A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Chevrolet Equinox ganha motor 1.5 turbo, Hennessey anuncia Corvette C8 de 1.216 cv, Le Mans anuncia nome da nova categoria e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Chevrolet Equinox Midnight com motor 1.5 turbo chega por R$ 130.000

A Chevrolet anunciou o lançamento do SUV Equinox equipado com motor 1.5 turbo. Disponível na Argentina há mais de um ano, o propulsor desenvolve 172 cv a 5.600 rpm e 28 kgfm a 1.800 rpm de torque, e é acoplado a um câmbio automático de seis marchas. O novo motor poderá ser encontrado nas versões LT, Midnight e Premier, esta última com tração integral.

A versão LT, a mais em conta, parte de R$ 129.900, e traz como principais equipamentos de série faróis de xenônio; rodas de 18 polegadas; central multimídia com tela de oito polegadas, integração com smartphones e Bluetooth; conexão Wi-Fi; sistema de som com seis alto-falantes; quadro de instrumentos com tela de 4,2 polegadas, alerta de ponto cego, câmera de ré, seis airbags, assistente de colisão e controles eletrônicos de tração e estabilidade.

 

Os preços e equipamentos das versões Midnight, que traz acabamento escurecido nas rodas, emblemas e interior; e Premier, que também terá a opção pelo motor 2.0 turbo de 262 cv, ainda não foram revelados. (DH)

 

Hennessey Performance anuncia Chevrolet Corvette C8 de 1.216 cv

Não precisamos esperar tanto tempo pelo inevitável: a preparadora texana Hennessey Performance já anunciou seus planos para o Chevrolet Corvette C8. O supercarro americano de motor central-traseiro ganhará o tratamento padrão da Hennessey e poderá chegar aos 1.216 cv.

O segredo está no uso de componentes internos forjados, incluindo pistões de alumínio com taxa de compressão de 10:1 e bielas de aço; e um sistema biturbo que, de acordo com a empresa, será desenvolvido sob medida par ao motor LT2. A Hennessey também diz que a transmissão de dupla embreagem será reforçada para suportar a cavalaria extra.

O esportivo também poderá receber componetnes aerodinâmicos de fibra de carbono, incluindo splitter frontal, asa traseira e até mesmo um scoop no teto. Outros itens oferecidos pela Hennessey serão freios Brembo e suspensão ajustável com tecnologia da Penske, além de rodas e pneus apropriados para o ganho de desempenho. A preparadora também adianta que, como de costume, todos os componentes terão garantia. (DH)

 

Equipes de Fórmula 1 não poderão mais esconder seus carros durante os testes de inverno

Como parte de seus esforços para trazer de volta o apelo da Fórmula 1 junto aos fãs do automobilismo, a FIA divulgou um comunicado no qual proíbe as equipes de esconderem seus carros durante os testes entre as temporadas, também conhecidos como testes de inverno.

A ideia é manter o interesse do público e da mídia na categoria mesmo quando as corridas não estão acontecendo. O texto do regulamento diz o seguinte:

Nenhum tipo de cobertura, tela ou outra obstrução que possa esconder qualquer parte do carro de qualquer forma será permitido nos paddocks, oficinas, pit lane ou grid, a não ser que fique claro que tais coberturas são necessárias por motivos técnicos e mecânicos.

Motor, transmissão e radiador não poderão ficar escondidos enquanto são transportados, retirados ou instalados nos carros. O mesmo vale para componentes aerodinâmicos, em uso ou não, bem como equipamentos utilizados para transportar carros e peças. As exceções são dias chuvosos e também equipamentos necessários para a segurança dos mecânicos. (DH)

 

Nova categoria do WEC será chamada de Le Mans Hypercar e tem novas regras reveladas

A FIA revelou o nome oficial da nova categoria do Campeonato Mundial de Endurance (WEC), a categoria que vinhamos chamando apenas de “Hypercar” vai se chamar “Le Mans Hypercar”, ou apenas LMH. A decisão foi revelada após o último conselho da FIA em Paris no início da semana, onde também foram acertadas as regras da nova categoria.

Foi decidido que os construtores terão liberdade para testar os carros sem limite de quilometragem para o primeiro ano da competição. Outra regra anunciada foi a de só poder competir carros ligados a um fabricantes, ou seja,  será praticamente impossível para uma equipe independente e privada conseguir competir. A equipe alemã ByKolles Racing anunciou que entraria na categoria com um projeto novo usando mecânica Nismo, mas corre o risco de ficar de fora até a FIA decidir a definição de “fabricante” que permite a homologação. A Scuderia Cameron Glickenhaus aparentemente é considerada como fabricante pela FIA.

