A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

O novo Volkswagen Nivus, Jeep Gladiator no Brasil, RJ concede isenções de R$ 300 milhões para levar GP do Brasil e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Volkswagen Nivus é o nome do crossover derivado do Polo e com estilo coupé

A Volkswagen revelou nessa quarta (4) um teaser e poucas informações de seu novo crossover compacto derivado do polo, ele vai se chamar Nivus e tem lançamento marcado para 2020. A VW chama o conceito do carro de “New Urban Coupe”, ele será o primeiro SUV coupé nacional e o primeiro dos compactos também.

O Nivus vem sendo tratado como SUV do Polo por compartilhar o entre-eixos de 2,56 m do hatchback, o T-Cross usa a medida de 2,65 do sedã Virtus. Por conta do comprimento maior o Nivus deverá ter porta-malas maior que o do Polo.

 

O Nivus será posicionado abaixo do T-Cross na gama da Volkswagen e terá motor 1.0 TSI, existem boatos de uma versão com o 1.6 MSI, mas poderá ser apenas para exportação assim como ocorre no T-Cross.

A produção do Nivus será na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), junto do Polo e do Virtus. O SUV coupé será o primeira da nova leva de lançamentos da Volkswagen, em seguida virá o SUV Tarek para concorrer com o Jeep Compass. (ER)

 

Linha 2020 da Nissan Frontier vem com Sem Parar de fábrica

A Nissan apresentou a linha 2020 da picape Frontier, que recebeu poucas novidades. A principal dessas novidades é o sistema de pagamento automático por adesivo “Sem Parar”, que vem de série em todas as versões da picape e o cliente pode ativar o serviço se tiver interesse. A Frontier é o segundo modelo da Nissan a receber o Sem Parar de fábrica, o primeiro foi o elétrico Leaf.

As outras novidades da picape se resumem a desenho novo das rodas nas versões S, Attack e XE, a versão topo de linha LE agora vem com frisos nas portas, protetor de caçamba e moldura lateral. A mecânica permanece a mesma, com motor 2.3 diesel em versão com um turbo, que produz 160 cv, e biturbo, que produz 190 cv. O preço inicial é de R$ 140.900 na versão S e pode chegar a R$ 197.990 na topo de linha LE. (ER)

 

Nissan apresenta versão de produção do GT-R50 By Italdesign

A Nissan apresentou a versão de produção do GT-R50 By Italdesign Limited Edition, baseado no conceito de mesmo nome apresentado no Goodwood Festival of Speed de 2018. A versão de produção manteve o mesmo design do conceito na carroceria, as únicas diferenças ficam nos retrovisores e no interior, que é o mesmo das outras versões do GT-R de produção.

O GT-R50 não é especial apenas pelo estilo italiano, o motor V6 3.8 biturbo recebeu preparação da Nismo para produzir 721 cv. Nessa preparação vieram turbinas maiores usadas no GT-R que corre na GT3, pistões, bielas e virabrequim reforçados, coletor de admissão modificado, novo sistema de escape, transmissão recalibrada e diferencial reforçado. Para manter a potência mais alta em controle o carro recebeu amortecedores Bilstein variáveis, discos de freio de carbono-cerâmica e rodas de 21 polegadas de fibra de carbono, calçadas com pneus Michelin Pilot Super Sport.

A Nissan disse que a demanda pelo GT-R50 foi alta e recebeu muito pedidos e depósitos pelo carro, esses clientes interessados já estão escolhendo as especificações de seus carros. A produção do GT-R50 será limitada em 50 unidades, que começarão a ser entregues em 2020. A versão de produção fará sua primeira apresentação no Salão de Genebra em Março. O preço desse GT-R especial será de €990.000, ou, aproximadamente R$ 4,6 milhões em conversão direta. (ER)

 

Rio de Janeiro aprova R$ 300 milhões em incentivos fiscais para organizar o GP do Brasil de Fórmula 1

O Governo do Rio de Janeiro, por meio de sua secretaria de esporte, aprovou um projeto para conceder R$ 302 milhões em incentivos fiscais para viabilizar a organização do GP de Fórmula 1 na cidade — no autódromo que ainda será construído. O valor aprovado — que corresponde a R$ 151 milhões por corrida — é superior ao teto de renúncia fiscal de R$ 138 milhões estipulado pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte.

