A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Chevrolet terá 30 lançamentos em quatro anos no Brasil, McLaren mais próxima da Indy, Volkswagen revela rival do Compass e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Chevrolet promete 30 lançamentos em quatro anos no Brasil

58c9b3046ad50a37008b52e1-750-500

A Chevrolet divulgou nesta quinta-feira seus planos para o Brasil nos próximos quatro anos: a fabricante pretende 20 modelos novos e 10 versões ou séries especiais até 2022.

A fabricante não revelou detalhes sobre quais serão estas novidades, mas o pessoal do Uol Carros apurou que entre eles estão o facelift da Spin (que deverá ser o primeiro lançamento), do Camaro, do Cruze hatch e sedã, as novas gerações de Cobalt, Montana, Onix e Prisma, S10 e Trailblazer, além de um novo SUV compacto que será posicionado abaixo do Tracker, uma nova geração ou um substituto para o Tracker, um SUV médio posicionado entre o Tracker e o facelift do Equinox. Segundo a revista Auto Esporte, a GM também prometeu vender o elétrico Bolt no Brasil a partir de 2019.

Os demais modelos ainda são mantidos em segredo pela GM. É possível que a fabricante traga um novo SUV posicionado entre o Equinox e a Trailblazer, um modelo de entrada para substituir o Onix Joy, uma picape intermediária entre a Montana e a S10 e possivelmente algum modelo híbrido. Além dos novos modelos, a Chevrolet também irá lançar nesse período uma nova série de motores, que inclui um 1.0 de três cilindros, um 1.4 turbo e uma versão deste motor de aspiração natural.

 

McLaren se aproxima da Indy para 2019

Há alguns meses vimos que a McLaren estava cogitando ingressar na Indy a partir de 2019, competindo na categoria americana paralelamente à Fórmula 1. Inicialmente parecia apenas uma notícia motivada pela empolgação com a participação de Fernando Alonso na Indy 500 de 2017. Mas agora o pessoal da Road & Track apurou que representantes da McLaren Racing estiveram nos EUA na semana passada, durante o Indy Grand Prix em Indianapolis para se reunir com chefes de equipe locais, e que eles retornarão em junho, após a Indy 500.

1493816446-screen-shot-2017-05-03-at-91051-am

Ao que tudo indica a McLaren está tentando firmar um acordo com a Andretti Autosport para inscrever um quinto carro na temporada de 2019, que correria com o nome, as cores, e um piloto da McLaren. Fernando Alonso, quem sabe? O chefe da McLaren, Zak Brown, já tem uma parceria com Michael Andretti e Richard Walkinshaw na Australian Supercar, com a equipe Wlakinshaw Andretti United, e nos EUA a Andretti Autosport fornece todo o suporte de corridas para a United Autosport (que pertence a Zak Brown) quando a equipe britânica disputa provas no SportsCar Championship da IMSA.

Como bem observa a Road & Track, essa relação entre os dois dirigentes, além da colaboração recente entre as duas equipes para colocar Fernando Alonso na Indy 500, torna quase certo o acordo entre as equipes para a temporada de 2019. Quase certo porque existe uma possibilidade remota de o piloto Colton Herta da Indy Lights, que corre pela Andretti na categoria de acesso, decidir participar da Indy em 2019. Nesse caso, Herta teria o quinto carro da Andretti e a McLaren ficaria com um sexto carro, o que não agrada a McLaren.

Ainda de acordo com a publicação americana, a ruptura da McLaren com a Honda na Fórmula 1 não é vista como um entrave no acordo com a Andretti, que usa os motores turbo da fabricante japonesa em seus carros.

 

Volkswagen revela na China seu futuro rival para o Jeep Compass

VW-Tharu-6-China

 

Em março deste ano a Volkswagen confirmou a produção na Argentina de um novo SUV que será posicionado abaixo do Tiguan, desenvolvido para encarar o Jeep Compass, atual líder do segmento. A fabricante revelou alguns detalhes do carro, mas não publicou nenhuma imagem além de um sketch bastante estilizado e pouco realista. Felizmente não foi preciso esperar seu lançamento em 2019: a versão chinesa do modelo, batizado de Tharu por aquelas bandas do oriente, acaba de ser lançada e revela as formas gerais do carro.

