A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Avaliações

Audi TT Coupé no Brasil: aceleramos o pequeno rojão nas montanhas [update!]

Esta avaliação foi atualizada com as impressões dinâmicas colhidas na Estrada dos Romeiros: desça para o subtítulo "Afiado e imediato, mas confortável" No fim dos anos 90, mais precisamente em setembro de 1998, surgiu um daqueles carros que atravessam as barreiras das categorias como se estas fossem feitas de açúcar. Com oito centímetros a menos de entre-eixos que o A3, com o qual ele compartilhava a plataforma, teto de cupê, soldas a laser e design assustadoramente parecido com o conceito apresentado três anos antes – vale lembrar, naquela época os automóveis-conceito eram abstrações quase sem relação com a linha de produção – o Audi TT veio ao mundo praticamente criando uma categoria própria para si. Uma espécie de Scirocco sem filtros, levado ao extremo, que acabou criando uma tendência, seguido por modelos como o Peugeot RCZ e o Mini Coupé – que nunca tiveram o mesmo sucesso. Mk1 (8N, 1998 - 2006) e mk2 (8J, 2006 - 2014): teto é a assinatura de estilo A t

Matérias relacionadas

Aceleramos o Jaguar F-Type Coupé: especial Estrada dos Romeiros, parte 2

Juliano Barata

Maverick GT V8 302 1974: 540 cv e nitro na noite de São Paulo – FLATOUT MIDNIGHT EP.04

Juliano Barata

Aceleramos o Suzuki S-Cross: o SX4 que virou crossover

Juliano Barata