A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História

Não, o motor do Opala quatro-cilindros não é o Iron Duke americano

Como um dos automóveis mais emblemáticos e queridos do Brasil, é natural que o Chevrolet Opala tenha uma boa dose de mitos em seu entorno. E uma das maiores fontes de confusão em relação ao Opala diz respeito ao motor de quatro cilindros e 2,5 litros, disponível desde o lançamento em 1968. O Opala é um carro de origem dupla. Estrutura e carroceria eram derivados do Opel Rekord, modelo alemão que tinha porte mais adequado ao mercado brasileiro. Já a mecânica vinha dos Estados Unidos – ainda que os europeus tivessem propulsores mais modernos, os motores americanos eram mais simples, robustos e torcudos, bem ao gosto do público brasileiro. O seis-cilindros de 3,8 litros era o chamado Stovebolt, emprestado do Chevrolet Impala, que o utilizava desde 1963. É fato que, ao longo de sua vida, o seis-em-linha do Opala passou por diversas modificações, culminando na adoção de injeção eletrônica multiponto sequencial para equipar o Chevrolet Omega, em 1995. Antes disto, porém, ele chegou a

Matérias relacionadas

Como eu me sinto sendo namorada de um gearhead

Juliano Barata

The Liver Run: 35 minutos, 43 km e um fígado para transplante

Dalmo Hernandes

Blue Wonder: o caminhão com motor de esportivo que transportava os Mercedes-Benz de corrida

Dalmo Hernandes