FlatOut!
Image default
Zero a 300

O novo Fiat Fastback | a nova categoria de turismo brasileira | VW Gol é o mais vendido em julho e mais!


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Aí está o Fiat Fastback

Fiat Fastback

O Volkswagen Nivus agora tem um rival de peso: a Fiat apresentou nesta última quarta-feira (3) o aguardado Fiat Fastback, seu “SUV-coupé” que havia sido antecipado por um conceito no Salão do Automóvel de 2018. 

Diferentemente do conceito, que tinha a dianteira da picape Toro — e, por isso, era chamada de “SUV da Toro” —, o Fiat Fastback compartilha a identidade visual do Pulse. As linhas gerais do carro — a silhueta, conjunto óptico traseiro e proporções dos volumes — se mantiveram fieis ao conceito, contudo.

Fiat Fastback

Toda a dianteira é compartilhada com o Pulse, e o para-choques parece ter vindo do Pulse Abarth — falando em Abarth, aguardamos ansiosamente o Fastback Abarth, que soa promissor como um esportivo de uso diário, especialmente conhecendo o histórico do pessoal que acerta os esportivos da Fiat.

Um olhar mais crítico sobre a foto do carro capturado de frente (3/4 frontal) revela as limitações da plataforma: o conceito tinha o entre-eixos e o balanço traseiro mais harmônicos que o modelo de produção. Olhando o carro pela lateral traseira, contudo, esta impressão é amenizada.

Infelizmente a Fiat não divulgou fotos do interior, mas ele não deverá ser muito diferente do Pulse — isso, claro, se não for o mesmo. São limitações inerentes ao compartilhamento de plataforma, que define a arquitetura elétrica/eletrônica do carro e impede variações mais extensas.

Também ficamos esperando os detalhes técnicos sobre motor e câmbio, mas o que esperar além do motor 1.0 turbo de 130 cv e 20,3 kgfm, e do motor 1.3 aspirado de 107 cv, todos combinados à transmissão CVT? Ou, quem sabe, o 1.3 turbo de 185 cv com câmbio automático de seis marchas? (Leo Contesini)

 

Gol retorna à liderança do mercado em julho

Esta sim é uma surpresa: o Volkswagen Gol, prestes a deixar de ser produzido, superou a Fiat Strada e retornou ao topo do ranking de vendas em julho. O modelo teve nada menos que 11.925 unidades vendidas — 1.028 a mais que a Fiat Strada — e trocou de posições com a picape, que foi o segundo modelo mais vendido em julho.

O desempenho do Gol surpreendeu especialmente por superar o recém-atualizado Hyundai HB20, que perdeu o terceiro lugar para o Chevrolet Onix (8.837 unidades) e fechou o mês de julho como o quarto modelo mais vendido (8.156 unidades).

Parte do desempenho do Gol pode ser explicada pela paralisação da fábrica em abril devido à falta de componentes. Isso “represou” as vendas, que começaram a ser faturadas após a retomada da produção. Some isso ao fato de o Gol ainda ser um produto procurado por frotistas e você tem a receita do sucesso derradeiro do modelo, que está completando 14 anos neste ano.

Outra novidade é a volta do Onix Plus ao top 5. O sedã, que vinha meio apagado na primeira metade do ano, voltou a ter um bom desempenho de vendas com 8.135 unidades em julho, superando o Fiat Argo (6.103 unidades), o sexto colocado.

A partir daqui o ranking tem apenas SUV, mas não aqueles que você está imaginando. Nada de Jeep Compass, nem Jeep Renegade ou Volkswagen T-Cross. O SUV mais vendido em julho foi o Chevrolet Tracker (5.998 unidades), seguido pelo Fiat Pulse (5.300 unidades) e pelo, pasmem, Nissan Kicks (5.221 unidades). O Hyundai Creta (5.125 unidades) fechou o top 10. O desempenho da Chevrolet se deveu claramente ao reestabelecimento parcial dos componentes, cuja escassez afetou mais a fabricante engravatada do que outras por aqui.

