A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Volkswagen confirma novo SUV no Brasil, Ford Territory já aparece no site oficial, Hennessey dá 1.200 cv ao novo GT500 e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Volkswagen confirma fabricação do T-Sport no Brasil – será lançado em maio de 2020

A Volkswagen confirmou nesta quinta-feira (29) um investimento de 2,9 bilhões em suas fábricas no estado de São Paulo. O anúncio já havia sido feito ao Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté nesta semana, e agora foi divulgado à imprensa. O investimento irá readequar as fábricas paulistas para produzir a nova geração da linha Gol além de um novo SUV compacto.

Ainda não há detalhes sobre o SUV, mas a Volkswagen já divulgou um esboço estilizado com a silhueta do modelo. Aparentemente, ele irá ocupar o lugar deixado pelo CrossFox, que já estava um tanto anacrônico com seu estepe na traseira e foi bem substituído pelo Fox Extreme.

 

A Volkswagen ainda não confirmou o nome, mas acredita-se que ele será batizado T-Sport, seguindo o sistema de nomenclatura dos SUV da marca, todos iniciados pela letra T. Também não há detalhes, mas nos parece evidente que a Volkswagen irá usar o motor 1.0 TSI no modelo. Como ele será menor que o T-Cross, nossa aposta é que a versão de entrada seja equipada com o 1.6 16v MSI e a versão de topo com o 1.0 TSI como o Polo/Virtus. Os preços estimados entre R$ 60.000 e R$ 80.000 reforçam essa ideia. Além disso, esta também deverá ser a opção de motorização dos novos Gol/Voyage/Saveiro, que ganharão uma nova geração baseada na plataforma MQB.

O lançamento do T-Sport está previsto para maio de 2020. Já os novos Gol, Voyage e Saveiro devem aparecer no final daquele ano. (LC)

 

Ford Territory já está no site da fabricante

Já faz quase um ano que a Ford apresentou o Territory no Salão do Automóvel, mas somente agora a fabricante começou a tratá-lo como seu próximo lançamento. O modelo já figura na seção de futuros lançamentos do site oficial da Ford, mas ainda não tem detalhes sobre motorização e preços.

A Ford já anunciou que ele terá um pacote de série generoso com base de recarga de celulares por indução, quadro de instrumentos digital de 10 polegadas integrado à tela do sistema multimídia também com dez polegadas, além de assistências de condução e sistema de comunicação remota.

Apesar de ainda não ter confirmado preços, é certo que ele ficará na faixa dos R$ 120.000 a R$ 140.000, uma vez que será posicionado acima do EcoSport e como concorrente do Jeep Compass, além de diminuir a enorme lacuna de preços — e produtos — que há entre o EcoSport e o Fusion e entre o EcoSport e o Edge, atualmente oferecido somente na versão ST.

Como vimos no Salão do Automóvel, o Territory não compartilha sua base mecânica com nenhum outro modelo Ford atual. Ele foi desenvolvido na China e usa um motor 1.5 turbo de quatro cilindros originado de um projeto Mitsubishi, sem nenhuma relação com o Dragon 1.5 de três cilindros usado como base para o EcoBoost 1.5. (LC)

 

Chefe da BMW M diz que M3 e M5 não terão peruas

A revista britânica Car visitou a divisão M da BMW guiada pelo novo chefe Markus Flasch e revelou alguns planos para o futuro da divisão. Dentre esses planos não consta versões perua do M3 e do M5, Flasch explicou que as peruas teriam boa aceitação em alguns mercados europeus, mas os SUV são mais rentáveis e populares hoje. O executivo usou como exemplo o modelo mais vendido da M em 2018, que foi o X3 M40i.

As únicas peruas a receber o tratamento completo da Motorsport foram as M5 E34 e M5 E61, não existiu perua do M3. A BMW não possui tradição com peruas esportivas como as concorrentes Mercedes-Benz e Audi, que oferecem versões esportivas de suas peruas regularmente desde os anos 90.

