A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O novo Mustang Bullitt em ação, Volvo começa venda do XC40 no Brasil, Citroën terá novo sedã de luxo e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Volvo XC40 começa a ser vendido no Brasil

New Volvo XC40 - exterior

A Volvo começou a vender nesta semana o seu novo XC40 no Brasil. O modelo é oferecido em quatro versões, que partem de R$ 170.000 e chegam aos R$ 220.000.

O modelo de entrada é o T4, que custa R$ 170.000 e vem equipado com o motor 2.0 turbo da marca sueca, em uma variação de 190 cv a 4.700 rpm e 30,5 kgfm entre 1.300 rpm e 4.000 rpm. O câmbio é de oito marchas e a tração é apenas dianteira. Logo acima vem a versão T5 Momentum, de R$ 190.000, e a T5 R-Design de R$ 210.000. Nestas, o motor é o mesmo 2.0 turbo, porém com 252 cv (também a 4.700 rpm) e 35,5 kgfm entre 1.800 rpm e 4.800 rpm. O câmbio também é o mesmo automático de oito marchas, porém conectado às quatro rodas.

New Volvo XC40 - interior

Por último, há duas versões especiais de lançamento, a T5 R-Design First Edition e a T5 Momentum First Edition. Ambas custam R$ 220.000 e R$ 200.000 respectivamente, e são limitadas a 70 unidades (40 da Momentum e 30 da R-Design). Todos os XC40 são equipados com sistema multimídia com tela de nove polegadas, quadro de instrumentos digital, cruise control adaptativo e sistema de condução semi-autônoma.

Volvo-XC40-S40-7

 

As entregas das versões T5 começam em abril, enquanto a T4 chega somente em julho.

 

O ronco do novo Mustang Bullitt em ação

Na última segunda-feira (15) vimos praticamente tudo sobre o novo Mustang Bullitt, mas até agora ainda não havíamos visto o carro em ação. A Ford divulgou um vídeo com o Bullitt em ação pelas ruas usando apenas o ronco do V8 como trilha sonora.

O modelo, como vimos anteriormente, é baseado na versão GT, porém aqui o 5.0 V8 Coyote produz 40 cv a mais e chega aos 481 cv e aos 58 kgfm de torque, frente aos 55,3 kgfm do GT convencional. O aumento da potência foi conseguido com o coletor de admissão do Shelby GT350 e corpo de borboleta de 87 mm. O câmbio, como no Bullitt original, é manual, porém agora com seis marchas.

 

Citroën irá lançar um novo sedã de luxo

04-citroen-cxperience-concept-paris-1

Órfãos do Citroën XM e C6, aqui vai uma boa notícia: a marca francesa irá lançar um sucessor para os dois sedãs de luxo em um futuro próximo. A notícia foi confirmada pela CEO da Citroën, Linda Jackson, à revista britânica Autocar. A executiva disse que o modelo irá substituir o C5 e o C6, e trará “algo diferente” à categoria. Bem… é o que todos esperam de um sedã de luxo da Citroën, considerando o que eles fizeram nos últimos 60 anos.

O modelo deverá ser fortemente influenciado pelo conceito C-xperience, apresentado durante o Salão de Paris de 2016, e será lançado em 2019 ou 2020. “Não será um novo C6. Será um novo sedã grande, porque ter um desses é fundamental para um grande fabricante; para ser competitivo é preciso ter uma linha com carros pequenos, médios e grandes, incluindo SUVs”.

citroencx-001

Confirmando que o C-xperience é o ponto de partida para o novo sedã, Jackson disse que “como todo carro conceito, ele foi feito para testar a reação do público, e irá evoluir” e que “ele irá inspirar o carro de produção e trará luxuosidade sem nenhum dos elementos tradicionais como cromo, couro ou madeira laqueada”.

citroencx-004

O modelo tem a traseira truncada, a dianteira alongada e o entre-eixos longo (são três metros!) que marcaram a linhagem de sedãs de luxo da Citroën, começando com o DS, passando pelo CX, XM e pelo C6. Além disso, ele também deverá manter outras características tradicionais como a qualidade rodagem e o espaço interno, especialmente no banco de trás. “Ele também pode ser ideal para apresentarmos nosso ideal de redefinir o conforto em termos de interior e rodagem e também de comportamento dinâmico usando nossa suspensão Advanced Comfort”, disse.

 

Mercedes irá trocar todos os seus V6 por seis-em-linha

17c891-41-1516113954

Quando a Mercedes apresentou seu novo seis-em-linha M256, em 2016, dissemos que ele iria gradualmente substituir os V6 da marca. O motivo é a modularidade com os motores de três, quatro e oito cilindros, compartilhando design do bloco e deslocamento por cilindro de 500 cm³ (o que resulta em três-cilindros de 1,5 litro, quatro cilindros de 2 litros, seis-cilindros de 3 litros e oito cilindros de 4 litros).

Depois de adotá-lo no novo Classe S e nos novos AMG 53, a Mercedes agora se prepara para gradualmente substituir seu antigo V6 por estes novos motores ao longo de toda a sua linha. A informação foi confirmada pelo chefe de pesquisa e desenvolvimento da Mercedes, Ola Källenius, durante o Salão de Detroit. Para ele, a mudança é inevitável devido ao aumento da utilização dos motores de quatro cilindros, justamente pela modularidade que mencionamos na ocasião. Os novos seis-em-linha têm distância de centro-a-centro de cilindro de 90 mm, que é a mesma dos motores de quatro e oito cilindros, o que permite o compartilhamento do ferramental de produção.

Ainda levará algum tempo até que a Mercedes volte a usar os seis-em-linha em todos os seus modelos. O atual Classe C, por exemplo, não receberá o motor, e o E43 deixará de ser produzido em favor do E53 nos próximos anos. Para a Mercedes, o retorno aos seis-em-linha também trará de volta a suavidade notória desses motores. A Mercedes deixou de usar os motores seis-em-linha em 1998, quando iniciou a joint-venture com a Chrysler, e mesmo após o fim da parceria, em 2007, continuou usando os motores V6 desenvolvidos na época ou derivações mais modernas deles.

Matérias relacionadas

XR3: como a Ford transformou o Escort em um esportivo

Dalmo Hernandes

Aston Martin na F1, a volta da Hummer, mortes nas marginais chegam ao menor patamar em 20 anos e mais!

Mortes em queda nas Marginais de SP, novos motores da Indy com 900 cv e sem eletricidade, BMW Série 8 terá 530 cv e mais!

Leonardo Contesini