A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Games História Zero a 300

A evolução dos games de corrida, parte 2: a era de ouro dos arcades e a chegada dos consoles

Começamos a contar aqui no FlatOut a evolução dos games de corrida e, se você leu, já viu que os arcades surgiram no fim da década de 1960. Na real, nem eram videogames: os arcades eletromecânicos usavam projeção de luz e sombra em vez de computação gráfica para simular a experiência de dirigir um carro (ou uma moto). Viu também que muitas das grandes desenvolvedoras de jogos da atualidade começaram no ramo fabricando estas máquinas. Levou menos de dez anos, porém, para que surgissem os primeiros jogos puramente eletrônicos, que também foram comentados no post anterior.   A ascensão dos arcades Em um período curto, de apenas cinco anos, os jogos de corrida deixaram para trás os gráficos monocromáticos e simplistas ao extremo e foram incorporando cores, animações mais sofisticadas, efeitos sonoros melhores e jogabilidade mais complexa. Monaco GP, de 1979, era o melhor exemplo disto. O arcade da Sega usava visão

Matérias relacionadas

Yamaha OX99-11: o verdadeiro Fórmula 1 para as ruas que nunca existiu

Leonardo Contesini

Acredite: as pessoas estão jogando Pokémon Go enquanto dirigem

Dalmo Hernandes

Tudo o que você precisa saber sobre fluxo de cabeçotes

Rodrigo Passos