A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

A garagem dos sonhos de Jon Olsson, o esquiador profissional mais petrolhead do planeta

Você deve ter lido (esperamos que aqui no FlatOut, hein!) sobre a perua Audi RS6 “DTM” de Jon Olsson, que foi roubada em um assalto a mão armada e encontrada totalmente destruída por um incêndio. Como dissemos, foi uma notícia bem triste para os fãs de carros modificados, dos modelos RS da Audi e de Jon Olsson.

Bem, talvez você não saiba direito quem é Jon Olsson. Mas você conhecia o carro dele, não é? Isto porque, além de já ter aparecido no FlatOut algumas vezes com um de seus outros carros (sobre o qual falaremos mais adiante), Olsson faz o tipo bon vivant que sempre está ligado quando se trata de um evento para carros exclusivos — como a última edição do Gumball 3000, o “rali” para milionários que na verdade é uma road trip mundial que inclui desfiles, festas noite adentro e pausas nos melhores hotéis do mundo.

Coincidentemente, o que aconteceu em maio deste ano (falamos tudo a respeito aqui) marcou a última grande aparição pública da RS6 de Olsson antes do triste ocorrido — no resto do tempo, o carro era usado regularmente nas imediações de Mora, na Suécia, onde seu dono… er… mora (olha, tentamos evitar). E era um carro e tanto.

Na real, o carro original já era bem incrível. Sendo uma RS6 da atual geração, o carro de Olsson deixou a fábrica com um V8 de quatro litros com dois turbos, 578 cv e 71,4 mkgf de torque. Com uma caixa automática de oito marchas (que não tem dupla embreagem, vale observar), a RS6 é capaz de chegar aos 100 km/h em 3,5 segundos, com máxima limitada a 250 km/h — existe, no entanto, a opção de remover o limitador e chegar aos 300 km/h.

É desempenho de supercarro em um pacote familiar — claro, com uma embalagem agressiva e extremamente atraente aos olhos. Uma RS6 Avant original já seria o bastante para realizar os sonhos automotivos de muita gente.

Mas Olsson é o tipo de entusiasta que não se contenta com o que o fabricante oferece. Para tornar sua RS6 mais apta a rodar pelas montanhas geladas da Suécia, ele entregou o carro para Leif Tuvfesson — que era nada menos que engenheiro-chefe da Koenigsegg e, depois, criou uma série de hot rods com mecânica Volvo que é algo imperdível.

Tuvfesson foi responsável por projetar e coordenar as especificações, que incluíram suspensão reforçada, body kit e pintura inspirados nos Audi que competiam no Campeonato Alemão de Carros de Turismo (DTM), além de dois novos turbocompressores revestidos com uma camada de ouro anodizado de 18k. As outras modificações nunca foram reaveladas (provavelmente nunca serão), mas eram suficientes para chegar aos 950 cv quando se abastecia com gasolina comum, e mais de 1.000 cv com combustível de alta octanagem.

Mas o que Jon Olsson faz para ter carros e um estilo de vida tão incríveis? Como já dissemos, ele é esquiador profissional — e dons bons. Olsson tem nove medalhas dos X-Games de Inverno em sua coleção, além de ter vencido diversos eventos de esqui realizados na Europa nos últimos dez anos. Ele é conhecido por inventar dezenas de manobras e de ser um dos expoentes da modalidade freeski — imagine uma sessão de Tony Hawk’s Pro Skater, em um circuito cheio de rampas e obstáculos, só que com esquis e neve.

Jon Olsson está entre um dos maiores esquiadores da história recente, e sua reputação é boa o bastante para que ele tenha criado seu seu próprio evento de esqui, o JOSS (John Olsson Super Sessions), que foi realizado entre 2008 e 2010 na cidade de Åre, na Suécia e contou com a participação de esquiadores de todo o planeta. Durante toda a duração dos eventos, uma equipe de filmagem documentava tudo e soltava um curta metragem muito bem produzido dias mais tarde. O JOSS só parou de ser realizado porque, bem, Jon Olsson tem várias outras coisas para fazer — especialmente por seus carros.

Isto porque, por mais que lamentemos o que aconteceu com sua RS6, sabemos que ele não vai ficar sem um carro bacana para curtir. Ele tem uma garagem cheia deles, e nós vamos mostrá-los agora — ainda que alguns já tenham sido vendidos. Porque é sempre bom renovar a frota, não?

carros-jon-olsson (4)

Antes da RS6, Olsson já tinha uma quedinha pelos Audi. Revelado em 2012, este R8 murdered out já foi o carro que o esquiador usava para levar seus equipamentos a eventos. No meio da neve. Isto é que é confiar no sistema Quattro, não é? Além da carroceria e das rodas ADV1, o carro também tinha máscaras negras nos faróis e lanternas, além de um agressivo body kit PPi Razor para completar seu visual maligno.

carros-jon-olsson (3)

Ainda que também já tenha recebido a clássica combinação de vermelho, cinza e branco que ficou famosa nos Audi de competição

O motor V10 de 5,2 litros compartilhado com o antigo Lamborghini Gallardo (não é estranho dizer isto?) também recebeu fôlego extra graças ao pacote Challenge Extreme da Stasis Engineering. Com isto, a potência subiu de 532 cv para 720 cv, enquanto o torque foi de 54 mkgf para 72,3 mkgf.

carros-jon-olsson (18)

carros-jon-olsson (33)

Além do R8, Olsson também teve um Lamborghini Murciélago e um Gallardo. Ele próprio diz que o Murciélago é “o carro mais badass” que ele já teve (badass pode ser traduzido como “f*dão”) e, bem, é um Murciélago, não é? O supercarro que foi substituído pelo Aventador e deixou saudades em muita gente com suas linhas mais limpas e os 670 cv de seu V12 de 6,5 litros.

