A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Hyundai lança HB20 Sport, os carros mais vendidos em janeiro de 2020, o tempo do Corvette C8 em Nür e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos em janeiro de 2020

Com o primeiro mês de vendas de 2020 encerrado o Chevrolet Onix segue inabalável na liderança do mercado: o hatchback da Chevrolet fechou o mês com 17.463 unidades vendidas — aparentemente a conta inclui a versão Joy, agora batizada apenas como Chevrolet Joy. Como se não bastasse permanecer na liderança, a Chevrolet ainda emplacou o Onix Plus na segunda posição, com 8.722 unidades vendidas — o que lhe mantém no posto de sedã mais vendido do país.

Na terceira posição vem o Ford Ka, com 7.334 unidades, agora brigando com o Renault Kwid, e não mais com seu rival direto, o Hyundai HB20. O pequeno Renault, que se tornou o carro mais barato do Brasil em janeiro, vendeu 6.739 unidades e ficou com a quarta posição, à frente do Hyundai HB20, que se recuperou do vexame de dezembro, quando terminou na sétima posição e subiu para quinto em janeiro com 6.555 unidades.

Em seguida vem a dupla campeã da Volkswagen: Gol e Polo, respectivamente, na sexta e sétima posições, separados por 437 unidades — o Gol com 6.030 e o Polo com 5.593.

O top 10 é completado por uma trinca da Fiat: Strada, Toro e Argo. A picape compacta, que se tornou o modelo mais antigo em produção no Brasil após o fim da perua Weekend, continua sendo a escolhida de quem procura uma picape compacta confiável — uma das vantagens de um projeto de 22 anos — e vendeu 5.419 unidades, apenas 119 a mais que sua irmã maior, a Fiat Toro. O Argo ficou mais atrás, com 4.794 unidades.

Ainda vale destacar os líderes de outros segmentos: o Jeep Renegade e o Jeep Compass seguem na liderança dos SUV, terminando o mês em 11º e 13º, respectivamente, com uma diferença de apenas 13 unidades entre si.

Entre os sedãs médios o Corolla continua a opção preferida, terminando em 14º no ranking geral, com 3.932 unidades. Curiosamente, o vice-líder da categoria não foi o Honda Civic, mas o Chevrolet Cruze, que emplacou 1.739 unidades e superou o Honda Civic, que ficou nas 1.589 unidades. (Leo Contesini)

 

Hyundai HB20 Sport é revelado por R$ 71.000

O Hyundai HB20, apesar de manter plataforma e mecânica competentes, não agradou muito ao público (incluindo os entusiastas), principalmente por seu visual considerado, no mínimo, polêmico. Mas a fabricante já está preparando uma nova investida: o HB20 Sport, com decoração mais chamativa e apelo esportivo, posicionada logo abaixo das versões de topo. O carro começará a chegar às concessionárias na segunda quinzena de fevereiro.

Custando R$ 70.990, o HB20 Sport tem motor 1.0 turbo três-cilindros de 120 cv e 17,5 kgfm de torque acoplado ao mesmo câmbio automático de seis marchas disponível nas outras versões.

Ele também tem um friso vermelho nos para-choques, rodas de de quatro raios com desenho exclusivo, detalhes de acabamento em preto brilhante – grade, capas dos retrovisores e saias laterais – e um spoiler na tampa do porta-malas.

O lado de dentro também vem com alguns detalhes diferenciados, com o acabamento que imita fibra de carbono no painel e os bancos de couro com costuras e canaletas vermelhas. E o nível de acabamentos é satisfatório, incluindo central multimídia com tela de oito polegadas e integração com smartphones; volante multifuncional com ajuste de altura e profundidade; cruise control; ar-condicionado digital e computador de bordo. Agora, um Sport com motor 1.6 (ou mesmo um leve remapeamento no motor 1.0 turbo) e câmbio manual não fariam mal… (Dalmo Hernandes)

 

Hyundai, Suzuki e Mitsubishi também não participarão do Salão do Automóvel em 2020

A outra notícia da Hyundai que temos hoje é bem mais desanimadora: a fabricante confirmou nesta semana que não participará do Salão do Automóvel de São Paulo em 2020.

A justificativa segue o padrão que viemos acompanhando até agora: a Hyundai diz que prefere concentrar seus esforços e investimentos em eventos próprios, “com formato diferenciado e maior foco no ser humano, proporcionando um engajamento mais exclusivo com seus clientes e públicos interessados.”

