A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Citroën 2CV 4×4? Os incríveis Sahara e Mehari

Fiat Mefistofeles. Dodge Demon. Lamborghini Diablo. Se estes nomes não provam a nossa fixação em ligar o automóvel com o coisa-ruim, não sei o que fará. Fazemos isso meio brincando, meio em busca de explicar o que carros extremamente potentes, vocais, bravos mesmo, evocam dentro de nós. Na verdade amamos essa mobilidade violenta, os dentes cerrados e o puro poder que esses carros nos proporcionam, e amor não é bem um sentimento ligado à o pé-preto, mas... certamente “angelical” não definiria bem esse tipo de coisa. Tentando explicar em palavras o iconoclasta espírito bandido que cresce dentro de nós ao volante de algo desse tipo, vamos ao inferno em busca de metáforas apropriadas e nomes mais adequados. Algo que normalmente não seria apresentado à sogra, por exemplo, mas que fazemos mesmo assim. Hoje em dia principalmente, esse tipo de coisa não cai muito bem socialmente. O automóvel sofre ataque de todo lado, fazendo o maravilhoso espírito desafiador e rebelde do entusiasta

Matérias relacionadas

A210 Evolution: a história do primeiro hatch da Mercedes AMG

Leonardo Contesini

Audi R18 e-Tron quattro, o primeiro híbrido a vencer as 24 Horas de Le Mans – e o campeão a ser derrotado neste ano

Dalmo Hernandes

O que define um gearhead?

Juliano Barata