A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O fim da Fiat Weekend (e das peruas brasileiras), a primeira imagem do Porsche 992 GT3, a volta do DeLorean e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Fiat Weekend deixa de ser produzida depois de 23 anos

É o fim de uma era: a Fiat anunciou nesta segunda-feira (27) o fim da produção da perua Weekend depois de 23 anos. Nascida Palio Weekend em 1997, ela passou por quatro grandes reestilizações e dezenas de atualizações mecânicas e era a última perua produzida no Brasil. Com o fim da Weekend, também encerra-se a história de pouco mais de 63 anos das peruas brasileiras; desde setembro de 1956, quando a DKW Universal começou a ser produzida, não houve um único ano sem uma perua produzida no país.

A perua, que atendia mais ao segmento comercial nos últimos anos, será substituída, na prática, por um dos SUV que foram confirmados no mesmo comunicado que anunciou o fim da perua, e que serão produzidos a partir deste ano.

Sim: a Weekend foi a última vítima da SUVização do mercado, um fato evidenciado quando se observa o encolhimento drástico do segmento nos últimos dez anos Em 2009 foram vendidas 91.600 peruas compactas no Brasil — entre VW Spacefox, VW Parati, Fiat Palio Weekend e Peugeot 207 SW —, enquanto em 2019 foram menos de 5.000 exemplares de VW Spacefox e Weekend, as duas últimas peruas do Brasil.

Mesmo entre as importadas o segmento está encolhendo. Somente Volvo, Audi e Subaru trazem peruas regularmente: a Volvo oferece a V60, Audi traz a A4 Avant e sua versão esportiva RS4 Avant (além da nova RS6, que já foi confirmada para o Brasil) e a Subaru ainda insiste na esquecida Outback, que é a mais barata delas, partindo de R$ 209.990. (Leo Contesini)

 

Porsche 911 GT3 dá as caras em comercial

Já está chegando a hora de a Porsche começar a revelar as versões mais nervosas do 911 992 – e o mais recente comercial da fabricante para o Superbowl (marcado para o próximo domingo, dia 2 de fevereiro) acabou se transformando em um teaser. A Porsche não disse nada, mas é claro que foi proposital.

Na cena, que mostra um galpão cheio de carros da Porsche, é possível ver um 911 GT2 RS e um 718 no primeiro plano. Mas, lá atrás, há um Porsche 911 azul que parece um pouco… diferente. Veja abaixo, no minuto 0:55.

https://www.youtube.com/watch?v=FJNmHwBgV4M

Com atenção é possível ver a asa traseira fixa, o spoiler embutido na tampa do motor e as rodas de cubo rápido. Com um pouco mais de imaginação, também se pode perceber as saídas de escape centralizadas no para-choque traseiro e os para-lamas mais largos.

Ainda não há confirmação oficial, mas não descartamos a possibilidade de que o novo GT3 (ou mesmo o novo Turbo) sejam revelados “de surpresa” no Salão de Genebra. O timing seria apropriado. Também não se sabe com certeza, mas espera-se que o GT3 mantenha seu caráter e continue usando boxer naturalmente aspirado de quatro litros. Como a Porsche geralmente sabe o que faz, estamos otimistas. (Dalmo Hernandes)

 

DeLorean DMC12 pode voltar à produção em 2021

Faz dez anos que trabalho como jornalista automobilístico e faz dez anos que ouço a história da volta do DeLorean DMC12, por isso, adianto: não se empolgue com esta notícia. A DeLorean Motor Company, que comprou os direitos e o estoque remanescente da DeLorean original, poderá finalmente colocar o DMC12 de volta à produção em 2021.

Isso, porque a nova lei americana para fabricantes de automóveis em baixo volume pode ser regulamentada neste ano, o que permitirá à DeLorean colocar seu plano em prática. Segundo a nova lei, os carros de baixo volume de produção serão isentos dos testes de segurança e emissões exigidos para as grandes fabricantes, contudo, ainda há uma discussão sobre os equipamentos obrigatórios para eles. Ao que tudo indica, eles precisarão ter airbags, controles de tração e estabilidade, ABS e câmeras de ré, além de um motor utilizado em um modelo de produção em série (ou seja: um motor homologado nos testes de emissões) mas serão dispensados dos crash tests.

