A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Nicole Harashima, a gata que mete a mão na graxa e cuida sozinha de seus hot hatches

Nicole Harashima é uma garota que mora no Reino Unido, é bonita e mantém com as próprias mãos um Citroën Saxo VTS e um Honda Civic Type R. Podia ser a namorada perfeita, não é? Na verdade, Nicole é o tipo de menina que, se bobear, manja mais de carros do que você. É sério: ela entende mesmo do assunto. Duvida?

Não é nenhum milagre uma garota gostar de carros — só é mais raro encontrar esta paixão entre elas, e isso é mais um reflexo cultural do que da natureza do sexo feminino. Mas o discurso ideológico vai ter ficar para outro lugar: o que interessa aqui é o modo como esta inglesinha coloca a mão na graxa.

nicole (1)

Nicole Harashima criou um tópico no fórum Detailing World para falar de sua mais nova aquisição: um Citroën Saxo VTS. O fórum é dedicado à restauração e manutenção de carros — funilaria, pintura, acabamento e mecânica, com foco especial na apresentação e na boa conservação.

O Saxo VTS foi um hot hatch vendido pela Citroën até 1999. O motor era um 1.6 16V de 120 cv — da mesma família do motor de alguns Citroën e Peugeot oferecidos no Brasil, como o C3 e o 207. Com ele, o Saxo ia de 0 a 100 km/h em 7,8 segundos — desempenho bem superior ao de qualquer Peugeot 106 vendido por aqui, com quem compartilha plataforma e boa parte dos painéis da carroceria.

saxo-vti-nicole-harashima (18)

O Saxo VTS de Nicole foi comprado em março de 2012. Era seu quarto 106/Saxo e, segundo ela, era um carro conhecido pelos fóruns do Reino Unido, com preparação leve e boa reputação. Contudo, quando caiu em suas mãos, o carro nem de longe estava impecável como haviam falado para ela.

saxo-vti-nicole-harashima (11)

Mas você acha que ela se desesperou? Nem um pouco. A gente não está brincando quando diz que coloca a mão na graxa. Nicole conta que, antes de ser seu, o carro tinha corpos de borboleta individuais e diferencial de deslizamento limitado, mas as modificações foram revertidas. Mas esta não era a maior decepção. O chicote do carro “estava em pedaços por causa dos corpos de borboleta individuais retirados”, como ela mesma diz. Depois da troca, porém, o carro não funcionava mais. Resultado: ela precisou trocar o módulo de controle do motor, velas, cabos, sensor de posição do virabrequim, injetores e flauta de combustível só para o carro andar de novo.

saxo-vti-nicole-harashima (7)

Aliás, a história até pode servir como dica para quem estiver comprando um carro: por mais que a procedência seja boa e o carro esteja aparentemente bem conservado e saudável, nada como uma inspeção cuidadosa para saber exatamente a que pé anda a mecânica — especialmente em carros modificados.

Mas não parou por aí: poucas semanas depois, o carro não passava dos 5.000 rpm. Com um leitor OBD, foram encontrados alguns erros. Eliminados estes erros, agora o motor não passava dos 1.400 rpm. Resultado: mais uma ECU nova, mais um chicote, e finalmente o carro pode ser levado para casa de vez.

saxo-vti-nicole-harashima (10)

Com tudo em ordem, Nicole começou a trabalhar sozinha no carro. De início ela retirou as tampas de válvulas e as repintou — não exatamente um exemplo impressionante de do-it-yourself. Mas dali em diante o nível dos serviços só foi subindo.

saxo-vti-nicole-harashima (12)

Ao longo dos meses, Nicole trocou a iluminação do painel e os discos de freio, que estavam empenados. O cabeçote estava vazando óleo, então ela resolveu trocar por um novo. “Era uma boa desculpa para tirar o cabeçote e desmontá-lo, algo que eu sempre quis fazer”, ela diz. Não te dá uma mistura de orgulho (por ela) e vergonha (por você)?

saxo-vti-nicole-harashima (26)saxo-vti-nicole-harashima (43) saxo-vti-nicole-harashima (1)

Ela limpou o cabeçote e as válvulas, comprou molas novas e repintou tudo. Sozinha. E não foi só isso: ela também repintou o coletor, trocou a junta do cabeçote e os retentores das válvulas. No processo, o motor foi desmontado e as peças foram todas para o chão da cozinha. Quantas garotas que você conhece fariam isso?

O próximo passo foi trocar as pinças dos freios— mais uma vez, fazendo todo o trabalho sozinha.

saxo-vti-nicole-harashima (67)

O tópico do Saxo VTS tem oito páginas, três delas com fotos detalhadas e a descrição de tudo o que ela fez. As outras cinco são de elogios à garota — realmente, os caras não parecem muito acostumados a ver uma garota cuidando do próprio carro.

Mas você acha que a história acaba aqui? Não mesmo. No início do post, dissemos que ela também tem um Honda Civic Type R — um dos hot hatches japoneses mais adorados de todos os tempos, com motor B16B 1.6, com 16 válvulas, comando variável VTEC e 185 cv. O carro foi comprado há poucas semanas, e se tornou seu daily driver — o que significa que o Saxo vai ficar parado nos próximos meses.

vti (1)

O CTR está bem conservado, mas precisa de alguns reparos estéticos — Nicole diz que alguém tentou arrombar a porta do lado do passageiro, danificando a pintura e amassando as soleiras. Não vamos surpreender se Nicole fizer todo o trabalho ela mesma.

E se você pensa que Nicole é menos feminina por gostar e mexer com carros, saiba que ela é uma garota como qualquer outra: em seus perfis no Facebook e no Instagram, os carros dividem espaços com looks de moda, roupas, sapatos e maquiagem. Realmente, o que temos aqui é um caso de graxa com perfume.

Vendo a história de Nicole, é impossível não lembrar da Thais Roland e de seu Maverick. A quantas será que anda o projeto de restauração do possante?

Você pode acompanhar o tópico do Saxo e do Civic Type R no fórum Detailing World. Só não vá se apaixonar!

[ Fotos: Nicole Harashima ]

Matérias relacionadas

Como este cemitério de carros foi parar em uma mina abandonada no Reino Unido?

Dalmo Hernandes

Nós precisamos desta equipe Porsche Martini Racing feita de Lego

Dalmo Hernandes

Drift King: a história de Keiichi Tsuchiya e seu Toyota AE86

Dalmo Hernandes