Para completar, o Murciélago de Olsson era um SV, de Super Veloce  o que significa que o motor passou uma revisão nos comandos de válvulas e recebeu um sistema de escape mais leve e menos restritivo, e que a suspensão é mais firme para uso em pista. Como seus outros carros, o Murciélago de Olsson mudava de aparência constantemente, trocando o envelopamento da carroceria algumas vezes enquanto esteve com ele.

carros-jon-olsson (29) carros-jon-olsson (1)

O Gallardo passou pelo mesmo processo — Olsson ficou com ele por apenas por um ano, e por várias vezes o carro exibiu um novo esquema de cores a cada vez que aparecia em público. No entanto, o que impressiona de verdade é que Olsson usou o supercarro como seu “trailer” de esqui durante um inverno todo, e rodou mais de 40.000 km com ele. Na verdade, o Gallardo foi o primeiro supercarro preparado para carregar esquis que Jon teve.

carros-jon-olsson (14) carros-jon-olsson (7)

Mas nem só de supercarros caríssimos foi feita sua garagem: seu primeiro carro foi uma picape Mazda B2000 com chamas pintadas no capô, mas Olsson diz não ter encontrado fotos dela. Por outro lado, em seu site, o esquiador exibe orgulhoso imagens de outros carros que passaram por sua vida há alguns anos.

carros-jon-olsson (23)

Como uma perua VW Passat com motor W8 — sim, oito cilindros em W, com quatro litros de deslocamento, 275 cv a 6.000 rpm e 37,7 mkgf de torque a apenas 2.750 rpm. A tração era integral, e dá para dizer que o Passat W8 foi um precursor da super perua da Audi. Faz sentido, se tratando de Olsson, não?

carros-jon-olsson (22)

Este Camaro 1971 com NOS e 700 cv no V8 também foi um dos primeiros carros de Olsson

Outros de seus carros foram um Subaru WRX todo equipado para enfrentar estradas cobertas de neve (cujo motor fundiu no primeiro dia) e uma seleção de BMW Série 3: um E30 e um E36 modificados para as pistas, e um clássico M3 CSL — versão com peso aliviado e 361 cv do M3 E46.

carros-jon-olsson (21) carros-jon-olsson (20) carros-jon-olsson (24)

No entanto, o carro mais radical da coleção de Olsson é mesmo o Rebellion R2K. Trata-se de um superesportivo feito sobre um Ultima GTR — aquele supercarro minimalista projetado no Reino Unido que pode ser equipado com um V8 small block Chevrolet de até 1.036 cv.

r2k (2)

O R2K também foi projetado por Leif Tuvfesson, e sua maior inspiração foram os protótimos de Le Mans modernos da Audi. A influência é evidente não apenas nas cores e nas proporções gerais, mas também pela identidade visual que os novos faróis e elementos da carroceria deram ao carro. O carro também recebeu faixas de LED nos faróis, bancos de fibra de carbono e revestimento em Alcantara, e até um porta latas na soleira. Até as rodas  ADV1 de cubo rápido foram feitas exclusivamente para o R2K, que tem até mesmo um sistema de air jacks para trocar as rodas.

r2k (1)

No entanto, a modificação mais importante aconteceu atrás dos bancos. No lugar do V8 de 720 cv que lhe serviu durante anos, Olsson colocou todo o conjunto mecânico de um Gallardo — o que significa que o carro tem um V10 de e 560 cv. Deu para sacar que o cara curte o casamento entre Audi e Lamborghini, não é mesmo?

E, apesar de ter ficado menos potente, o Rebellion R2K não ficou menos capaz. Pelo contrário: ele anda muito bem. Sobre a neve, ainda por cima!

Segundo nossos cálculos, podemos dizer que a RS6 Avant “DTM” não fará taaanta falta assim… até porque, quando foi roubado, o carro já nem estava mais com Olsson. Mas você não ficaria com uma dor no coração se isto acontecesse com um carro que já foi seu?

carros-jon-olsson (28) carros-jon-olsson (31) carros-jon-olsson (32) carros-jon-olsson (8) carros-jon-olsson (9) carros-jon-olsson (10) carros-jon-olsson (6) carros-jon-olsson (5)

Matérias relacionadas

BBS “declara guerra” contra rodas falsificadas

Dalmo Hernandes

Como é testemunhar o espírito das 24 Horas de Le Mans?

Juliano Barata

Diversão à moda antiga: os melhores presentes para despertar a nostalgia no fim do ano

Dalmo Hernandes