A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Carros Antigos Projetos Gringos

Napalm Nova: 400 cv e um ronco que parece saído do inferno

Entre os muscle cars da Chevrolet, o Camaro é, sem dúvida, o mais famoso. Contudo, ele definitivamente não é o único que merece ser chamado de clássico — é só lembrar do Chevelle, do Monte Carlo (das antigas) e, claro, do Nova. Este que, dizem, inspirou o visual do nosso Opala, é um dos mais tradicionais representantes do american muscle e, naturalmente, já serviu como base para diversos projetos incríveis (alguém falou do Nova Yenko?). Este aqui é mais um deles: o Napalm Nova, feito pelos caras da Hoonigan.

Trata-se de um pro touring old school feito para o Hot Rod Power Tour, um dos maiores eventos de hot rods dos EUA, promovido pela revista Hot Rod (quantas vezes você já leu “hot rod” em uma mesma frase?). Detalhe: o prazo era apertado, com apenas 69 dias até o início do evento. Talvez os envolvidos no projeto sejam daqueles caras que trabalham melhor sob pressão, porque o resultado ficou animal. E barulhento!

É impossível olhar o Napalm Nova e não lembrar do carro de Stuntman Mike (Kurt Russel), o anti-herói de Death Proof. Dá para imaginar o Napalm Nova como o carro de Stuntman Mike caso ele decidisse parar de matar pessoas e começar a arrepiar em track days — a pintura em preto matte, as inscrições pintadas à mão no scoop e na tampa do porta-malas (KILL ALL TIRES, genial), as rodas pretas e os pneus Hankook com letras brancas… tudo dá esta impressão.

napalm-nova (7) napalm-nova (4)

Fotos: RxSpeed

Acontece que não é impressão: o visual de carro de corrida renegado é justificado pelo motor: um big block 454 (7,4 litros) com sistema de injeção monoponto e cabeçotes retrabalhados que entrega 400 cv. Honestamente, você realmente acha que precisa de muito mais que 400 cv para se divertir ao volante de um muscle car das antigas?

napalm-nova (1)

napalm-nova (9)

Foto: RxSpeed

O motor é acoplado a uma transmissão Tremec T56 retrabalhada pela Bowler e libera seus gases através de um sistema de escape dimensionado da Magnaflow com válvulas cut-out que permitem “desviar” o ronco dos abafadores. Isto explica o vozeirão.

Mas o motor é só um detalhe no projeto. Para se ter uma ideia, o V8 está praticamente igual ao que era quando Brian Scotto, fundador da Hoonigan e proprietário do Nova, comprou o carro em 2011. O que mudou foram os detalhes. Até porque, se pensarmos bem, o Napalm Nova usa uma receita clássica entre os adeptos do american muscle: pintura preta, rodas pretas, cromados reduzidos ao essencial e interior sem frescura. Esteticamente, o Napalm Nova é o que acontece quando alguém pega algo relativamente comum, dá seus toques pessoais e acaba conseguindo algo único.

napalm-nova-antes

O Napalm Nova em 2011, quando ainda não era o Napalm Nova. Foto. Brian Scotto

Mas não pense que as mudanças se resumiram à instalação do sistema de injeção monoponto, às inscrições na carroceria e às rodas: também existem modificações que não se pode ver. A mais importante delas provavelmente é o sistema de suspensão, um kit pronto da Art Morrisson Enterprises. Usando como base a suspensão do Corvette C6, com braços triangulares sobrepostos na frente e eixo rígido com o tradicional four-link e molas helicoidais na traseira, a desenvoltura do Napalm Nova é garantida no asfalto.

napalm-nova (5)

Foto: RxSpeed

Scotto contou ao site RxSpeed que fez questão de escolher rodas relativamente pequenas (especialmente para os padrões atuais dos pro touring), de 15×8 polegadas, da American Racing — ainda que todos insistissem para que ele colocasse rodas de 17 polegadas, dizendo que tornariam o carro melhor de curva.

amortecedor-nova napalm-nova (10)

Foto: RxSpeed

Talvez fosse verdade, mas Scotto também queria ter conforto e o visual mais clássico. Por isso, também fez questão de colocar no carro pneus borrachudos: um jogo de Hankook Ventus de medidas 265/50 na dianteira e 295/50 na traseira. Nada exagerado, mas o efeito visual é dos melhores. Os freios e o cilindro-mestre são da Wilwood.

napalm-nova (3) napalm-nova (6)

Foto: RxSpeed

Visualmente, a maior inspiração foram, de fato, os muscle cars do cinema — e o resultado ficou animal, se querem saber. Pensando bem, não poderia ser diferente: estamos falando do dono de uma das empresas envolvidas na criação do Mustang de 860 cv e tração integral que Ken Block usou em sua última Gymkhana. Só poderia ser um carro de responsa como este.

Matérias relacionadas

Veja como foi o primeiro encontro do grupo Escort Conversível BR na Estrada dos Romeiros

Dalmo Hernandes

Em busca do Lada Niva perdido – Parte 1

Leonardo Contesini

Você sabia que os carros e motoristas têm santos protetores?

Leonardo Contesini