A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo História

A história da Renault na Fórmula 1 – parte 3: Williams, Benetton e seis títulos mundiais

Foto: Williams/LAT Depois de vermos a "invenção" do Fórmula 1 turbo com a chegada da Renault à categoria em 1977, e do período da fabricante francesa como fornecedora de motores turbo, chegamos finalmente aos primeiros títulos conquistados com os motores franceses. Essa terceira fase da Renault na Fórmula 1 começa em 1989, quando os franceses se uniram à Williams para formar a Williams Renault.   O fim dos turbos e o retorno à Fórmula 1 Apesar de ter chegado à Fórmula 1 e feito sua história na categoria com os motores turbo, a Renault curiosamente retornou à categoria em 1989, no primeiro ano da proibição dos motores sobrealimentados. Seu primeiro motor dessa fase, o RS1, era um V10 de 3,5 litros  — a cilindrada máxima permitida pelo regulamento adotada por todas as outras equipes em configurações V8 , V10 e V12. Mas o RS1 se destacava por uma inovação tecnológica que se tornaria o padrão da categoria nos anos seguintes: molas pneumáticas para o trem de válvulas.

Matérias relacionadas

A história, o auge e as duas mortes do Ford Taurus

Eduardo Rodrigues

Fumaça azul e giro alto: os esportivos e carros de corrida com motor dois-tempos

Leonardo Contesini

“Enforca-gato”: como as abraçadeiras de nylon surgiram?

Leonardo Contesini