Além das peruas, não veremos uma versão M do Z4 tão cedo. O executivo disse que a versão 40i do Z4 já é bastante rápida e não tem sentido ir além disso. As informações reveladas sobre futuros lançamentos da BMW M já eram conhecidas, como a adoção do motor S58 do novo X3M no próximo M3 e o lançamento dos M8, X5M e X6M ainda em 2019. (ER)

 

Subaru está preparando nova geração do WRX e da perua Levorg

A geração atual do Subaru WRX foi lançada em 2014 e ainda é baseado na geração anterior do Impreza. E imprensa japonesa diz que uma nova geração do WRX e da perua Levorg estão a caminho, baseados na plataforma global da Subaru, usada no Impreza e no novo Legacy.

O site japonês BestCarWeb diz que o novo WRX e a Levorg virão com um motor 1.8 turbo inédito de 270 cv, a perua terá também um novo 1.5 turbo de 150 cv como opção de entrada. Para o WRX STI é esperado que o longevo motor EJ seja aposentado, no Japão o WRX STI usa o EJ20 de dois litros enquanto o resto do mundo usa o EJ25, com 2,5 litros de deslocamento.

O site diz que o STI virá com uma versão de 320 cv do FA20, que possuí injeção direta e é usado no WRX e Forester XT desde 2014. Não se sabe ainda se o resto do mundo receberá esse motor 2.0 ou adotará uma variante mais forte do FA24, que é usado no SUV Ascender e nos novos Legacy e Outback.

No Japão o WRX será vendido inicialmente apenas com cambio CVT, o WRX STI deve continuar oferecendo a tradicional transmissão manual. É esperado que conceitos desses carros sejam apresentados no Salão de Tóquio de 2019 e o lançamento da versão final seja em 2020. (ER)

 

Lamborghini vai usar eletrificação para manter V12 aspirado vivo

O chefe do escritório técnico da Lamborghni, Maurizio Reggiani, revelou em entrevista ao site The Drive detalhes sobre o futuro da marca. O fabricante italiano vai apresentar em Frankfurt seu primeiro esportivo com eletrificação em Frankfurt, mas isso não significa um fim para as suas raízes.

Segundo Reggiani a marca é baseada em motores V12 aspirados e a eletrificação vem para ajudar a manter esse tipo de motor vivo, o executivo foi bastante enfático sobre manter a aspiração natura e os doze cilindros. Além de baixar as emissões a eletrificação ajuda no desempenho, podendo compensar pela falta de turbo com preenchimento de torque em baixas rotações.

A tração integral continuará sendo oferecida na marca, podendo receber uma ajuda de motores elétricos para tracionar o eixo dianteiro. O executivo disse também que o Aventador deve continuar em linha por mais alguns anos e tem muito a oferecer. O substituto do Aventador já deve vir com o powertrain híbrido. (ER)

 

Ducati Panigale V4 S é lançada no Brasil e custa R$ 110.000

A Ducati apresentou ontem (29) a nova Ducati Panigale V4 S no Brasil, aproveitando o início do Festival Duas Rodas no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. A nova esportiva é a substituta da 1299 Panigale e terá 50 unidades montadas na Zona Franca de Manaus, custando R$ 109.900.

A maior novidade da moto, que foi lançada no fim de 2019 na Europa, é o motor. Como o nome indica, a Panigale V4 S usa um motor V4 derivado da MotoGP, com 1.103 cm³ de deslocamento, 214 cv a 13.000 rpm e 12,6 kgfm de torque. Com câmbio de seis marchas de embreagem multidisco, o V4 é capaz de levar a nova Panigale até os 307 km/h. Entre os equipamentos disponíveis estão assistente de largada, controle de tração e freios ABS capazes de atuar nas curvas.

A Ducati ainda revelou durante o evento que uma versão naked da Panigale V4 será apresentada em breve na Itália, possivelmente ainda em 2019 – deixando subentendida a intenção de vendê-la no Brasil meses depois. (DH)

 

Honda CBR1000RR Fireblade finalmente chega a 2019 com mudanças inspiradas na MotoGP

Meio atrasada, a Honda finalmente promoveu atualizações à sua esportiva CBR1000RR Fireblade – mudanças que, lá fora, foram feitas no fim de 2018.

