A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Adeus, Niki Lauda: a trajetória de um dos maiores heróis da Fórmula 1

O automobilismo é um esporte perigoso. E Niki Lauda sabia disto muito bem – e é bem provável que o risco envolvido em acelerar um carro de Fórmula 1 a mais de 300 km/h sobre o asfalto quente fosse, justamente, uma das razões para que ele quisesse tanto ser piloto de Fórmula 1. E ele foi um dos melhores, com três títulos no currículo. Para isto, Lauda teve de lutar o tempo todo – contra a falta de apoio da família, contra a falta de recursos, contra um acidente que o desfigurou e quase tirou sua vida. E, claro, contra alguns rivais tão bons quanto ele. No fim da vida, Lauda lutou contra uma pneumonia e contra problemas nos rins. Foi sua última batalha, que ele perdeu ontem (20), aos 70 anos de idade. Seus familiares confirmaram: Niki Lauda morreu em paz, cercado de sua família na Áustria. Horas antes, Lauda havia passado por uma sessão de hemodiálise. Mas a verdade é que a morte teve muito, muito trabalho para levá-lo. Andreas Nicolaus Lauda nasceu em Viena, na Áustria, no dia 2

Matérias relacionadas

3.000 cv e 550 km/h: este é o carro elétrico mais rápido e mais potente do mundo

Leonardo Contesini

Os segredos do Mitsubishi Eclipse de Brian O’Conner em “Velozes e Furiosos”

Dalmo Hernandes

Os recordes de Nürburgring: afinal, quais são os carros mais rápidos do Inferno Verde agora?

Dalmo Hernandes