  1. VW Gol – 11.925 unidades
  2. Fiat Strada – 10.897 unidades
  3. Chevrolet Onix – 8.837 unidades
  4. Hyundai HB20 – 8.156 unidades
  5. Chevrolet Onix Plus – 8.135 unidades
  6. Fiat Argo – 6.103 unidades
  7. Chevrolet Tracker – 5.998 unidades
  8. Fiat Pulse – 5.300 unidades
  9. Nissan Kicks – 5.221 unidades
  10. Hyundai Creta – 5.125 unidades
  11. VW Voyage – 4.776 unidades
  12. Renault Kwid – 4.489 unidades
  13. Jeep Compass – 4.402 unidades
  14. Fiat Toro – 4.333 unidades
  15. Jeep Renegade – 4.264 unidades

Já saindo do top 10, vale mencionar a outra surpresa da Volkswagen: o Voyage foi o 11º carro mais vendido em julho, com 4.776 unidades. Ele superou Renault Kwid (4.489 unidades), Jeep Compass (4.402), Fiat Toro (4.333) e Jeep Renegade (4.264). É interessante notar que os números de Fiat Toro e Jeep Renegade não tiveram uma variação significativa — a dupla perdeu posições para os modelos que aumentaram seu volume de vendas, caso dos Chevrolet, em especial. (Leo Contesini)

 

TN Pro, a nova categoria de turismo brasileira

Você esperava uma nova categoria de turismo de baixo custo em pleno 2022, no Brasil? Pois ela irá estrear neste próximo fim de semana em Interlagos. Trata-se da TN Pro (Turismo Nacional Pro), que combinará monoblocos de modelos de rua a um motor unificado de 2 litros, 16 válvulas e 200 cv.

Os modelos elegíveis para a nova TN PRO são os hatches compactos produzidos nos últimos 10 anos no Brasil: Volkswagen Gol, Chevrolet Onix, Fiat Mobi, Ford New Ka, Volkswagen UP!, Peugeot 208, Fiat Argo, Citroën C3, Hyundai HB20, Fiat Uno, Toyota Etios, Nissan March, Volkswagen Polo, Renault Sandero e Toyota Yaris.

Os carros receberão, além do motor desenvolvido pela Stock Tech (divisão da Vicar que faz os motores da Stock Car), uma transmissão sequencial de seis marchas com trocas por paddle shifters. A categoria será posicionada acima da Turismo Nacional, que atualmente corre com motores 1.6 de 170 cv e câmbio manual. O custo médio por etapa será de R$ 27.000.

A estreia acontece neste final de semana em Interlagos, juntamente com a Fórmula 4 e Mercedes-Benz Challenge. Os ingressos são gratuitos, mas devem ser retirados na portaria principal do autódromo de Interlagos.

A programação começa nesta quinta-feira (4) comum treino especial de seis horas, entre 12h e 18h, para adaptação dos pilotos ao novo carro. Na sexta-feira começam os treinos livres e a sessão de classificação será realizada no sábado pela manhã.

Ainda no sábado serão realizadas quatro provas da categoria. A primeira inicia às 11h05 com duração de 20 minutos. Em seguida, o safety-car será acionado para o realinhamento da corrida 2, mantendo o mesmo grid da corrida 1. À tarde, a partir de 16h35, os carros voltam à pista, com grid invertido, para a corrida 3, que seguirá o mesmo esquema das corridas da manhã: 20 minutos, realinhamento e segunda corrida sem inversão de grid.

No domingo ocorrem mais duas corridas de 20 minutos e uma volta final após o tempo estabelecido. As corridas acontecem às 12h55 e às 15h20. (Leo Contesini)

 

Toyota nega garantia de GR86 por uso em pista

Esta semana, o motor perpétuo de treta que chamamos de “redes sociais” foi acionado novamente para fazer todo mundo, em todo o mundo, saber que um certo cidadão estadunidense chamado Blake Alvarado (por incrível que pareça, não é nome inventado) perdeu o motor de seu Toyota GR86 novinho, com 22 mil km rodados, e teve o conserto em garantia negado pela Toyota por ter usado o carro em track-day.

Primeiro vamos falar do óbvio, a parte da Toyota neste latifúndio: os motores Subaru dos GR86, das duas gerações, são conhecidos por, em situações específicas, se autodestruírem em uso extremo. É só um daqueles fatos que os amantes do carro sabem que devem conviver, embora neguem veementemente se perguntados.

Mas não importa: certamente não devia acontecer em carros novos, e é um contrassenso total negar garantia por esses motivos num carro como o GR86. A Toyota ativamente explora o uso em pista como uma característica desejável deles, com carros de lado em propagandas e tudo mais. Feio pacas isso. Shame on you, Toyota!

Dito isso, um pouco de realidade para os queridos leitores que ainda não se tocaram disso. O uso em pista invalida a garantia de QUALQUER carro. Ponto final. Já leram os seus contratos de garantia? Então, eu também não, mas sei que essa cláusula está lá.

O que significa, gente, que ao entrar na pista com um carro, você está por sua conta e risco. Lembre também que acidentes acontecem, inclusive fatais. O risco não é grande, mas existe. Como nas ruas também, não importa quantas estrelas seu possante consiga no LatinNCAP.

