A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Corolla mais caro, Cruze mais barato, os novos Mercedes GLE e Lexus no Brasil, um Ruf de rali e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Como será o Renault Captur nacional em 2021

A Renault apresentou nesta semana as novidades do Renault Kaptur para 2020 na Rússia. O modelo, como você deve saber, é a versão local do nosso Captur (ou o contrário, se preferir), o que significa que podemos ver hoje a atualização que a Renault pretende fazer no crossover brasileiro em 2021.

Aparentemente ele não mudou tanto: há apenas retoques sutis na grade, nos faróis e rodas novas e nada muito além disso. Por dentro, ele ganhou um novo painel, mas a única foto divulgada não revela os detalhes — nota-se um novo capuz do quadro de instrumentos, novas saídas de ar e um aplique sobre o porta-luvas.

 

A principal novidade, contudo, está onde os olhos não veem: o modelo agora usa a plataforma B0+, uma evolução da B0 usada atualmente pelo Captur brasileiro que, segundo a Renault russa, tem 55% dos componentes renovados, além de ser mais leve e mais rígida. É a mesma plataforma da segunda geração do Renault Duster, com quem o Captur sempre compartilhou sua base.

A outra novidade é o motor 1.3 turbo desenvolvido em parceria com a Daimler-Benz — o que explica sua ausência na nova geração do Duster, ao menos por enquanto. Em termos comerciais o Duster turbo acabaria matando o Captur nacional enquanto a nova motorização não chega a ele — a Renault aparentemente segurou a novidade para o modelo de topo para depois oferecê-lo no Duster. Além da dupla franco-romena, quem também será equipado com este motor é o novo Mercedes GLA200, que chega ao Brasil ainda neste ano, além do A200 Sedã, já oferecido no Brasil.

No Duster e no Captur este motor deverá ser oferecido em sua versão intermediária, de 163 cv — ou mais, caso ganhe uma versão flex. O lançamento no Brasil está previsto para 2021. (Leo Contesini)

 

Toyota registra peças do novo crossover compacto no Brasil

Não sei se você já notou, mas a Toyota é a única fabricante que ainda não entrou no jogo dos crossovers compactos no Brasil. Eles até cogitaram trazer o CH-R (ou C-HR ou C-RH ou C-HR ou qualquer nome pouco inspirado e burocrático desse tipo), mas, no fim das contas, cancelaram os planos. Só que o segmento se tornou grande demais para ser ignorado por uma marca que depende muito do Corolla e da Hilux no Brasil, então agora eles cogitam trazer um novo crossover que, ao que tudo indica, será o Toyota Raíze.

As suspeitas são corroboradas pelos registros que a Toyota fez nesta terça-feira (10) junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial, o INPI. A marca registrou alguns componentes, dentre os quais o para-choques dianteiro do crossover Raíze. Some isso ao fato de a Toyota ter anunciado um investimento de R$ 1 bilhão para produzir um modelo novo e temos um forte indício de que será ele este novo carro. (Leo Contesini)

 

Sedãs médios: Toyota Corolla fica mais caro e Chevrolet Cruze fica mais barato

Nesta semana, dois representantes do segmento dos sedãs médios tiveram reajustes em seus preços. O Corolla, líder do segmento que vendeu mais do que todos os rivais somados em fevereiro de 2020, acaba de ficar mais caro pela segunda vez desde o lançamento no ano passado.

Todas as versões tiveram aumento de preço. O Corolla GLi, versão de entrada, agora sai por R$ 102.990 – um acréscimo de exatos R$ 1.000. Já o intermediário Corolla XEi passou de R$ 112.990 para R$ 114.990 (R$ 2.000 a mais). O Corolla Altis 2.0 foi de R$ 128.990 para R$ 130.090 (um aumento de R$ 1.100). As três versões são movidas por um motor 2.0 naturalmente aspirado de 177 cv e 21,4 kgfm de torque, acoplado a uma caixa CVT com 10 marchas simuladas.

O Corolla Altis híbrido, com motor 1.8 de 101 cv mais dois motores elétricos que elevam a potência combinada para 123 cv, passou de R$ 128.990 para R$ 130.090 (R$ 1.100 a mais). O Altis Premium, versão de topo, foi de R$ 135.990 para R$ 137.990 (R$ 1.400 a mais).

Nos parece uma questão de oferta e demanda – a Toyota está em uma posição extremamente confortável e sabe que seus clientes fiéis não se importarão e pagar um pouco mais por aquele que, de fato, é atualmente o sedã mais moderno entre os médios.

Por outro lado, a Chevrolet decidiu reduzir o preço do Cruze, que atualmente é o terceiro sedã médio mais vendido do Brasil, atrás do Corolla e do Civic. A versão LT, de entrada, foi de R$ 101.190 para R$ 98.750 – uma redução de R$ 2.440. As versões Premier I e II também ficaram mais em conta: a primeira passa de R$ 111.090 a R$ 108.750 (R$ 2.340 a menos); e a segunda vai de R$ 122.890 para R$ 120.750 (R$ 2.140 a menos). Todas são equipadas com o motor 1.4 turbo flex de 153 cv acoplado a uma caixa automática de seis marchas.

