A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Motores lendários: o V12 Aston-Martin

Ninguém gosta de descobrir despesas inúteis; de assinaturas de revistas que não lemos mais a cobranças de cartão de crédito que não autorizamos, passando por multas diversas, nada nos deixa mais nervosos que gastar dinheiro, por menor que seja a quantia, em algo que consideramos inútil. Então não devemos nos espantar que as empresas ajam da mesma forma: o nome legal "pessoa jurídica" existe não há toa: são organismos imaginários de onde se espera colocar algum dinheiro, e tirar algum dinheiro em maior quantidade, todo mês. Sendo assim, o controle desses gastos é sempre intenso, principalmente em épocas de vacas magras, em qualquer campo de negócio. Mas como a indústria do automóvel consome capital com uma voracidade incrível, para devolvê-lo depois a conta gotas, e já passou por milhares de fases difíceis, aprendeu com o tempo a controlar cada vez mais seus gastos. Com isso, é uma ciência dominada hoje: nada é gasto numa empresa deste tipo sem ter sido aprovado em alguma esfera.

Matérias relacionadas

Como três funcionários da Porsche encontram peças falsificadas no mundo todo

Dalmo Hernandes

10 modernizações equivocadas

Marco Antônio Oliveira

Engana-trouxa: este cara colocou um motor rotativo Wankel neste Fiat 600

Dalmo Hernandes