A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo História

A pré-história da Fórmula 1: como surgiram os Grandes Prêmios e a “categoria máxima”

A Fórmula 1 já não tem os roncos do passado, não tem tantas ultrapassagens quanto gostaríamos e seus ídolos já não parecem tão heróicos como outrora. Os carros estão enormes, todos extremamente parecidos, e o halo que protege a cabeça dos pilotos não é a solução mais bem-resolvida que se poderia encontrar. Já não é mais a mesma Fórmula 1 de que tantos de nós aprendemos a gostar. Mas ela ainda é a Fórmula 1. Nenhum carro de corridas é tão avançado, tão rápido e tão eficiente. Seus pilotos são, justamente, qualificados como os melhores do mundo pela super licença da Federação Internacional do Automóvel. Não foi à toa que a Fórmula 1 se tornou "a categoria máxima do automobilismo". Engana-se, contudo, quem pensa que ela é a categoria máxima porque tem os melhores carros e os melhores pilotos. O processo foi inverso: ela foi primeiro pensada como categoria máxima para depois elevar seus elementos ao panteão do automobilismo. Apesar de estar completando 70 ano

Matérias relacionadas

RC 100: quando a Honda construiu um carro de Fórmula 1 só por diversão

Dalmo Hernandes

Enzo Ferrari deu uma Ferrari a Henry Ford II – e ela foi a inspiração para o Thunderbird

Dalmo Hernandes

McLaren MP4/1: a história do primeiro carro de Fórmula 1 feito de fibra de carbono

Dalmo Hernandes