VW-Tharu-8-China

O visual nos parece claramente influenciado pelo Atlas, o outro SUV que a VW pode trazer para o Brasil, substituindo o Touareg como modelo de topo. As dimensões são mais compactas, contudo: 4,45 m de comprimento, 1,84 m de largura e 1,63 m de altura, com entre-eixos de 2,69 m. Como comparação, o Tiguan tem 4,71 m de comprimento (26 cm a mais), a mesma largura e entre-eixos de 2,79 m (10 cm a mais).

VW-Tharu-3-China

Na China ele será oferecido com dois motores TSI: um 1.2 e um 1.4 com 120 cv e 150 cv respectivamente. No Brasil ele deverá ser oferecido somente com o motor 1.4 TSI de 150 cv como a versão de entrada do Tiguan. O 1.0 TSI de 128 cv deverá ser reservado ao T-Cross, o SUV do Polo. O câmbio será automatizado de embreagem dupla e sete marchas, também como o do Tiguan.

 

Hennessey faz Grand Cherokee Trackhawk chegar aos 100 km/h em 2,7 segundos

No final de abril conhecemos o pacote HPE1000 que a Hennessey preparou para o Grand Cherokee Trackhawk, a versão Hellcat do utilitário americano. Na ocasião vimos as mudanças que a preparadora texana fez para que o motor V8 chegasse aos 1.000 cv — um supercharger de 4,5 litros, novos coletores de escape, válvulas injetoras de alto fluxo, uma nova bomba de combustível e um novo sistema de admissão com maior fluxo de ar —, mas nenhum dado de desempenho foi divulgado. Até agora.

screen-shot-2018-04-24-at-12-31-56-pm-1524587539

John Hennessey colocou o Jeep em sua drag strip, e o fez acelerar os 402 metros típicos dos testes americanos. O quarto-de-milha foi coberto em 10,7 segundos a 212,4 km/h. Impressionante? E se eu disser que o tempo de aceleração de zero a 100 km/h é de apenas 2,7 segundos? Sim: 2,7 segundos, o que torna este Jeep mais rápido que o BMW M5, a Ferrari 488, o BAC Mono. Ele ainda iguala o tempo da Ferrari F12tdf, Lamborghini Aventador e Porsche 991 GT2 RS.

 

Rolls-Royce irá insistir nos V12 enquanto for possível

rolls-v12

A Rolls-Royce é a mais nova voz a se unir ao coral dos fabricantes conservadores diante das mudanças na indústria automobilística nos últimos anos. Como a Lamborghini, que insistirá em seus motores aspirados, e a Aston Martin que promete fazer o último carro manual do mundo, a Rolls-Royce declarou nesta semana que irá se manter fiel aos motores V12 enquanto for possível.

A declaração foi dada pelo presidente da Rolls-Royce Torsten Müller-Ӧtvӧs ao Financial Times. Na entrevista, Müller-Ötvös disse que a marca está pronta para a eletrificação, porém os V12 serão sua prioridade enquanto for possível. “Definitivamente vamos oferecer motores de 12 cilindros enquanto pudermos, enquanto for legalmente permitido oferecê-los”, disse.

Ironicamente, a Rolls-Royce é uma das poucas fabricantes que seria beneficiada com a adoção de powertrains elétricos, uma vez que eles são silenciosos e livres de vibrações como os motores a combustão, garantindo uma operação ainda mais silenciosa e potência “adequada” para seus salões vitorianos sobre rodas. Além disso, sem a necessidade de abrir espaço para as duas bancadas de seis cilindros na dianteira, os carros poderão aproveitar melhor o espaço interno, que é o que interessa em um Rolls.

Apesar disso, a Rolls-Royce decidiu se manter fiel aos V12 por um motivo simples: seus carros não são “nocivos” ao meio-ambiente como os números duros de emissões sugerem. Em um raro momento de franqueza sobre este assunto quando se trata de executivos da indústria automobilística, Müller-Ötvös disse que os Rolls-Royce “não são usados com muita frequência, nem por longas distâncias, e por isso a quilometragem de seus carros é bem inferior à de outros carros”, então não há um problema real com níveis de emissões.

Matérias relacionadas

Bolsonaro irá vetar alterações no Código de Trânsito, Shelby GT350 ganha série Heritage Edition, Mini JCW pode ser eletrificado e mais!

Novo recall da Chevrolet, BMW M2 em Nürburgring, 220 clássicos encontrados depois de 61 anos e mais!

Leonardo Contesini

Quando as fabricantes quebram suas tradições, para o bem e para o mal – parte 1

Dalmo Hernandes