A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica

Como funcionam os sistemas de injeção dupla de combustível?

Na segunda metade dos anos 1990 um tipo diferente de injeção eletrônica começou a surgir no mercado: a injeção direta. Até então a maioria dos carros tinha a injeção de combustível feita no coletor, próximo às janelas de admissão do cabeçote, ou então a chamada injeção monoponto, que é mais ou menos como um carburador com uma válvula injetora eletrônica no lugar do sistema mecânico de entrega de combustível. Com a nova injeção direta, era possível extrair mais potência dos motores aspirados e obter mais economia de combustível. Isso porque este sistema permite a injeção de combustível com as válvulas fechadas. Com isso, é possível injetar o combustível com o pistão próximo do ponto de vantagem mecânica sem risco de detonação pelo aumento da temperatura da mistura ar-combustível. Além disso, por haver a compressão efetiva maior, a quantidade de combustível injetada pode ser menor que em um motor de injeção indireta, o que proporciona mais economia de combustíve

Matérias relacionadas

Especial motores V4 (sim, quatro cilindros em V): o samba do ogro doido

Juliano Barata

Porsche 992 vs. Porsche 991.2: o que mudou (e quanto mudou) na nova geração do 911?

Leonardo Contesini

BMW terá rodas de fibra de carbono em até dois anos

Leonardo Contesini