A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

A história do Mini: como um rabisco em um guardanapo mudou para sempre os carros compactos

Além de ser o carro do Mr. Bean e o mais improvável vencedor do Rali Monte Carlo, o Mini Cooper é um símbolo não apenas da indústria automotiva britânica, mas de toda a cultura do Reino Unido. E ele também é um dos automóveis mais importantes e influentes já fabricados pois, além de motorizar a Inglaterra no fim da década de 1950, o Mini definiu a receita básica de praticamente todos os carros populares de tração dianteira que vieram depois. E tudo começou com alguns rabiscos em um guardanapo de papel. Como muito outros carros compactos de seu tempo, o Mini surgiu para lidar com o alto preço dos combustíveis. No Reino Unido, a situação era bem crítica: por causa da Crise de Suez, conflito político entre o Reino Unido (com o apoio da França) e o Egito, o canal de Suez, por onde o petróleo vindo do Oriente Médio chegava aos britânicos, foi fechado. Com isto, começou um racionamento de gasolina na Grã-Bretanha, criando a necessidade por carros menores e mais econômicos. Um

Matérias relacionadas

Memórias de Saigon: os carros clássicos que sobrevivem na antiga capital do Vietnã

Dalmo Hernandes

Lendas de Le Mans: a força bruta do Ford GT40, o anglo-americano que superou a Ferrari em La Sarthe – Parte 1

Dalmo Hernandes

Dois motores, nenhum juízo: Alfa Romeo 16C Bimotore – ou o primeiro Ferrari projetado por Enzo

Milton Rubinho