A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica

A autópsia de pistões e camisas de cilindro: como por que eles quebram?

É impossível assistir a um motor de combustão interna funcionando e não ficar maravilhado com a capacidade que aquele bloco de metal tem de produzir potência continuamente por tanto tempo. E isso fica ainda mais incrível quando você percebe que não há praticamente nenhum outro material além de componentes metálicos se esfregando sem parar contra outros componentes metálicos. Mesmo que haja entre cinco e 15 litros de óleo para besuntar essa esfregação, estamos falando de uma máquina que, em sua utilização mais branda — a marcha lenta — sobe e desce seus pistões mais de 900 vezes por minuto. É... o motor de combustão interna é mesmo um milagre de era moderna. E quanto mais próximo do hoje, mais incríveis eles parecem, embora pouca gente perceba isso, hipnotizada com a tecnologia digital informática, que é um negócio muito próximo da mágica. Não pretendo desmerecer os gadgets, mas boa parte do que achamos incrível nas tecnologias digitais modernas não passa de arranjos e

Matérias relacionadas

Como a Porsche inverteu a lógica dos coletores de admissão para produzir mais potência e diminuir o consumo?

Leonardo Contesini

Motores GSE turbo da FCA (Fiat/Jeep) no Brasil podem ser a nova referência. Veja como

Juliano Barata

Como funcionam os amortecedores de massa?

Leonardo Contesini