FlatOut!
Image default
Car Culture

Mercedes-Benz 280C W114: este ícone alemão está à venda

Em 1968 o mercado europeu recebeu um de seus modelos mais importantes e icônicos: o Mercedes-Benz W114. Precursor do Classe E, ele foi pioneiro em uma série de elementos que os carros da Mercedes carregariam por décadas a fio. Além disso, também oferecia aquela agradável experiência de condução típica dos carros alemães antigos: precisão dinâmica, suspensão calibrada na medida exata e ergonomia exemplar. Tudo coroado por construção e acabamento cuja qualidade era referência para a indústria.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, participação no nosso grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!). Exponha ou anuncie até sete carros no GT40 e ainda ganhe descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$ 26,90 / mês

ou

Ganhe R$ 53,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura básico. Acesse todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de poder expor ou anunciar até três carros no GT402.

R$ 14,90 / mês

ou

Ganhe R$ 29,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Só por isso o Mercedes-Benz W114 já é um nome de respeito para qualquer coleção, e também um bom candidato a quem procura um carro antigo para curtir aos fins de semana. Mas ele tem outro atrativo – comparado a modelos da mesma época que são procurados pelos entusiastas, como a trinca americana Mustang-Camaro-Challenger, os Mercedes daquela época são bem mais acessíveis. Claro, é uma experiência totalmente diferente, mas pode ser uma alternativa interessante.

O Mercedes-Benz W114 veio substituir o W110 “Fintail” como modelo de entrada da marca – quando a ideia de um sedã executivo compacto, como o Classe C, só não era mais absurda que a existência de um Mercedes-Benz hatchback com tração dianteira. Ele era oferecido com motores de quatro e seis cilindros, sempre com comando no cabeçote (duplo nas versões de seis cilindros). O deslocamento era indicado pelo nome do modelo – 200, 220, 230 e 240 para os quatro-cilindros; e 230, 250 e 280 para os seis-em-linha. Havia, ainda, versões a diesel com motor de cinco cilindros – o primeiro do tipo feito pela Mercedes, considerado um motores mais robustos do mundo.

O design da carroceria foi assinado por Paul Bracq, considerado um dos mais geniais projetistas automotivos de todos os tempos. Em seus anos com a Mercedes-Benz, entre 1957 e 1967, Bracq explorou a sobriedade no estio de seus carros, porém com uma identidade visual marcante e instantaneamente reconhecível. Bracq também desenhou o opulento Mercedes 600, o W108 (que era equivalente ao Classe S moderno) e os roadsters da classe SL (W113), e o W114 foi seu último projeto para a fabricante alemã.

Em termos de chassi, o W114 era o primeiro Mercedes feito depois da Segunda Guerra Mundial a adotar um novo sistema de suspensão, com braço semi-arrastados atrás e subchassi com ball-joints na frente – arranjo que foi amplamente usado pela fabricante até o fim dos anos 1980.

O exemplar anunciado no GT40 é um Mercedes-Benz 280C, equipado com um seis-cilindros de 2,8 litros. Chamado M130, este motor era o maior e mais potente da família: tinha 160 cv a 5.500 rpm e 23 kgfm de torque a 4.000 rpm. O câmbio podia ser manual de quatro marchas ou automático, também de quatro marchas – caso deste carro.

De acordo com anunciante, este exemplar está em excelentes condições, com alto nível de originalidade – passou apenas por uma repintura, mas jamais foi restaurado. O interior é completamente original: carpete, tapetes, couro dos bancos e revestimentos das portas são os itens que vieram de fábrica, em um belo tom de caramelo que combina muito bem com o verde da caroceria. O verde, aliás, também aparece na parte central das calotas. Aliás, as rodas e calotas são as originais do carro, bem como faróis, lanternas, emblemas, para-choques e vidros.

O anunciante diz que a mecânica foi revisada recentemente e está perfeitamente em ordem – o único detalhe é o ar-condicionado, que é o original do carro, porém precisa de uma revisão para voltar a refrescar como novo.

Este exemplar não está completamente impecável – tem algumas marcas de uso, especialmente no interior. Dadas suas condições, pode ser uma excelente base para uma restauração caprichada. Contudo, talvez seja interessante até mesmo deixá-lo como está e usá-lo quando possível, até quando possível.

Se ficou interessado, você pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do vendedor.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!