A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Este cara comprou um DeLorean e decidiu se tornar um designer automotivo por causa dele

Como muitos garotos que viveram nos EUA na década de 1980, Geoff Ombao era um fã do DeLorean DMC-12 – ele diz que havia um exemplar perto de sua casa e, quando o via passando, era como se Papai Noel estivesse dirigindo um caminhão de sorvete. Em 2006, ele conseguiu encontrar um belo exemplar e o comprou, mas este é só o começo da história.

No mais recente vídeo feito pelos caras do Petrolicious, Geoff deixa claro logo de cara: sim, o DeLorean é famoso por sua participação na trilogia “De Volta para o Futuro” – na verdade, talvez o carro nem fosse lembrado se não fosse pelos filmes estrelando Michael J. Fox e Christopher Lloyd (John DeLorean até escreveu uma carta ao diretor Rob Zemeckis como forma de agradecimento). Só que Geoff sabe que há muito mais para admirar no DeLorean do que o fato de ele ter sido transformado em uma máquina do tempo no cinema.

Depois de passar por todo aquele processo de procurar anúncios na internet, fazer alguns test drives, descobrir que os carros não estavam tão bons assim e procurar mais, finalmente Geoff encontrou um exemplar à altura: um DMC-12 fabricado em 1982 – o segundo dos três anos em que o modelo foi produzido – com apenas 19 mil milhas (cerca de 30 mil km) no hodômetro e muito bom estado de conservação.

Acontece que esta história não trata da realização de um sonho – ao menos, não de um único sonho. Porque Geoff decidiu perseguir uma antiga ambição e, de certo modo, seu DeLorean o ajudou nesta.

delorean-dmc-12-geoff (1)

Foto: valkyrfilm/Flickr

Ele diz que todo mundo sabe o que é um DeLorean, ou ao menos o reconhece como o carro de “De Volta para o Futuro”. Agora, os verdadeiros entusiastas sabem que a história do carro em si também daria um belo filme.

Resumindo (pois já contamos tudo aqui e você realmente deveria ler, se já não o fez): John DeLorean era um dos altos executivos da General Motors nos anos 1960, e recebe os créditos por ter estimulado o desenvolvimento do Pontiac GTO em meados dos anos 60, inaugurando o segmento dos muscle cars como o conhecemos hoje. Contudo, em 1973 ele decidiu correr o risco de abrir sua própria companhia e lançar seu próprio carro.

Esta companhia era a DeLorean Motor Company e seu primeiro e último modelo foi o DMC-12 (por isso o carro costuma ser chamado pelo nome de sua fabricante), lançado em 1981 depois de seis anos em desenvolvimento.

delorean-dmc-12-geoff (5)

Foto: valkyrfilm/Flickr

O DeLorean era fabricado sob contrato por uma empresa da Irlanda do Norte, e Geoff lembra que as primeiras unidades foram construídas por uma equipe que não tinha experiência alguma na produção de automóveis. Por isso, o acabamento dos carros não era dos melhores, bem como a qualidade de construção. O carro dele, contudo, já faz parte da segunda leva e, por isso, tem acabamento mais caprichado, painéis bem encaixados e é um carro relativamente confiável. E um detalhe: seu DeLorean é equipado com câmbio manual – que era opcional e, apesar de não custar nada na época, é bastante raro.

delorean-dmc-12-geoff (3)delorean-dmc-12-geoff (6) delorean-dmc-12-geoff (2)

 

Fotos: valkyrfilm/Flickr

De qualquer forma, com câmbio manual ou automático, o motor V6 PRV (Peugeot Renault Volvo) de 130 cv nunca foi capaz de entregar desempenho à altura do visual arrojado e futurista do DMC-12. Mesmo assim, Geoff diz que a experiência de dirigir o carro é sempre agradável e única: a posição ao volante, dirigindo quase deitado, a direção sem assistência e muito comunicativa, os olhares das pessoas na rua, tornam os momentos atrás do volante realmente agradáveis.

delorean-dmc-12-geoff (9)

Foto: valkyrfilm/Flickr

Só que, mais do que isto, o DeLorean de Geoff transformou (na verdade, ainda está transformando) sua vida. Assim como a vontade de construir o DMC-12 levou John DeLorean a abandonar a GM e fundar sua própria companhia, a compra de seu próprio exemplar deu a Geoff a coragem que ele precisava para largar o emprego corporativo depois dos 40 anos, entrar para a faculdade e se tornar um designer automotivo.

“Sempre quis projetar carros, mas meio que esperava que comprar um carro clássico saciasse esta necessidade, mas isso não aconteceu”, ele conta. “Na verdade, acabou me deixando com ainda mais vontade. Então eu pensei: se não fizer isso agora, não faço mais.”

Geoff, então, montou um portfólio, inscreveu-se em uma faculdade de design e disse a si mesmo que, se fosse aceito, largaria o emprego e voltaria a estudar.

delorean-dmc-12-geoff (7) delorean-dmc-12-geoff (8)

Fotos: valkyrfilm/Flickr

Ele foi aceito, e diz que foi a história do DeLorean quem o inspirou. “Existem milhares destes belos carros por aí, e eu posso me tornar uma das pessoas que projetam estes carros”.

Temos certeza de que sim e torcemos para que, diferentemente do que aconteceu com John DeLorean – que foi acusado de envolvimento com tráfico de cocaína e, ainda que tenha sido declarado inocente, teve sua reputação manchada para sempre –, a coragem de Geoff em abandonar sua carreira para perseguir um sonho renda-lhe belos frutos.

delorean-dmc-12-geoff (10)

Foto: valkyrfilm/Flickr

Matérias relacionadas

Drift All Stars: é assim que se faz um campeonato de drift no centro da cidade

Dalmo Hernandes

VW Golf R enfrenta o Audi RS3 Sportback na pista – mas qual é o hyper hatch mais rápido?

Dalmo Hernandes

Este cara ultrapassa o grid todo (sim: de último a primeiro) em três voltas em Laguna Seca – e é nosso novo herói

Dalmo Hernandes