FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Honda pode lançar novo SUV compacto no lugar do WR-V, novo Subaru WRX será revelado em 19 de agosto, Toyota impõe restrições de revenda ao Land Cruiser e Yaris GR e mais


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Honda WR-V pode dar lugar a novo SUV compacto

Com o segmento dos SUVs compactos bastante aquecido já há alguns anos, a Honda é mais uma fabricante a almejar uma fatia do bolo. Mas, para isso, terá de se virar – atualmente, o representante da japonesa no Brasil é o WR-V, derivado do Fit.

O problema do WR-V é justamente ser parecido demais com o Fit enquanto os modelos mais bem sucedidos do segmento são muito mais evoluídos – Volkswagen T-Cross e Nivus, Chevrolet Tracker, Hyundai Creta e Nissan Kicks também derivam de outros carros compactos, mas possuem identidade própria muito mais forte. E agora que o novo Fit dificilmente chegará ao Brasil (não dá para descartar totalmente a possibilidade, porém), o momento é oportuno para a mudança.

 

Pois, de acordo com o site Autocar India, a Honda já está trabalhando no sucessor do WR-V – que será vendido em mercados emergentes, como o nosso. A publicação diz que o carro será desenvolvido sobre a plataforma do atual City (que já compartilha a arquitetura do novo Fit), com carroceria toda nova e, em mercados como a própria Índia, até mesmo uma versão de sete lugares.

Sendo derivado do City, o SUV utilizaria os mesmos motores – um 1.0 turbo três-cilindros e um 1.5 aspirado de quatro cilindros (que, ao que tudo indica, será o motor oferecido no Brasil). Sobre o nome, especula-se a manutenção do atual – WR-V – mas também fala-se em S-RV ou Z-RV. Este último, segundo a própria Honda, é inspirado na Geração Z, e visa aproximar o veículo dos clientes mais jovens.

Os veículos da imprensa japonesa já previam a chegada desse novo SUV desde o ano passado, com previsão de lançamento para maio de 2021, chegando ao Brasil antes do fim do ano. Evidentemente isso não irá ocorrer como consequência da pandemia e seus diversos efeitos, mas não nos surpreenderemos se novidades forem divulgadas ao longo dos próximos meses. (Dalmo Hernandes)

 

Novo Subaru WRX será revelado em 19 de agosto

Quem teme pelo futuro do Subaru WRX pode ficar sossegado – diferentemente de seu maior rival, o Lancer Evolution, ele continua vivo e bem, e vai ganhar uma nova gereção daqui a menos de um mês. Sim, o novo WRX será revelado em 19 de agosto.

Como todo novo carro entusiasta hoje em dia, ele já nascerá com o peso de ser, possivelmente, o último de sua espécie. Ainda que seja cedo para afirmar se isso acontecerá mesmo, só isso já é motivo para que a Subaru capriche.

Por enquanto ainda há poucos detalhes sobre o carro, mas espera-se que ele mantenha o arranjo clássico de boxer turbo e tração integral. Atualmente o WRX usa o motor FA20, de dois litros e 272 cv, e a aposta é que a nova geração mantenha o conjunto com atualizações para chegar a pelo menos 300 cv.

Os teasers que a Subaru divulgou recentemente não revelam mais nada sobre o carro além da silhueta – uma das imagens até confirma que será um sedã de quatro portas, exatamente como o atual. Saberemos mais e poderemos até receber novidades sobre o futuro STi em um futuro bastante próximo. (Dalmo Hernandes)

 

Audi mostrará conceito Skysphere em 10 de agosto

 

A Audi é outra fabricante prestes a mostrar novidades – e uma delas será o conceito Skysphere, a ser revelado em 10 de agosto. Trata-se de um dos três conceitos da linha “Sphere” que serão revelados nos próximos anos, todos feitos pelo departamento de design da Audi na Califórnia, e visam apresentar conceitos estilísticos para os carros elétricos e autônomos que a fabricante pode lançar no futuro.

O Skysphere é o lado esportivo da tríade – inspirado nos Horch da década de 1930 (a Horch foi uma das fabricantes que deram origem à Audi), ele será um GT grande, luxuoso e veloz, com espaço para duas pessoas em um habitáculo luxuoso e high tech.

Além do Skysphere, a trilogia ainda terá o Grand Sphere, que será um sedã-cupê de quatro portas, e o Urban Sphere, uma espécie de minivan/crossover para uso nas cidades. Todos os três serão elétricos e terão tecnologia autônoma, permitindo que o interior se transforme em uma espécie de “lounge” quando o motorista não estiver dirigindo.

 

Próximo Chevrolet Camaro poderá ser um sedã elétrico

Depois do Mustang Mach-E, pode ser que o Chevrolet Camaro seja o próximo a romper com a tradição. E de forma ainda mais dramática: os últimos rumores sobre seu futuro dizem que o muscle car vai se tornar um sedã. De quatro portas. Elétrico.

A GM já prometeu que vai parar de fabricar carros a combustão no mundo todo até 2035 (até no Brasil, por mais irreal que isso pareça no momento). Com isso, o Camaro será um dos modelos tradicionais que podem ter o mesmo destino dos dinossauros. Até porque a última geração não foi exatamente um sucesso – apesar de ser superior à quinta geração em tudo, ele não agradou pelo estilo. Mesmo um facelift antes da hora não ajudou muito.

De acordo com o site Automotive News, a atual geração deverá ser produzida até 2024. Depois disso, há grandes chances de que o Camaro que conhecemos seja substituído por um sedã elétrico com o mesmo powertrain da picape elétrica Hummer H1, com capacidade para entregar mais de 1.100 cv – porém, em um pacote bem mais leve e com dinâmica superior em pista.