A redução de preço também vale para o hatchback Cruze Sport 6. A versão LT, de entrada, passa de R$ 101.190 a R$ 98.750 (menos R$ 2.440). O Premier I cai de R$ 112.090 para R$ 109.750 (redução de R$ 2.340); e o Premier II, que antes custava R$ 123.890, agora sai por R$ 121.750 (R$ 2.140 a menos). É uma estratégia contrária à Corolla, mas pode funcionar, visto que o Cruze mesmo o Cruze LT traz um conjunto mecânico interessante por menos de R$ 100.000 – algo cada vez mais raro no segmento dos médios. (Dalmo Hernandes)

 

Ruf apresenta conceito inspirado nos Porsche 911 de rali

A Ruf, conhecida por seus esportivos baseados no Porsche 911, acaba de apresentar um conceito… diferente: o Ruf Rodeo, que busca inspiração nos Porsche 911 que participavam de ralis de longa duração, como o Dakar e o Safari Rally.

O carro usa o mesmo monobloco de fibra de carbono sobre o qual é feito o Ruf SCR, e o motor é o mesmo boxer arrefecido a ar de quatro litros, porém com potência ligeiramente menor – de 510 cv para 500 cv. Entretanto, sua personalidade é totalmente diferente – menos pista e mais longas trilhas no deserto. Isto posto, o carro ainda é capaz de ir de zero a 100 km/h em três segundos cravados.

Para isto, ele tem suspensão mais alta, pneus de uso misto, quebra-mato, para-choques mais robustos e acessórios como rack de teto (com bolsa inclusa), uma pá presa a suportes na tampa traseira e guincho. A pintura é em dois tons, com areia na parte superior e verde militar com acabamento fosco na parte inferior.

Embora a estética não seja para qualquer um, é uma ideia interessante – especialmente considerando o platô em que se encontram os projetos baseados no Porsche 911, com inúmeras empresas criando restomods inspirados pela Singer, pelos RWB de Akira Nakai ou pelos Outlaw de Magnus Walker. É bom ver algo mais criativo assim. E temos certeza de que, com uma pintura mais tradicional, o Ruf Rodeo ficaria bem mais atraente.

Embora seja um conceito, a Ruf não descarta a produção de uma pequena série para o público – considerando até mesmo dar aos clientes a opção por um motor 3,6 biturbo de 3,6 litros e 650 cv. (Dalmo Hernandes)

 

Novo Mercedes-Benz GLE de sete lugares é lançado e parte de R$ 465.000

Tem meio milhão sobrando e quer comprar um SUV? Não vamos te julgar. Ao contrário: vamos falar de uma nova opção – o novo Mercedes-Benz GLE, que foi lançado ontem (10) no Brasil, custando a partir de R$ 465.900.

A Mercedes-Benz decidiu trazer seu novo SUV de sete lugares em duas versões. O GLE 400d 4MATIC é movido por um seis-em-linha turbodiesel de três litros com 330 cv e 71,4 kgfm de torque, enquanto o AMG 53 4MATIC+ tem um seis-em-linha a gasolina de três litros com 435 cv e 53 kgfm de torque. Ambos os motores são acoplados à caixa automática de nove marchas 9G-Tronic da Merces-Benz.

Considerando sua faixa de preço, o GLE tem a obrigação de oferecer uma boa seleção de equipamentos. Esta inclui duas telas de 12,3 polegadas no painel, uma para o quadro de instrumentos e a outra para o sistema multimídia MBUX com inteligência artificial e reconhecimento de voz; navegador por GPS com realidade aumentada; heads-up display; câmera de 360° e suspensão adaptativa Airmatic. (Dalmo Hernandes)

 

Lexus RX450 ganha motorização híbrida com preço a partir de R$ 372.000

Outro SUV lançado ontem (10) foi o Lexus RX450h, híbrido que faltava na linha da fabricante no Brasil. O modelo é equipado com um V6 a gasolina de 3,5 litros com 262 cv, mais dois motores elétricos – um na frente, com 167 cv, eu um na traseira, com 68 cv. Combinados, todos os motores entregam potência máxima de 313 cv. O câmbio é automático de oito marchas, e leva a força do conjunto para as quatro rodas sob demanda.

O RX450h vem em duas versões: Luxury, que custa R$ 371.990, e F-Sport, que sai por R$ 381.990. A primeira tem foco mais luxuoso e sete lugares, enquanto a segunda é mais voltada à esportividade e, assim, tem cinco lugares. A Luxury é um pouco melhor equipada – por exemplo, com câmera de 360°, enquanto o F-Sport só têm câmera de ré.

Equipamentos comuns a ambas as versões incluem bancos dianteiros contam com ajustes elétricos e memória; computador de bordo; sistema de som com sete alto-falantes, quatro tweeters e subwoofer; e central multimídia com tela de 12,3 polegadas e integração com smartphones Android e iOS. (Dalmo Hernandes)

Matérias relacionadas

Cinco cilindros, turbo, tração integral e 900 cv: a insanidade do Dahlback Golf RSi

Dalmo Hernandes

Feliz ano novo, caro FlatOuter! Eis nossas resoluções para o ano novo: nos conte as suas!

Juliano Barata

Jeremy Clarkson confirma novo programa, McLaren P1 GTR terá versão de rua, um trem de passageiros a 603 km/h, nova Hilux aparece antes da hora e mais!

Leonardo Contesini