FlatOut!
Image default
Notícias

A partir de hoje todos os Teslas serão totalmente autônomos


Nos últimos meses a Tesla teve alguns problemas com seu sistema Autopilot, que, apesar do nome, engloba apenas algumas funções semi-autônomas de assistência ao motorista.

Primeiro foi um acidente fatal causado pela omissão do motorista somada a uma falha do sistema na identificação de um caminhão. Depois, a fabricante teve problemas na China, onde seu carro era oferecido como um modelo 100% autônomo. Mais recentemente, um outro acidente fatal pode ter sido ocasionado pela omissão do motorista no comando do carro com o Autopilot ativado. Na semana passada a Alemanha proibiu a Tesla de usar o nome Autopilot justamente por ele sugerir que o carro dirija sozinho enquanto ativado.

A solução para todos estes problemas foi a mais lógica: seguir em frente e aumentar o nível de autonomia do carro. A partir de hoje, o Model X, o Model S e o Model 3 receberão um upgrade de hardware que permitirá uma operação totalmente autônoma.

São 12 novos sensores de ultrassom capazes de detectar obstáculos quase duas vezes mais distantes que os atuais sensores; oito câmeras com visão de 360 graus e 250 metros ao redor do carro; um novo radar dianteiro capaz de detectar obstáculos mesmo sob chuva pesada, e uma nova unidade de controle com capacidade de processamento 40 vezes mais rápida que a do Autopilot.

Com o novo sistema a Tesla diz que irá conseguir “uma visão do mundo que um motorista não consegue obter, enxergando simultaneamente em todas as direções e usando comprimentos de onda que vão muito além dos sentidos humanos”.

[vimeo id=”188105076″ width=”620″ height=”350″]

Elon Musk, o CEO da Tesla, diz que o motorista só precisará estar ao volante por questões legais. Ele também disse que na hora de procurar uma vaga o carro é capaz de ler a sinalização para saber se é permitido estacionar. Depois, basta chamar o carro pelo smartphone e ele será capaz de ir até você. A Tesla diz que o carro é capaz de encontrar a localização de seu proprietário (do smartphone, na verdade) e ir sozinho até ele “mesmo que ele esteja no outro lado do país”.

Só tem um problema: o software que irá controlar tudo isso ainda não foi validado. Por isso os modelos equipados com este novo sistema ainda não terão capacidade semi-autônoma como os modelos equipados com o Autopilot enquanto a atualização não for lançada. E a Appl…, digo, a Tesla ainda não tem data definida para isso acontecer.

Até lá, os três modelos não terão sequer sistemas de segurança mais básicos, como frenagem automática de emergência, alerta de risco de colisão frontal, sistema de permanência na faixa de rolamento e cruise control ativo. Quando a atualização for concluída, contudo, os carros serão mais seguros que os modelos com o Autopilot.

A Tesla também avisou que o sistema não poderá ser instalado em modelos mais antigos. O pacote autônomo custará US$ 8.000 — ou US$ 5.000 a mais que o atual Autopilot. É o preço da segurança.

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora