A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História Motos

A história da Suzuki Intruder – e suas diversas variações

De tempos em tempos penso na possibilidade de começar a andar de moto – até agora, 99% de todos os veículos que dirigi tinham quatro rodas, e não duas. Como boa parte dos brasileiros, imagino que o ideal para gastar pouco e não ter surpresas desagradáveis seja uma motocicleta de até 160 cm³: elas não bebem quase nada e são baratas de comprar e manter, mesmo (ou principalmente) aqui no interior de SP. "Honda é Honda" é uma frase que ouço muito quando converso com alguém sobre possibilidades. De fato, a Honda CG é o veículo mais vendido do Brasil, tem muita tradição, mão de obra especializada e tudo. Mas eu penso em outra moto que vejo com bastante frequência nas ruas: a Suzuki Intruder. Para a maioria dos brasileiros, a Intruder é uma moto pequena, de 125 cm³, com um visual clássico que quase não mudou em quinze anos (ela foi fabricada entre 2002 e 2017): tanque em forma de gota, carcaça do farol e para-lamas com acabamento cromado, guidão relativamente alto, garfo bem inc

Matérias relacionadas

GT2: a evolução do Porsche 911 mais radical de todos

Dalmo Hernandes

Jaguar XJ220S: fibra de carbono, quase 700 cv e só seis unidades fabricadas

Dalmo Hernandes

Taurus SHO: quando a Ford chamou a Yamaha para criar um ícone americano

Dalmo Hernandes