Além da Hyundai, a Mitsubishi e a Suzuki, também dispensaram o Salão deste ano, levando o total de desistências confirmadas a 14 marcas. Com o anúncio, a Hyundai, Suzuki e Mitsubishi juntam-se a BMW, Chevrolet, Citroën, JAC, Jaguar, Land Rover, Lexus, Mini, Peugeot, Toyota e Volvo na lista de ausentes. É… a gente está começando a ficar preocupado. (Dalmo Hernandes)

 

Ferrari quebra a barreira de 10.000 unidades anuais

A Ferrari quebrou pela primeira vez a barreira das 10.000 unidades vendidas em um único ano. Não que faltasse competência: até pouco tempo atrás era opção da Ferrari não oferecer mais de 7.000 unidades por ano, porém depois que a Ferrari foi separada do grupo FCA, o finado Sergio Marchionne declarou que iria aumentar a produção da marca por uma questão de valorização das ações da marca.

Com um número maior de modelos e um reposicionamento em suas linhas de produtos, a Ferrari ultrapassou a marca das 10.000 unidades pela primeira vez em 2019. Foram 10.131 exemplares vendidos de todos os modelos somados, que garantiram uma receita de 3,766 bilhões de euros — 10,1% maior que no ano anterior. E isso que ela nem começou a produzir seu SUV… (Leo Contesini)

 

Tempo de volta oficial do Corvette C8 em Nürburgring aparece em trailer de documentário

Nessa terça foi anunciado um documentário sobre o desenvolvimento do Corvette, com um bem apropriado título “Revolution – The Mid Engine Corvette Revolution Story”. O documentário em si já é uma notícia interessante, mas escondido no trailer tem uma revelação importante: o tempo de volta do esportivo americano em Nurburgring.

Pare o trailer do filme aos 53 segundos e olhe no asfalto do Inferno Verde, está pintado lá 7:29,9. Um porta-voz da Chevrolet confirmou o tempo de volta e complementou dizendo que o tempo é de um Corvette usando o pacote de performance Z51. Também foi confirmado que o carro foi pilotado por Oliver Gavin, piloto da equipe Corvette Racing e cinco vezes campeão das 24 horas de Le Mans.

Esse tempo de volta coloca o Corvette C8 na frente do novo Porsche 911 Carrera S, do Audi R8 V10 Plus e da Ferrari 458 Italia. O Corvette está praticamente empatado com o Chevrolet Camaro ZL1 (mas perde para a essa versão do Camaro com o pacote 1LE) e atrás de carros como o McLaren MP4-12C, o Corvette ZR1 C6, o Lamborghini Aventador LP 700-4 e o Nissan GT-R.

O tempo de volta parece alto perto de alguns carros similares ou mais antigos, mas é importante frisar que o pacote Z51 do Corvette adiciona spoiler e splitter fixos e funcionais e uma relação mais curta de diferencial. Os itens aerodinâmicos ajudam nas curvas, mas geram arrasto em alta velocidade, já o diferencial ajuda nas acelerações mas também sacrifica a velocidade máxima. Isso pode ter prejudicado o Corvette nas seções de alta e em retas. Apesar disso o tempo de volta deixa espaço para voltas ainda mais rápidas das futuras versões mais potentes do Corvette.

O documentário vai ao ar no site oficial do Corvette, sem data definida para o lançamento. O vídeo da volta também não tem data para ir ao ar. (Eduardo Rodrigues)

 

Chevrolet Montana é convocada para reparo no módulo do airbag

A veterana picape compacta Chevrolet Montana está sendo convocada para um recall para a substituição do airbag do motorista. Foram convocados veículos modelo 2019 e 2020, mas unidades fabricadas entre 2014 e 2019 também serão chamadas caso tiver a peça substituída pelo componente mais atual que é vendido como peça de reposição.

O fabricante diz que em caso de acionamento das bolsas pode ocorrer a soltura do módulo do airbag do volante, o que compromete o funcionamento. Isso pode gerar lesões graves ou ferimentos ao motorista. Os carros afetados pelo recall possuem numeração de chassi de KB218431 a LB180010, com fabricação entre 15 de abril de 2019 a 13 de dezembro de 2019.

Para proprietários que trocaram o módulo de veículos mais antigos, a peça afetada pelo recall possui numero de identificação 52160002 e foi fabricada entre 19 de setembro de 2019 e 8 de novembro de 2019.

A Chevrolet recomenda que os proprietários agendem o recall na rede de concessionárias, o serviço está programado para começar a ser realizado no dia 12 de fevereiro. O temp estimado do reparo é de 30 minutos. (Eduardo Rodrigues)

Matérias relacionadas

Os pocket rockets mais legais que se pode comprar em 2018 (e que não temos por aqui…)

Dalmo Hernandes

Wörthersee Treffen 2017: confira tudo o que rolou no maior encontro de Volkswagen do planeta

Leonardo Contesini

Polo GTS lançado por R$ 99.470, o terceiro SUV Alfa Romeo, o provável Corvette Z06 e mais!