Em outros tempos, diríamos que é uma ideia absurda, mas o momento de transição da indústria para os elétricos e os desafios que o automóvel em si vem enfrentando globalmente torna planos ousados mais plausíveis – vide a Dodge e seu “eMuscle” previsto para 2024. Seria algo ainda mais radical que o Mach-E, na verdade, já que o Ford Mustang tradicional ainda está por aí e, diferentemente do Camaro, foi bem recebido. Apesar da reação inicial polarizada, o abandono da estética retrô se mostrou positivo para o pony car da Ford. (Dalmo Hernandes)

 

Toyota impõe restrições de revenda ao Land Cruiser e Yaris GR

Você talvez lembre do caso dos Porsche 911 R, que eram vendidos exclusivamente aos proprietários do 918 Spyder, mas que acabou nas mãos de especuladores que inflacionaram o modelo em menos de um ano após seu lançamento. Na ocasião, a Porsche se manifestou contrária à prática e, para resolver o problema, lançou uma versão do GT3 com as mesmas especificações do 911 R. Além disso, eles também anunciaram a criação de uma lista negra para aqueles que usarem sua posição na lista de clientes preferenciais para comprar edições especiais limitadas com o intuito de revender os carros.

Quando um produto se torna artificialmente inflacionado (ágio), existe um grande risco de perder parte da demanda, que simplesmente decidirá não pagar pela esperteza dos vendedores e procurar algo com melhor relação custo/benefício. Além disso, o planejamento de branding e marketing da marca fica comprometido, pois esta ação dos atravessadores manipula o mercado.
Mas no caso da Porsche, estamos falando de um esportivo consagrado pelo público, com potencial de valorização imediata — especialmente nestes tempos de transição dos automóveis para um futuro incerto. Estranho mesmo é a Toyota fazer isso com dois de seus modelos, o Land Cruiser e o Yaris GR. No mundo todo, a marca está impondo uma série de condições e restrições para quem comprar o novo utilitário e seu mais recente hot hatch. Entre as condições está a restrição de venda e um histórico de relacionamento coma marca, além da inclusão do nome em uma lista negra em caso de infração do contrato.

No caso do Land Cruiser, a situação é um tanto bizarra, porque não se trata de manter a exclusividade do modelo, mas de evitar que ele seja revendido a terroristas. Segundo uma investigação do Departamento do Tesouro dos EUA, o Toyota Land Cruiser é um dos carros mais comprados por organizações paramilitares, então, para coibir o uso de seus carros — e evitar ser vista como uma parceira de terroristas — a Toyota está impondo cláusulas de restrição na venda do Land Cruiser. Entre elas está a proibição de revenda do carro por 12 meses, além da inclusão do cliente em um cadastro negativo para que ele não volte a comprar um modelo Toyota caso infrinja esta regra.

Parece absurdo? Para um defensor das liberdades individuais pode ser, mas a medida é uma tentativa de a Toyota comprovar que não está compactuando com as atividades paramilitares em todo o mundo. Ao criar tais restrições, ela elimina o risco de ser acusada de fornecer veículos a terroristas porque “o dinheiro fala mais alto”. Resta saber se os proprietários não se tornarão alvo de assaltos e sequestros para “fornecer” o carro aos terroristas.

Além do Land Cruiser, o Toyota GR Yaris também tem algumas restrições de compra, mas nesse caso não se trata de terroristas interessados em track days. Aqui o negócio é semelhante ao dos Porsche: como é um modelo de produção limitada, a Toyota quer impedir que o GR Yaris seja comprado com a intenção de revenda com ágio. Por isso, ele será vendido apenas a pessoas físicas que já têm um modelo Toyota e estão cadastradas em um programa de fidelidade da marca. E ele também terá restrição de revenda de 12 meses após a compra. (Leo Contesini)

 

Bentley Bentayga agora oferece rodas de fibra de carbono de 22 polegadas

Lembra quando as rodas de fibra de carbono eram itens altamente especializados, puramente voltados à performance na pista, e só apareciam em carros ultra-dedicados como o Shelby GT350R? Pois agora elas já estão aparecendo em carros menos radicais, com estilo mais elaborado e em tamanhos maiores.

Case in point: o Bentley Bentayga, que agora pode ter rodas de fibra de carbono de 22 polegadas. Sim, ele é potente e rápido – na verdade, um dos SUVs mais potentes e rápidos do mundo, com um W12 biturbo de seis litros e 635 cv na versão Speed e capacidade para ir de zero a 100 km/h em menos de quatro segundos.

As rodas foram desenvolvidas pela divisão Mulliner da Bentley, responsável por projetos especiais e ainda mais exclusivos, em parceria com a Bucci Composites, que se autodescreve como “especializada em componentes avançados de fibra de carbono”.

De acordo com a Bentley, cada roda pesa cerca de 5,8 kg a menos que as peças de liga usadas normalmente – o que, na prática, significa uma redução de mais de 23 kg. Além disso, a fabricante diz que os benefícios também são percebidos na hora de fazer curvas porque, como as rodas de fibra de carbono são mais resistentes a deformações, a área de contato da banda de rodagem do pneu com o asfalto é mais consistente.

As rodas de fibra de carbono levaram cinco anos para ser desenvolvidas. A Bentley não especificou se elas se tornarão opcionais ou se são apenas para exibição. (Dalmo Hernandes)

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora