converter qualquer 348 em uma 348 Challenge. Não demorou para que a Ferrari começasse a apoiar a categoria, e toda Ferrari V8 lançada desde então ganhou sua versão Challenge.

A 360 Modena Challenge, lançada em 2003, foi a primeira a vir preparada pela própria fábrica para competir, e isto permitia modificações mais extensas. Assim, o interior era totalmente removido — não havia rádio, vidros e travas elétricos, isolamento acústico, air bags, ar-condicionado ou mesmo freio de estacionamento — e o exterior recebeu novos para-choques de fibra de carbono, mais leves. O resultado era um carro de 1.169 kg, exatos 180 kg a menos que a versão de rua.

360challenge (1)

O carro tinha bancos concha de fibra de carbono e cintos de competição, gaiola de proteção e um sistema de supressão de incêndio, e o painel recebeu uma tela de LCD que exibia informações em tempo real sobre o funcionamento do carro.

O sistema de suspensão adaptativa do modelo de rua foi trocado por um setup de corrida, com amortecedores ajustáveis, e os freios eram maiores e melhor refrigerados. Por fim, um sistema de escape mais leve e menos restritivo, aliado a uma reprogramação na ECU, elevava sua potência para 426 cv, às mesmas 8.500 rpm.

challenge stradale (3)

Como seu nome diz, a Challenge Stradale é uma versão de rua desta versão de competição, apresentada no mesmo ano. Considerando que o carro de corrida tinha modificações focadas em melhorar a dinâmica do carro aliadas a um aumento marginal na potência, a Challenge Stradale era ainda mais potente, com 426 cv, sendo capaz de acelerar até os 100 km/h em quatro segundos cravados.

challenge stradale (5)

As modificações iam além das vistas na 360 Modena Challenge: além do novo sistema de escape, o carro tinha acelerador mais responsivo, mais feedback na direção e transmissão de seis marchas com trocas eletro-hidráulicas, por aletas atrás do volante. O interior trazia incursões de Alcantara nos revestimentos de porta, no painel e nos bancos, e as janelas laterais eram de acrílico. Bancos de fibra de carbono, opcionais na Modena comum, eram de série na Challenge Stradale.

cs (2)

Agora, como não era um carro de competição, seu peso era um pouco maior do que o da versão de corrida: no total, eram 1.180 kg. Dito isto, sistema de som e subwoofer eram opcionais que adicionavam 30 kg de volta à conta.

A verdade é que todas estas minúcias viram detalhes quando se trata da experiência. E, sendo em essência um carro de rua transformado em carro de corrida e, depois, legalizado para as ruas novamente, a Ferrari Challenge Stradale oferece momentos viscerais ao volante.

Sorte dos 1.288 caras que compraram uma — aliás, as 1.288 unidades da Challenge Stradale que foram produzidas em 2003 e 2004 fazem dela um carro mais raro que a toda-poderosa F40, que teve 1.315 exemplares fabricados. Todos os exemplares de que se tem conhecimento do paradeiro estão listados neste site, incluindo fotos, detalhes sobre equipamentos, histórico e combinações de cores do interior e do exterior.

É o tipo de coisa que só os fãs mais apaixonados fazem. E a Ferrari Challenge Stradale merece os fãs que tem.

challenge stradale (6)

 

 

 

Matérias relacionadas

Como é ser perseguido por um piloto de drift? Este vídeo em primeira pessoa é a resposta

Dalmo Hernandes

Mine’s R34: o lendário Skyline GT-R que é um dos mais rápidos do mundo

Dalmo Hernandes

Hellcat vs. ZL1: as versões mais nervosas do Challenger e do Camaro se enfrentam

Dalmo Hernandes