A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

Como os supercarros que a Audi nunca fez deram origem ao motor W12 e ao Bugatti Veyron

Há algumas semanas a Audi anunciou que poderá deixar de produzir o R8 após o fim da atual geração. Com os danos causados ao grupo Volkswagen pelo escândalo dieselgate, os planos para os carros elétricos foram acelerados e deverá afetar a produção de diversos modelos, entre eles o R8 com motor a combustão. O fim do R8 para dar lugar a um esportivo elétrico — especialmente se ele for um crossover abrutalhado — é o encerramento melancólico de um dos supercarros mais dóceis e práticos já feitos, e também de uma história que levou mais de 70 anos para ser escrita. Embora tenha sido lançado somente em 2006, o Audi R8 é o descendente direto de uma linhagem de supercarros de motor central traseiro iniciada em 1934, com um projeto de Ferdinand Porsche e Erwin Komenda, e que atravessou os anos 1990 e o início dos anos 2000, dando origem aos motores W12 e até ao Bugatti Veyron no processo. Como isso aconteceu é o que contaremos neste post.   Auto Union Type 52 O primeiro e

Matérias relacionadas

Nissan March Autech MID-11: a obscura história do “Clio V6 japonês”

Dalmo Hernandes

Auto Union Type 52: quando a Audi criou um supercarro moderno… em 1934

Dalmo Hernandes

A evolução dos games de corrida, parte 1: os arcades eletromecânicos e os pioneiros eletrônicos

Dalmo Hernandes