A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O fim do Porsche 991, VW terá 34 lançamentos em 2020, motoristas lentos demais causam recorde de acidentes e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

PSA e FCA definem o posicionamento de cada marca no grupo

Com nove marcas da FCA e cinco marcas da PSA, era de se esperar que a fusão dos dois grupos resultasse na extinção de algumas marcas menos lucrativas. Para nossa surpresa, todas as marcas foram mantidas — incluindo a Lancia, que foi reduzida ao compacto Ypsilon.

Na ocasião do anúncio da fusão entre as duas empresas, o futuro CEO do novo grupo, Carlos Tavares, declarou que as marcas continuarão em seus países de origem e continuarão atuando em seus mercados atuais — daí o motivo de o Opel Corsa não ter a menor chance de ser lançado no Brasil.

O posicionamento, na verdade, segue o padrão adotado separadamente por cada metade do grupo até agora: a Maserati será a marca de luxo, DS e Alfa Romeo serão as marcas premium, a Jeep continuará com foco específico nos SUV, Citroën, Peugeot, Opel/Vauxhall, Fiat, Dodge, Chrysler e Lancia farão crossovers, minivans, sedãs, peruas e hatches, enquanto Ram, Fiat Professional, Opel/Vauxhall, Peugeot e Citroën farão os veículos comerciais do grupo. Nada de novo por aqui.

A Fiat deverá continuar concentrada na Europa e América do Sul, enquanto a Dodge e a Chrysler deverão se manter na América do Norte. A Alfa Romeo deverá tentar crescer nos EUA enquanto a DS será voltada à China. A Jeep, por ser a única fabricante de SUV, propriamente ditos, terá atuação global como já faz hoje, assim como as comerciais Ram e Fiat Professional. Vauxhall continuará no Reino Unido como a Opel na Europa.

 

Este 911 Speedster é o último Porsche 991

O Porsche 992 já está por aí há pouco mais de um ano, mas seu antecessor continuava em produção na forma do 911 Speedster, a edição especial de despedida do modelo. Agora, com o último exemplar do Speedster deixando a linha de produção, o 991 está finalmente encerrado e abre o caminho (nas ruas e na fábrica) para o restante da família 992.

Apesar de todas as gerações do 911 marcarem sua época, o 991 tem um potencial maior de ser a mais memorável em um futuro mais distante do que próximo devido a uma série de fatores combinados nesta geração. Ele foi a geração mais vendida do 911 até agora, com 233.540 unidades, mas isso era sua obrigação — afinal, já é esperado que uma nova geração seja mais vendida. Ele ainda teve dois recordistas em Nürburgring — o 911 GT2 RS e o GT3 RS — a disputada versão 911 R (que ainda inspirou a GT3 Touring), uma edição de aniversário e uma versão especial baseada na Turbo S.

Ela também foi a última geração do 911 aspirado, o que deve conferir a ele um status colecionável semelhante ao do 993, o último aircooled. Embora a 992 seja uma geração superior à 991, o fato de usar apenas motores turbo irá reforçar esta aura em torno do 991, o que deverá torná-lo mais valioso em um futuro próximo.

 

Motoristas lentos demais causaram recorde de acidentes fatais no Reino Unido

Vejam só que fato curioso: enquanto no Brasil há uma cultura que responsabiliza a velocidade por si pelas mortes no trânsito (ainda que ela esteja envolvida em entre 11 e 16% dos acidentes fatais), no Reino Unido as autoridades agora estão preocupadas com os motoristas lentos demais.

Segundo dados do Departamento de Transporte do Reino Unido, em 2018 26 pessoas ficaram gravemente feridas e duas morreram em acidentes nos quais a polícia determinou a baixa velocidade como fator principal do acidente. Outras 132 pessoas foram feridas em acidentes menos graves também ocasionados por motoristas muito lentos. Além disso, fazendo um recorte de longo prazo, o Departamento observou que o número de acidentes graves aumentou 75% nos últimos cinco anos.

Diferentemente do Brasil, o Reino Unido não tem um limite mínimo estabelecido por lei em todas as rodovias; o limite mínimo legal existe somente onde for sinalizado. Contudo, os agentes de trânsito podem abordar um motorista que estiver dirigindo muito mais lento que os demais e multá-lo por direção perigosa, visto que o diferencial de velocidade aumenta o risco de acidentes.

Nos EUA há uma cultura similar, espera-se que os motoristas dirijam próximo do limite de velocidade, não acima, nem muito abaixo, novamente devido ao diferencial de velocidade. No Brasil, temos o limite mínimo, que é 50% do limite máximo, contudo, esta infração raramente é fiscalizada, apesar de ser um comportamento extremamente perigoso.

 

Volkswagen pretende lançar 34 novos modelos e versões em 2020

A Volkswagen prepara uma sequência de nada menos que 34 lançamentos em 2020 em todos os seus mercados de atuação, entre novos modelos e novas versões de modelos já em produção. Serão 12 SUVs e oito veículos elétricos, além de derivações de carroceria e versões de acabamento.

Felizmente os lançamentos não serão limitados aos elétricos, híbridos e crossovers. A marca também prepara o Golf GTD, o Golf R, o novo Golf GTI, o Tiguan R e a versão shooting brake do Arteon. Mas isso apenas para EUA e Europa, claro. Por aqui o principal lançamento será o crossover Nivus, que será posicionado abaixo do T-Cross, e ainda deveremos ver um novo SUV posicionado entre o T-Cross e o Tiguan Allspace e um modelo posicionado acima do Tiguan.

Além dos 34 modelos e versões, a Volkswagen também incluiu um discreto teaser em seu cartão de Natal deste ano, que mostra o Papai Noel dirigindo um compacto que, aparentemente, faz parte da família ID e vem sendo chamado de ID Entry, uma vez que será posicionado abaixo do ID.3 e deverá custar 20.000 euros.

banner_autoline marca=”VOLKSWAGEN”]

 

Jeep Renegade ganha nova versão de entrada

Nestes últimos dias de 2019 a Jeep fez uma pequena alteração em sua linha 2020 do Renegade: a versão de entrada, até agora chamada apenas de Renegade 1.8, passa a se chamar Renegade STD e vem com um pacote de equipamentos simplificado, baseado na versão PCD do modelo — que, não por acaso, é responsável por quase metade dos Renegade vendidos no Brasil.

O modelo é extremamente desprovido de atributos, sendo equipado apenas com o mínimo que se espera de um carro de R$ 79.290: ar-condicionado, direção com assistência elétrica, rodas de liga leve de 16 polegadas, cruise control, computador de bordo, DRL de LED, controles de estabilidade e tração, monitoramento de pressão dos pneus e start-stop. Não há airbags adicionais, bancos de couro ou sistema multimídia, que também não podem ser adquiridos como opcionais, visto que o carro é vendido em versão única.

O modelo ao menos foi incluído nos descontos de fim de ano da marca, e pode ser encontrado por R$ 75.500.

banner_autoline marca=”JEEP” modelo=”RENEGADE”]

Matérias relacionadas

Os carros mais vendidos em setembro, recorde do Alfa Romeo Stelvio em Nürburgring é questionado, Chevrolet cria C-10 comemorativa e mais!

Leonardo Contesini

Emerson Fittipaldi correndo de Kia, Audi acusada de fraudar emissões de novo, híbridos e elétricos terão incentivo no Brasil e mais!

Leonardo Contesini

O fim do Ford Focus – parte 1: relembre a trajetória, o sucesso e o declínio do modelo no Brasil

Leonardo Contesini