FlatOut!
Image default
Car Culture Games

O clássico “Driver” do PS1 acaba de ganhar um remake moderno


Lembro-me perfeitamente de não ter um PlayStation 2 em meados dos anos 2000 – para experimentar GTA: Vice CityTekken 4, tinha de recorrer aos famosos estabelecimentos que cobravam “um real a hora”, onde três ou quatro TVs ficavam lado a lado e os moleques formavam fila para jogar videogame. Em casa, tinha meu bom e velho PSOne, que eu adorava mas sabia que já era obsoleto.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: 30% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, participação no nosso grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!). Exponha ou anuncie até sete carros no GT40 e ainda ganhe descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$ 26,90 / mês

ou

Ganhe R$ 53,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura básico. 15% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesse todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de poder expor ou anunciar até três carros no GT402.

R$ 14,90 / mês

ou

Ganhe R$ 29,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Naquela época, uma coisa era certa: quem não tinha GTA, caçava com Driver: You are the Wheelman, o clássico – que, na época do PlayStation, foi pioneiro em permitir que você explorasse de carro uma cidade aberta com gráficos tridimensionais. Driver 2, lançado no ano seguinte, introduziu a possibilidade de sair do carro e andar a pé, algo que GTA III, de 2001, aperfeiçoou no PlayStation 2.

Hoje, porém, vamos nos focar no primeiro Driver. Isto porque um projeto feito por fãs promete trazer a mesma experiência de Driver com gráficos modernos, mecânicas de jogo atualizadas e novos modos – considere-o como um sucessor espiritual do game do PlayStation. Um remake fiel, que mantém a essência e traz uma roupagem bem mais palatável a quem não viveu aquela época.

No original, você controlava o Agente John Tanner, policial que se infiltrava em uma quadrilha misteriosa, a fim de descobrir suas reais intenções – e acaba descobrindo que eles querem assassinar o presidente dos Estados Unidos. Para tal, ele acaba explorando quatro cidades: Miami, São Francisco, Los Angeles e Nova York – cada uma com um mapa relativamente grande, ainda que trazendo apenas uma semelhança superficial com sua versão de verdade. O game trazia uma variedade de missões quase sempre envolvendo perseguições e interceptações. Algumas delas eram bem difíceis – a começar pela primeira, onde você precisa provar a seu chefe que tem a habilidade necessária para a operação, e precisa realizar uma lista de manobras em um estacionamento. Sem briefing, sem instruções, sem nada, e com um carro de comportamento extremamente traseiro. Muita gente quitou o jogo logo ali, na verdade.

O caso é que, uma vez superada a primeira missão, os jogadores eram recompensados com um game que parecia impensável no primeiro PlayStation – ainda que o tamanho do game acabasse comprometendo um pouco a mecânica e os gráficos, que sofriam um pouco. The Driver Syndicate foi criado para melhorar estes aspectos sem alterar o look and feel do original. E, brincando com o game no último fim de semana, me parece que eles estão indo pelo caminho certo.

O game está sendo desenvolvido por um usuário do fórum Driver Madness que atende por InspirationByte, ou SOAP – e ele aparentemente não tem interesse em divulgar seu nome verdadeiro (coisas que só quem viveu a época de ouro dos fóruns entende). O cara aparentemente entende uma ou duas coisas sobre programação e desenvolvimento de jogos, ao ponto de criar uma engine só para o projeto, a Equilibrium. É uma engine simples e leve, que emula perfeitamente o comportamento dos carros de Driver. A engine é aberta, e SOAP encoraja os usuários a criarem mods e colaborarem com o código do jogo.

Tudo em Driver Syndicate remete ao original – os menus, a trilha sonora e os gráficos. Estes são simples, lembrando um pouco os jogos de PS2/PS3, porém bem mais detalhados e com definição muito maior que no PlayStation. Todos os elementos icônicos de Driver estão presentes, como a barra de dano, o nível de procurado e até mesmo o minimapa. Mas tudo está mais bonito – os modelos dos carros são simples, mas bem feitos, e há efeitos de iluminação mais realistas na carroceria e no cenário. E sim, as calotas do carro ainda voam quando você faz uma curva em alta velocidade.

Os modos de jogo do original estão presentes – Free Roam, que te permite explorar a cidade de Miami (a primeira disponível em Driver), uma das missões, e também o infame teste de direção no estacionamento (que, felizmente, não precisa ser cumprido para que você aproveite o restante do jogo). Além disso, foram introduzidos alguns minigames – derrubar cones, não derrubar cones, perseguir, ser perseguido por um monte de carros de polícia ou passar por checkpoints.

O jogo é extremamente desafiador, honrando a dificuldade do original – e pode ser bem frustrante para quem não tem experiência com o teclado. É recomendável o uso de um joystick e, por sorte, SOAP tomou o cuidado de tornar o Alpha compatível com a maioria dos controles para PC disponíveis no mercado. Meu Ípega foi reconhecido automaticamente sem problemas, e utilizá-lo tornou a experiência bem mais agradável, emulando perfeitamente o esquema de botões do Dualshock.

É realmente notável a forma como Driver Syndicate passa a sensação do original – na forma como ele é bem menos tolerante com erros que qualquer GTA da era 3D. Os policiais não perdoam nem mesmo infrações leves, como invadir a faixa contrária, excesso de velocidade ou furar um sinal vermelho. E eles não hesitam em chamar reforços para ajudar a te pegar – todos eles muito agressivos.

Os muscle cars dos anos 60, 70 e 80 que você pode escolher são todos bem ariscos, mas o Ranchero e a Van tão mais fáceis de guiar e podem garantir que você sobreviva mais tempo sem ser pego ou destruir seu veículo em colisões e capotamentos.

Quem está acostumado com jogos mais novos talvez ache Driver Syndicate simples demais. Entretanto, quem jogou o original e também Driver 2 vai se sentir em casa. Mesmo que ainda seja um alpha (ou seja, um jogo em seus primeiros estágios de desenvolvimento) é possível notar o esmero na execução e o potencial do game pronto. Você pode fazer o download aqui – o arquivo tem 144 mb, não precisa de instalação (dá para executar de um pendrive, por exemplo) e o jogo é leve o bastante para rodar até em PCs mais fracos. Não custa nada, e vale muito a pena. Nem que seja só pela injeção de nostalgia.

ESTA Chevy GMC 500 2.0 16V Turbo
PODE SER SUA!

Clique aqui e veja como