Isso significa que os novos DeLorean poderão ser modelos restomod de fábrica. Ainda não há definição sobre o motor, mas os planos passados falavam em um V8 350 da Chevrolet — o mesmo usado no Corvette —, além de um powertrain elétrico. Só espero que desta vez o negócio saia do papel, porque já faz dez anos… (Leo Contesini)

 

Honda XRE 190 também ganha série Special Edition

Dias depois de mostrar a Twister Special Edition, a Honda anuncia o mesmo tratamento à trail XRE 190. É exatamente a mesma coisa: uma versão presumivelmente limitada com pintura e adesivos diferenciados.

A pintura é em preto e cinza fosco, acompanhada de itens de acabamento em prata fosco e adesivos em laranja e preto – diferentemente da Twister Special Edition, a XRE 190 não tem as rodas pintadas de laranja. Fora isto, não há qualquer tipo de alteração mecânica: a XER 190 Special Edition segue com o motor monocilíndrico de 184,4 cm³, capaz de entregar 16,4 cv a 8.500 rpm e 1,66 kgfm de torque a 6.000 rpm, moderados por uma caixa de cinco marchas. Para encarar terrenos acidentados, a XRE 190 conta com curso de 180 mm na suspensão dianteira (com garfo telescópico) e 150 mm na traseira (monobraço).

Ao menos a série especial não é muito mais cara: custa R$ 14.890 – um acréscimo de R$ 400 em relação ao modelo normal. (Dalmo Hernandes)

 

General Motors confirma “novo SUV compacto nacional” para o primeiro trimestre

Estamos no aguardo do novo Chevrolet Tracker há algum tempo e, prestes a colocá-lo no mercado, a Chevrolet confirmou para o Brasil a produção de um “novo SUV compacto” em sua fábrica de São Caetano do Sul, no ABC Paulista. A GM do Brasil afirma que se trata de “um modelo inédito de veículo da empresa no País”, e que ele trará “conceitos inovadores em conectividade, segurança e eficiência energética”. Eles também afirmam que o novo veículo será importado para novos Países.

Pela descrição e pela data, tudo nos leva a crer que se trata do novo Tracker, considerando sua aposta em motores turbinados e no uso da nova plataforma modular GEM (de Global Emerging Markets), já usada pelos novos Onix e Onix Plus. Com isto, podemos deduzir sem muito medo de errar que se trata mesmo do Tracker – que deve chegar às lojas antes do fim de março para encarar o Jeep Renegade, o Ford Ecosport e o VW T-Cross.

Uma aposta bem mais improvável é que seja um modelo menor que o Tracker – algo que tem sido falado desde meados de 2019: um modelo para ocupar o segmento logo abaixo dele, com a mira voltada para modelos como o Honda WR-V (em tamanho) e o Renault Duster (em preço), além do futuro VW Nivus. Também poderíamos incluir a nova geração da Chevrolet Spin entre as possibilidades, visto que ela também adotará a plataforma GEM e ficará menos minivan e mais SUV – uma referência é o Chevrolet Orlando chinês (acima). Isto posto, originalmente a nova Spin não chegaria antes de 2021. E, da forma com a Chevrolet brasileira gosta de desfilar com seus modelos futuros antes do lançamento, não estamos muito confiantes de que teremos uma surpresa.

De todo modo, nossa aposta é no Tracker. Só achamos por bem explorar outras possibilidades. (Dalmo Hernandes)

 

Desenhos de patentes revelam planos de Ferrari elétrica

Uma série de desenhos de patente vazados revelam como pode ser um futuro esportivo elétrico da Ferrari. Nos desenhos esquemáticos é possível ver que o carro terá quatro motores elétricos, um para cada roda, e será um grand tourer 2+2. Pelas proporções, de capô longo e traseira curta, esse carro pode ser o sucessor da 812 Superfast.