A maioria das novidades concentrou-se nos sistemas eletrônicos da Fireblade e, segundo a Honda, são frutos de estudos realizados nas corridas da MotoGP. O sistema de controle de torque HSTC (Honda Selectable Torque Control) foi recalibrado para obter respostas mais ágeis do acelerador, e também para trabalhar de forma independente em relação ao Wheelie Control, o que evita o levantamento exagerado da roda dianteira sob aceleração.

Além disso, os freios ABS foram reprogramados para atuar de forma mais sutil, e o acelerador também foi recalibrado. As mudanças também valem para a Fireblade SP, que utiliza suspensão Öhlins na dianteira e na traseira, com amortecedores ativos. Para a linha 2019, a Honda CBR 1000RR Fireblade sai por R$ 71.390. Já a Fireblade SP tem preço de R$ 81.590. (DH)

 

Volkswagen anuncia nova “shooting brake” que pode ser baseada no Arteon

Foto: Auto Motor und Sport

Apesar da demanda reduzida por peruas entre o público geral, no nicho dos carros de luxo elas parecem resistir. E foi por isso que, quando a VW confirmou o lançamento de uma nova perua para um futuro próximo, todas as suspeitas recaíram sobre uma possível variante do sedã Arteon.

A Volks anunciou, por meio de um press release em seu site alemão, a expansão de suas unidades fabris na cidade de Emden. O plano é preparar a planta para a fabricação de novos modelos elétricos feitos sobre a plataforma modular MEB a partir de 2021. Isto posto, a fabricação do Passat (sedã e perua), do Alltrack e do Arteon continuará normalmente. E foi entre estes veículos que a fabricante incluiu uma nova shootinb brake.

Como o Passat já tem uma versão Variant, e como é praticamente impossível que a Volks coloque no mercado uma nova perua feita do zero, resta o Arteon como mais provável base para a tal shooting brake. Vamos aguardar o Salão de Frankfurt para detectar mais pistas. (DH)

 

Shelby GT500 preparado pela Hennessey passa dos 1.200 cv

Não nos surpreende nem um pouco que, apenas alguns meses após a revelação do novo Shelby GT500, a Hennessey performance já tenha anunciado seu tratamento especial para o muscle car anabolizado.

Com você deve saber a esta altura, o Shelby GT500 será equipado com um V8 supercharged de 5,2 litros, 770 cv e 86,4 kgfm de troque. No entanto, para quem achar pouco, a Hennessey oferecerá três níveis de preparação para o Mustang mais nervoso da história.

Os kits são chamados Venom 850, Venom 1000 e Venom 1200 e, como você já deve ter sacado, os nomes referem-se à potência alcançada (em hp). Ou seja: o Venom 850 produz 862 cv e 100,3 kgfm; o Venom 1000 entrega 1.014 cv e 117,4 kgfm de torque; e o Venom 1200 é capaz de gerar 1.216 cv e absurdos 138,3 kgfm de torque.

No caso deste último, as mudanças no motor incluem a troca dos supercharger por dois turbocompressores, bem como uma reprogramação na ECU. Obviamente, também são instalados componentes internos mais resistentes, e o motor recebe um novo sistema de escape, um intercooler mais parrudo e um novo coletor de admissão. É importante notar que a potência máxima do Venom 1200 só é produzida com o tanque abastecido com etanol E85 ou gasolina de competição (com octanagem acima de 100 RON). Naturalmente, o câmbio de dupla embreagem e sete marchas é reforçado para lidar com os novos níveis de potência e torque.

Como já é costume da Hennessey, há algumas modificações estéticas discretas para identificar os carros preparados, como emblemas “Hennessey” e “Venom 850/1000/1200”, bordados nos encostos de cabeça e uma plaqueta numeradano cofre do motor.

A Hennessey deixa claro que, no caso do pacote Venom 1200, o carro passa por um test drive de 240 km e recebe uma garantia de um ano ou 20.000 km. Os preços ainda não foram divulgados. (DH)

Matérias relacionadas

Um Opala 2.5 bastante original, um Renault Fluence 2.0 seminovo, uma Brasília “German Look” e mais no GT40!

Dalmo Hernandes

Os carros mais vendidos em maio, o trailer de “Ford vs. Ferrari”, o novo velho Porsche Bergspyder e mais!

Já imaginou como é um simulador de corridas de R$ 4 milhões?

Dalmo Hernandes