A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Conheça o paraíso dos entusiastas, o Collector Studio

Dizem que entusiastas nunca crescem de verdade – é só o tamanho dos brinquedos que muda. Paramos de colecionar miniaturas e passamos a “brincar” com carros de verdade. Mas não é bem assim: via de regra, todo fã de carros acaba mantendo um vínculo com a infância. A maioria de nós, por exemplo, não consegue ir ao mercado sem voltar com dois ou três Hot Wheels. Vai dizer que é mentira? Você sabe que não é.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Assim, quando não estamos dirigindo ou cuidando de nossos carros, procuramos ficar próximos dos automóveis de outras formas – colecionando as já mencionadas miniaturas, lendo a respeito deles, decorando nossas casas com itens relacionados aos nossos carros de rua e de competição favoritos, homenageando nossos ídolos… você sabe bem do que eu estou falando.

E, de verdade, neste momento desconhecemos uma loja que junte tantas coisas bacanas quanto a Collector Studio. O leitor de longa data Rodrigo Chicon foi quem nos mandou o link e, meus amigos, ficamos boquiabertos com o que vimos. Não se trata de divulgação, não é propaganda para os caras (que provavelmente sequer sabem da existência do FlatOut), mas sim admiração genuína. Sabe quando você vê uma coisa incrível demais na internet é quer compartilhar com a galera? É mais ou menos isto.

A Collectors Studio foi fundada em 1991 e, segundo a descrição em seu site, trabalham com peças de coleção com preços que partem de CA$ 100 (o que dá cerca de R$ 340 em conversão direta) e vão até mais de CA$ 1 milhão (ou seja, R$ 3,4 milhões). Ou seja, há itens relativamente acessíveis e objetos que são voltados a colecionadores sérios, que ganham a vida com isto e não têm bala, mas sim um arsenal inteiro na agulha. Não se trata de uma loja online, mas eles atendem a clientes do mundo todo – você pode combinar o envio diretamente com eles… ou então ir buscar sua compra. É possível também visitar o acervo com hora marcada.

E é bom reservar ao menos um dia todo para olhar tudo, porque a variedade de itens é imensa.

A começar pelas miniaturas. A Collector Studio trabalha com peças de alto nível, extremamente fiéis aos carros de verdade. As escalas são várias, começando nas 1:43 e passando pelas 1:18, 1:12, 1:4 e até mesmo 1:1. A seleção não está restrita a carros antigos ou modernos – há um pouco de tudo, como monopostos de Grand Prix das décadas de 1930 a 1960; e esportivos de todas as eras.

Há carros de competição e de rua, e também miniaturas mais específicas, como chassis e motores – e estas são as mais interessantes. É possível, por exemplo, comprar a miniatura de um chassi de Ferrari 250 GTO ou de Mercedes-Benz 300SL Gullwing, ou a reprodução em escala de um motor de Bugatti Chiron para usar como decoração na sala ou na garagem.

Entretanto, as miniaturas são os itens mais comuns, que se encontra em outros lugares – bem como os itens de literatura que os caras vendem. A coisa começa a ficar mais séria quando vemos os itens históricos.

É possível, por exemplo, comprar pôsteres originais de eventos históricos, como a Mille Miglia, 24 Horas de Le Mans e várias corridas de Grand Prix – icluindo as da era pré-Fórmula 1 –, e também da Nascar, provas de rali e corridas de arrancada. Estes itens genuínos por vezes sequer estão impecáveis, mas são valiosos – tanto que, em muitos casos, o preço sequer está publicado no site. É uma forma de afastar curiosos e atrair apenas reais interessados.

Também há pinturas originais, em óleo sobre tela, que no site também são separadas por tipo de carro (de rua ou de competição) e por era – do pré-guerra aos tempos modernos, da década de 1970 para cá. São peças artísticas de verdade, e algumas delas chegam perto dos CA$ 20 mil (quase R$ 70.000).

Mais incríveis do que estes itens, porém, são as peças históricas que a Collector Studio disponibiliza – coisas que beiram o inacreditávei, como capacetes e macacões utilizados por pilotos lendários. Que tal, por exemplo, o capacete de couro de Louis Chiron, automobilista francês que foi um dos grandes nomes da Bugatti, acompanhado de luvas e óculos? É só desembolsar CA$ 15.000 (R$ 51.000).

Prefere o capacete Bell que Bruce McLaren usou em 1968 e 1969, quando já estava na Fórmula 1 com sua própria equipe? Tranquilo: tem CA$ 35.000 (R$ 120.000).

O capacete que Emerson Fittipaldi usou em 1974 e 1975, ao volante do McLaren M23? CA$ 16.500 (R$ 56.100).

Um macacão que Stirling Moss usou em 1960 no GP da Nova Zelândia custa CA$ 15.000 (R$ 51.000). A jaqueta que Stirling Moss usava durante as filmagens de “As 24 Horas de Le Mans” em 1971? Bem… você vai ter de ligar para perguntar o valor.

Itens mais novos também têm espaço – como o macacão que Rubens Barrichello usou no GP da Malásia de 2003, corrida que terminou na segunda posição. Custa CA$ 7.000 (R$ 24.000 em conversão direta).

Dá até para comprar troféus genuínos – como o troféu da Mille Miglia de 1937, corrida vencida pela dupla de italianos Carlo Maria Pintacuda e Paride Mambelli, que custa CA$ 35.000 (R$ 119.000). O troféu que Juan Manuel Fangio levou para casa quando venceu o GP de Monza em 1955 também está à venda, e este sequer teve seu preço publicado.

E, por incrível que pareça, estes itens mais valiosos têm bastante rotatividade – por vezes, mesmo que ainda estejam anunciados no site, eles já foram vendidos. Mas a Collector Studio se compromete a encontrar algo semelhante, caso o cliente esteja mesmo disposto. Alguém aí a fim de comprar alguma coisa em sociedade?

Matérias relacionadas

Folk Racing: a categoria de rali mais barata e divertida da Finlândia – onde todos os carros estão à venda!

Dalmo Hernandes

De volta aos anos 80: relembre os carros mais vendidos da década no Brasil

Leonardo Contesini

Os recursos e características inúteis (ou quase) mais legais que estão nos carros

Dalmo Hernandes