Mas essa Ferrari elétrica não deve chegar tão cedo, em uma entrevista dada a agência Reuters em dezembro o CEO da Ferrari, Louis Camilleri, diz que o fabricante de Maranello só terá um elétrico depois de 2025. A espera da Ferrari é para desenvolver uma tecnologia que se adeque melhor as exigências de autonomia, velocidade de recarga, peso e velocidade máxima da marca. Carros elétricos atualmente possuem acelerações incríveis, mas pecam com velocidade máxima baixa perto de carros a combustão de desempenho similar.

A Ferrari também anunciou em 2019 que 60% de sua linha será híbrida até 2022, previsão que já recebeu um pontapé inicial com a nova SF90. Essas declarações anteriores da Ferrari podem indicar também que as patentes registradas pela Ferrari sejam do novo Maserati Alfieri. O sucessor do GranTurismo está confirmado para ser lançado em 2020, ele será um grand tourer com carroceria 2+2 e terá uma versão elétrica. A Maserati confirmou a incursão no mercado de carros elétricos para 2020, bem antes dos planos da Ferrari. (Eduardo Rodrigues)

 

Bentley revela Continetal GT que vai participar de corrida no gelo

A Bentley Motorsport anunciou que vai participar do GP Ice Race de 2020, em Zell am See na Austria. O carro que será usado será um Continental GT W12, que recebeu preparação para correr mas ainda mantém muito do modelo de rua. A Bentley quebrou recordes de velocidade no gelo em 2007 e 2011, agora em 2020 ela busca repetir o feito.

O Continental GT que vai correr usa o motor W12 biturbo original, que produz 635 cv e 92 kgfm, a preparação na mecânica se resumiu a um escapamento da Akrapovic e a suspensão a ar programada para maior altura de rodagem e bitolas 15 mm maiores. A suspensão também é original, apesar da reprogramação, com molas de três câmaras e barras estabilizadoras ativas com motores de 48 volts.

No interior os luxuosos bancos de couro foram trocados por bancos de corrida Sparco, com cintos de cinco pontos e banco traseiro deu lugar a um santantonio. Por fora o Continental GT de corrida recebeu alargadores de paralamas de plástico, barras de iluminação de LED atrás da grade e no teto e um rack para levar ski. A pintura é inspirada na usada no Continental GT que participou da subida de montanha de Pikes Peak em 2019, trocando o verde pelo azul.

O carro será pilotado por Chris Munnings, a primeira mulher da equipe de corridas da Bentley, ela elogiou o comportamento do carro no gelo e diz que não parece ter o peso que tem. A Bentley diz que esse Continental GT para o gelo é único, assim como o que correu em Pikes Peak. Mas o fabricante lançou uma edição especial comemorando a subida de montanha, ou seja, nada impede que um Continental GT com pegada de rally venha a ser lançado para comemorar essa corrida no gelo. (Eduardo Rodrigues)

 

Kia Rio com face-lift é flagrado na Europa

O Kia Rio acabou de chegar as concessionárias no Brasil, mas já foi flagrado na Europa rodando com disfarces que escondem um face-lift que chega para a linha 2021. Essa reestilização será leve, mudando apenas a dianteira e traseira, além de atualizar o interior para aproximar mais dos concorrentes. Também é previsto que venha uma versão esportiva do Rio para competir com o Ford Fiesta ST e Renault Clio R.S. na Europa.

O Rio que vem para o Brasil é importado do México e segue as especificações do modelo vendido na América do Norte, o que inclui o motor 1.6 aspirado e diferenças no pacote de equipamentos. Como o flagra foi feito na Europa não podemos cravar que o modelo que vem para o Brasil irá mudar na linha 2021. Mas como a Kia tende a manter seus modelos alinhados globalmente, a atualização não deverá demorar a vir da Europa para o México. (Eduardo Rodrigues)

Matérias relacionadas

Porsche GT3 RS dá as caras pela primeira vez, BMW apresenta M3 Touring camuflada, Jeep Wagoneer chega neste ano e mais!

Leonardo Contesini e Dalmo Hernandes

Novo Camaro aparece camuflado em vídeo, prazo para extintores ABC deve ser prorrogado (de novo), uma Kombi de R$ 700.000 e mais!

Leonardo Contesini

Quando as fabricantes quebram suas tradições, para o bem e para o mal – parte 1

Dalmo Hernandes