A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos Sessão da manhã

Gymkhana com um trator turbo: a insanidade sueca do Traktor Terror

Assim como as picapes, tratores são veículos de trabalho, porém ainda mais rudimentares: eles não foram feitos nem mesmo para andar em vias públicas. Sendo assim, até dá para entender uma picape preparada ou esportiva, mas um trator esportivo é quase idiotice. Bem, diga isso para esses escandinavos, que usaram um motor Volvo turbinado para criar o “TRAKTOR TERROR”! OK, o nome nem é escrito em maíusculas, mas fica muito mais legal assim.

Não se sabe muito sobre este trator. Na verdade, nem mesmo seus criadores sabem exatamente o quanto de potência ele entrega — o que se sabe é que ele tem um motor de 2,3 litros (ou 2,1 litros, dependendo da fonte) a gasolina com comando no bloco, vindo de um Volvo 940, e um turbocompressor para produzir cerca de 220 cv. Não é um número exato, mas é o suficiente para fazer isto:

É preciso mesmo muita força para conseguir fazer aqueles enormes e pesados pneus girarem rápido a ponto de gerar um burnout, mas eles conseguem. E é claro que o motor não foi simplesmente tranplantado no chassi do trator: ele também recebeu o cabeçote de um Volvo 240 e o sistema turbo recebeu o intercooler do Volvo 740. A ignição Prospark é a mesma dos modelos turbinados da Saab, que também cederam o sistema de injeção de combustível.

Dá para chegar aos 100 km/h com este frankenstein — o que, para um trator, é bastante. E para garantir a segurança, a ex-máquina agrícola recebeu suspensão dianteira ajustável e teve a parte dianteira do chassi alongada, para aumentar o entre-eixos e melhorar um pouco a estabilidade, além de uma gaiola de proteção para o caso de algum acidente.

 

O Traktor Terror é presença constante em eventos nos países escandinavos, e não precisamos dizer que ele faz muito sucesso por onde passa, não é?

Tanto sucesso, na verdade, que recentemente seus criadores fizeram um vídeo promocional com ele — ao melhor estilo Ken Block, com manobras arriscadas (ele até anda sobre duas rodas!) ao som de um dubstep frenético. Tudo é tão contraditório que chega a ser engraçado:

Poderíamos passar o dia todo fazendo drifts, burnouts e acelerando o Traktor Terror até o limite. Na verdade, poderíamos até mesmo inaugurar uma sede rural para o FlatOut (com acesso a todos os motores e peças que conseguirmos, claro). Quem se habilita a fazer algo parecido por aqui?

Matérias relacionadas

Citroën Origins: o fascinante museu virtual interativo da Citroën vai acabar com sua produtividade

Dalmo Hernandes

Mountune M520: como transformar o Focus RS em um monstro

Dalmo Hernandes

Lado B: os carros e cenas rejeitados dos três primeiros “Velozes e Furiosos”

Dalmo Hernandes