A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História

Il Commendatore: a trajetória de Enzo Ferrari, dos Grand Prix aos carros mais rápidos do mundo – Parte 5

Como vimos no último post da nossa série especial sobre Enzo Ferrari, no fim dos anos 60 o Commendatore decidiu vender metade da companhia à Fiat. Tanto a Scuderia quanto a fábrica de automóveis passavam por dificuldades financeiras causadas, principalmente, por muito investimento (em desenvolvimento de carros e contratação de pilotos tanto na Fórmula 1 quanto no WRC) e pouco retorno. A injeção de dinheiro da Fiat era exatamente o que a Ferrari precisava para traçar um objetivo e conseguir cumpri-lo: colocar-se no topo da Fórmula 1 de uma vez por todas. A primeira providência foi desenvolver um novo carro durante a temporada de 1969, em que a Ferrari em essência competiu para "cumprir tabela", visto que as chances de vencer o campeonato eram pequenas — de fato, os pilotos Chris Amon e Pedro Rodríguez não conseguiram uma vitória sequer, e o melhor resultado da Ferrari naquele ano foi um terceiro lugar de Amon no GP da Holanda. Aquele ano perdido, porém, não foi em vão — enqua

Matérias relacionadas

Fiat 147 – sim, ele mesmo – está envolvido em um recall no Brasil

Dalmo Hernandes

Camaro Yenko: o carro que ensinou a Chevrolet que um motor maior é sempre melhor

Dalmo Hernandes

GTA: a história e evolução de Grand Theft Auto – Parte 1

Dalmo Hernandes