Devemos deixar de ir para pista então? Claro que não! Mas temos que fazê-lo como adultos responsáveis que sabem o que estão fazendo. Ignorância da lei não é atenuante, qualquer advogado vai lhe dizer. E hoje, onde tudo é filmado, registrado, e subido para uma tal de nuvem que todo mundo pode acessar… bem, vai ser difícil enganar alguém, se você pretendia fazer isso ao ler o que disse. E por pensar em enganar alguém, shame on you!

Ou seja, essa história do senhor Alvarado é uma daquelas onde não há heróis, só vilões. Os dois lados estão errados de uma forma ou de outra. Mas ainda assim, é uma mancha muito pior na reputação da Toyota, se você me perguntar.(MAO)

 

VW discute futuro do Golf

O dilema já está começando para os fabricantes europeus. Com o banimento de motores à combustão interna no horizonte, as empresas começam a ter que se decidir para que lado andar; desenvolver dois carros diferentes, um para Europa e outro para o resto do mundo, não será sempre viável. É necessário escolher.

É o caso da VW, que em transição de liderança, parece estar revendo seus planos futuros. Em entrevista ao jornal alemão Welt, Herr Doktor Thomas Schäfer, o chefe da VW, disse que ainda não foi tomada uma decisão sobre o desenvolvimento de um Golf de nona geração.

Schäfer, é claro, está questionando o futuro do Golf por causa dos custos crescentes de desenvolvimento de algo que efetivamente terá seu volume de venda revertido a zero na Europa. Fora o banimento, espera-se que o Euro 7 aumente os preços de um carro movido a gasolina ou Diesel em € 3.000 a € 5.000 (uma faixa equivalente a de R$ 16.000 a R$27.000!!), de acordo com Schäfer. Ele continuou dizendo que, por isso, o fim está próximo para carros de € 10.000 (R$ 60.000 aproximadamente) na Europa.

O CEO afirma que uma decisão final será tomada nos próximos 12 meses. Ele disse que, com carros pequenos, é complicado compensar os custos de desenvolvimento mais altos que acompanham o Euro 7, o que também coloca em xeque o futuro do Polo. A Audi já disse que vai dar adeus ao A1. A resposta ao dilema é clara, infelizmente: é elétrico só agora e pronto. É a obrigação do CEO agir para atender legislações futuras, ainda que claramente, seja um tiro no pé: O que é a VW sem carros acessíveis? (MAO)

 

Mercedes-AMG One treina para recorde em Nurburgring

Se você não voltou agora de uma viagem de 50 anos à Saturno, sabe que todo supercarro moderno, e mesmo qualquer carro com alguma pretensão esportiva, é severamente julgado pelo público baseado em seu tempo ao redor do Nurburgring Nordschleife.

Não importa o quão irrelevante isso seja no mundo real, não importa que os métodos de medição não sejam normalizados (e portanto, impossíveis de comparar), não importa nada disso: a realidade é que as pessoas julgam com base nele, e pronto.

Então é algo importante. Muito. E não é surpresa nenhuma que a AMG está preparando uma tentativa de recorde para seu “fórmula 1 de rua”, o Mercedes-AMG One. Um filme dos preparativos e treinos da tentativa recentemente apareceu no Youtube.

O recorde atual de veículos de produção em Nordschleife é de 6 minutos e 43 segundos de um Porsche 911 GT2 RS com atualizações aerodinâmicas, de suspensão e freios da Manthey Racing. Por causa das modificações, a Mercedes, a detentora do título anterior, recusa o recorde como sendo de um carro de “produção”. Seu AMG GT Black Series deu a volta no percurso em 6:43.61.

O One definitivamente tem chance de ser recosrdista; é para isso que foi criado afinal de contas. O carro atinge 100 km/h em 2,9 segundos, e 200 km/h em 7 segundos, e não para de acelerar até atingir 352 km/h. Velocidade, ele tem; vamos esperar para ver se se traduz em tempo de volta. (MAO)


Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicos, histórias de carros e pilotos, avaliações e muito mais!

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: 30% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, participação no nosso grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!). Exponha ou anuncie até sete carros no GT40 e ainda ganhe descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$ 26,90 / mês

ou

Ganhe R$ 53,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura básico. 15% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesse todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de poder expor ou anunciar até três carros no GT402.

R$ 14,90 / mês

ou

Ganhe R$ 29,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

ESTA Chevy GMC 500 2.0 16V Turbo
PODE SER SUA!

Clique aqui e veja como