A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Novo Honda City Hatchback é revelado, McLaren V6 híbrido se chamará Artura, o novo recorde do Porsche Taycan e mais

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Novo Honda City hatchback é revelado

A Honda revelou hoje (24), em uma apresentação na Tailândia, a nova geração do City Hatchback – variante que pela primeira vez será global, e não exclusiva para os mercados asiáticos.

Seu visual já era conhecido graças às imagens de registro mas, mesmo que não fosse, não estaríamos surpresos: a dianteira é exatamente igual à do sedã, bem como toda porção à frente das colunas B. Daí para trás, o City Hatchback tem teto com caimento suave e balanço mais curto.

A linha inferior da área envidraçada segue plana até o final do carro. Na face traseira, as lanternas traseiras são triangulares com elementos internos em LED, e a placa fica na tampa do porta-malas – um arranjo muito parecido com o que se vê, por exemplo, no BMW Série 1 atual, no Mercedes-Benz Classe A e em outros hatchbacks que se pode comprar hoje em dia. Um pouco mais de personalidade não faria mal.

O interior é idêntico ao do City sedã, com aquela arquitetura mais horizontal e minimalista que tornou-se popular hoje em dia, e com alguma inspiração no Fit – que, afinal, lhe cede a plataforma. Falando em Fit, o City Hatchback tem os mesmos bancos rebatíveis em várias configurações, porém com outro nome: Ultra Seat em vez de Magic Seat.

O City hatch tailandês será vendido apenas com motor 1.0 turbo de três cilindros, com 122 cv e 17,6 kgfm de torque, ligado sempre a uma caixa CVT. Quando chegar ao Brasil – onde será o novo modelo de entrada da Honda – ele também deve oferecer uma versão atualizada do motor 1.5 já encontrado no City atual, com 131 cv.

Por aqui, o City Hatchback está previsto para algum momento de 2021, junto com a nova geração do sedã.

 

McLaren com motor V6 híbrido se chamará Artura

A McLaren revelou o nome de seu novo supercarro com motor V6 e tecnologia híbrida: Artura. O comunicado veio ontem (23), acompanhado de novos detalhes a respeito do carro.

De acordo com a fabricante, o Artura usará uma nova plataforma chamada McLaren Carbon Lightweight Architecture (MCLA), que tem foco no baixo peso – e ajuda a compensar a massa extra do sistema híbrido High-Performance Hybrid (HPH). Os números do powertrain em si ainda não foram divulgados, mas a McLaren diz que a parte a combustão do conjunto será um V6 biturbo de dimensões reduzidas e projetado do zero para receber eletrificação. A empresa também afirma que o Artura terá desempenho no nível dos supercarros com motor V8 da McLaren, porém com ainda mais torque em altas rotações. O supercarro também poderá rodar por distâncias curtas em modo totalmente elétrico.

Embora a McLaren não tenha explicado a origem do nome Artura, já estamos satisfeitos em ver um nome de verdade e não uma combinação de letras e números.

 

Novo Honda HR-V será lançado em 2021

O site japonês Best Car revelou fotos e informações sobre a nova geração do Honda HR-V, que continuará o processo de renovação global da marca. De acordo com a publicação, o crossover será revelado no primeiro trimestre de 2021, inicialmente no Japão.

O novo Honda HR-V utilizará a plataforma do novo Fit, como já era esperado. Com isto, ficará mais leve e mais rígido – além de beneficiar-se da construção modular para ganhar entre-eixos 5 cm mais longo. O design também ficará mais robusto, com linha de cintura mais alta e teto “quase-cupê”.

Com as mudanças, o novo HR-V poderá migrar para um segmento superior – e talvez até abrir espaço para outro crossover, mais barato e tradicional, abaixo dele. Faz sentido, pois corre a informação de que a Honda pretende substituir o Civic pelo HR-V em mercados emergentes (como o Brasil). Então, um HR-V maior e com pegada mais esportiva seria o ideal neste cenário.

Espera-se que o Honda HR-V seja revelado globalmente no segundo semestre de 2021. Como ele é o Honda mais vendido do Brasil, sua renovação também não deve demorar muito mais por aqui – ele deve chegar em 2022, com produção em Itirapina (SP).

 

Toyota Corolla Cross deve chegar em março com conjunto híbrido

Falando em crossovers futuros, outro deles está para chegar – e logo. De acordo com os colegas do Autoesporte, concessionários confirmam que o Toyota Corolla Cross começará a ser vendido no Brasil em março, e não em abril como se esperava. E que, além do motor 2.0 de 177 cv que já está praticamente confirmado, ele será vendido também em versão híbrida.

A versão híbrida do Corolla Cross usará o mesmo motor 1.8 flex de 101 cv já empregado pelo sedã. A potência combinada, porém, ainda não foi revelada – no Corolla três-volumes, são 122 cv.

Por enquanto ainda não se fala em preços – mas não duvidamos que eles também “vazem” antes da hora.

 

Porsche Taycan quebra recorde de drift para carros elétricos

Em mais um capítulo de “recordes que as fabricantes inventam para chamar a atenção para seus carros”, a Porsche acaba de anunciar que o Taycan é o novo recordista de drift para carros elétricos. O sedã-cupê-esportivo-elétrico percorreu 42 km em 55 minutos, andando de lado o tempo todo – o suficiente para ter um recorde certificado pela Guinness World Records. Trata-se de um recorde inédito, o que significa que, na prática, a Porsche poderia ter feito um drift de 500 metros e ficado com ele. Mas eles não fariam isso, claro.

O Porsche Taycan usado no recorde era um exemplar de tração traseira, disponível apenas na China. A fabricante não especificou qual a versão do carro – o Taycan chinês pode ser comprado com um motor elétrico de 407 cv ou 475 cv, enquanto a bateria pode ser de 79,2 kWh ou 93,4 kWh.

A tentativa de recorde foi feita sobre piso molhado para aumentar a durabilidade dos pneus. Contudo, segundo o piloto Dennis Retera, também aumentou o desafio – além de permitir velocidades mais baixas que o piso seco, o asfalto molhado também torna mais difícil manter o carro na mesma trajetória, pois o nível de aderência é muito inconsistente.

Segundo a Porsche, o Taycan andou até a bateria acabar – o que mostra que o consumo de energia por um carro elétrico andando de lado é bem maior que em condições normais. Bem… agora sabemos disto. Valeu, Porsche!

Matérias relacionadas

A história do Fusca que atravessou o mundo três vezes — e continua rodando

Dalmo Hernandes

Esta bonita Ferrari 308 GTBi 1980 está à venda no Brasil

Dalmo Hernandes

Genesis G70: a arma da Hyundai em sua declaração de guerra aos sedãs alemães

Dalmo Hernandes