A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

As promessas da Fórmula 1 que morreram cedo demais

Na última sexta-feira (17), a morte voltou a assombrar a Fórmula 1 levando consigo o jovem piloto francês Jules Bianchi. Membro da academia de jovens talentos da Ferrari, Bianchi era uma das grandes promessas de sua geração e seria o substituto de Kimi Raikkonen quando o contrato do finlandês com a Scuderia chegasse ao fim. Apesar de pilotar pela Marussia, uma das equipes nanicas que entraram em 2010 na F1, ele conseguiu um belo nono lugar no GP de Mônaco do ano passado, tornando-se o único piloto a pontuar por estes times tão fracos. Triste coincidência: também foi no GP de Mônaco que seu tio-avô, Lucien Bianchi, conquistou seu melhor resultado na categoria, também no ano anterior à sua morte. Diferentemente de Lucien, contudo, Jules tinha uma carreira promissora pela frente, dado que tinha apenas 25 anos. Infelizmente, não teve tempo, e por isso nunca saberemos onde chegaria a carreira do jovem francês. A história da Fórmula 1, em seus 65 anos, tem vários pilotos que morreram ant

Matérias relacionadas

30 anos de STI: a história e os carros da Subaru Tecnica International

Dalmo Hernandes

Os acidentes não-fatais mais chocantes da história do automobilismo – parte 1

Dalmo Hernandes

Os acidentes não-fatais mais chocantes da história do automobilismo – parte 2

Dalmo Hernandes