As outras regras conhecidas foram mantidas, os hipercarros da competição precisam de pelo menos 20 unidades de produção feitas em até dois anos depois da estreia para poder competir. Por enquanto temos Aston Martin, Scuderia Cameron Glickenhaus e Toyota confirmados para a primeira temporada em 2021, a Peugeot entrará na temporada de 2022. A ByKolles Racing havia confirmado para 2021, mas com o anuncio dessa regra nova tem situação indefinida. (ER)

 

Brasil e Paraguai fecham acordo automobilístico

O Brasil e o Paraguai fecharam nesta última quinta-feira (5) um acordo para o livre-comércio de veículos (novos) e peças entre os dois países. O acordo é semelhante ao que o Brasil fechou em junho com a Argentina.

De acordo com a Anfavea, atualmente o Brasil exporta cerca de 13.000 unidades por ano ao Paraguai, volume que corresponde a apenas 3% do total de veículos exportados. Apesar de ter sido firmado em um momento no qual a Argentina está reduzindo o volume de veículos importados do Brasil, o acordo com o Paraguai não visa substituir ou compensar a queda do volume argentino. Ainda de acordo com a Anfavea, o acordo com o Paraguai “é pequeno, mas é benéfico” para que o Brasil consiga mais negócios. Os detalhes do acordo ainda não foram divulgados. (LC)

 

Lawrence Stroll está negociando a compra da Aston Martin

O empresário canadense Lawrence Stroll, pai do piloto de Fórmula 1 Lance Stroll, está liderando um consórcio de investidores que negocia a compra da Aston Martin. A apuração é da revista britânica Autocar.

Segundo a publicação, Stroll quer aproveitar o baixo preço das ações da Aston Martin, que chegaram ao patamar mais baixo dos últimos cinco anos em 1º de novembro deste ano depois de uma longa iniciada em julho.

Os investidores aparentemente creem que a Aston Martin está subvalorizada e tem uma boa perspectiva para o futuro, uma vez que ela lançou o DB11, o DBS Superleggera e o novo Vantage nos últimos anos, além do SUV DBX, que deve ajudar a aumentar as vendas e a lucratividade.

Stroll é um entusiasta que, além de ter uma das coleções de Ferrari mais valiosas do planeta, também é proprietário da equipe Racing Point F1 (antiga Force India), o que significa que ele não é um investidor estranho ao segmento. Contudo, o que poderá ser feito com a Aston Martin ainda é uma incógnita.

Sobre os rumores e a apuração da Autocar, tanto Stroll quanto a Aston Martin não se pronunciaram. Contudo, a Autocar informou que há uma regulamentação rigorosa quando se trata de anúncios oficiais ao mercado de ações, e a Aston será obrigada a confirmar se uma proposta formal for realizada. Como não houve confirmação, significa que ainda não houve uma proposta formal — o que não significa que a negociação não esteja acontecendo, claro. (LC)

 

Ford faz parceria com McDonald’s para produzir peças com palha de café

A Ford iniciou uma parceria com o McDonald’s nos EUA para usar casca de grãos de café para fazer peças automotivas. Segundo as empresas todo ano milhões de quilos de casca de café são descartadas anualmente, agora esse material poderá ser reaproveitado. As cascas podem ser usadas para fazer um material durável com a mistura de plástico e outros aditivos.

O material feito com cascas de café é cerca de 20% mais leve e usa 25% menos energia para ser produzido que um plástico comum, ele também é mais resistente ao calor. Esse material novo pode ser usado para fazer componentes que normalmente seria feitos de plástico e que atingem às especificações de qualidade dos fabricantes.

O McDonald’s vai redirecionar grande parte de suas cascas de grãos de café para o uso automotivo da Ford. Nesse parceria também entram as empresas Varroc Lighting Systems, fornecedor de faróis e que vai usar o material em suportes, e Competitive Green Technologies, que fará o processamento das cascas de café. Essa não é a primeira vez que a Ford tenta usar materiais orgânicos em seus carros, em 1941 Henry Ford projetou um carro com carroceria feita de material plástico produzido a partir de cânhamo. (ER)

Matérias relacionadas

Monza Clodovil: quando a Chevrolet lançou o primeiro carro fashion do Brasil

Dalmo Hernandes

Novo Jetta chega em dezembro, BMW M6 Coupé deixa de ser produzido, sucessora da LaFerrari será lançada até 2022 e mais!

Leonardo Contesini

Kombi: como um veículo de carga se tornou um dos colecionáveis mais procurados do mundo

Dalmo Hernandes