A aprovação faz parte da disputa entre Rio e São Paulo pelo Grande Prêmio do Brasil de F1. O contrato com Interlagos será encerrado em 2021, e a proposta financeira do Rio de Janeiro foi superior à de São Paulo. Contudo, pesa o fato de o GP ser tradicionalmente realizado em São Paulo e, principalmente, o fato de a capital paulista ter um autódromo enquanto a cidade do Rio de Janeiro não tirou do papel o projeto, visto que não há estudo de impacto ambiental no terreno cedido pelo Exército Brasileiro em Deodoro, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Além disso, pesa contra o Rio de Janeiro o fato de a Rio Motopark ter sido criada 11 dias antes da licitação com capital social de R$ 100.000, enquanto a licitação exigia que o capital social da empresa tivesse 1% do valor do empreendimento, estimado em R$ 697 milhões. Há ainda a questão da suspeita de direcionamento da licitação, uma vez que o presidente da Rio Motorpark é sócio da empresa que trabalhou na montagem do edital, a Crown Assessoria. Por estes motivos, o Ministério Público Federal enviou uma notícia-crime ao Ministério Público do Rio de Janeiro, que investiga o processo.

Considerando tudo isso e o fato de já estarmos, na prática, no início de 2020, o Rio de Janeiro tem pouco mais de 20 meses para resolver todas estas questões e construir um autódromo dentro dos padrões exigidos pela FIA e pela Fórmula 1. (LC)

 

Jeep Gladiator será lançada no Brasil em versão única

A Jeep confirmou ontem (4) o lançamento da picape Gladiator no Brasil. A picape derivada do Wrangler está prevista para o segundo semestre de 2020, em versão única, equipada com o motor V6 Pentastar a gasolina. Com 3,6 litros, ele produz 289 cv a 6.400 rpm e 35,9 kgfm de torque a 4.400 rpm. Lá fora, este motor pode ser acoplado tanto a uma caixa manual de seis marchas quanto a uma automática de oito marchas, mas a Jeep não confirma qual deles será oferecido no Brasil.

Considerando a estratégia da Jeep com o Wrangler no Brasil, apostaríamos na chegada da versão Rubicon, que é bastante equipada e tem maior capacidade off-road. De série, ela tem bancos dianteiros do tipo concha, ajustáveis em altura; iluminação ambiente em LED; som com oito alto-falantes; faróis com acendimento automático; controles eletrônicos de estabilidade e tração; partida keyless e rodas de 17 polegadas. Nos EUA, ela traz como opcionais a central multimídia com tela de 8,4 polegadas e cruise control adaptativo.

Com porte de picape média – 5,53 metros de comprimento, 1,87 m de largura, 1,93 m de altura e 3,48 m de entre-eixos – a Jeep Gladiator tem capacidade de carga abaixo da média para o segmento, totalizando 770 kg. Isto não deve ser um problema, porém: no nosso País, ela está mais para um veículo de nicho, voltado ao lazer, com tração 4×4 e reduzida para encarar trilhas. Pela mesma razão, as apostas falam em um preço na casa dos R$ 300.000 a R$ 350.000. (DH)

 

McLaren terá supercarro híbrido plug-in com tração integral em 2020

Em 2012, a McLaren foi uma das responsáveis por iniciar a onda dos superesportivos híbridos com o P1. Agora, quase dez anos depois – e após muita evolução – a fabricante britânica planeja retornar ao segmento com um novo modelo flagship.

Assim como o P1, o carro será um híbrido plug-in. Porém, ele terá uma plataforma totalmente nova, com um motor elétrico na dianteira e um motor a combustão na traseira. Apesar disto, a McLaren garante que o novo supercarro será apenas por volta de 30 kg mais pesado que os modelos atuais.

A fabricante britânica também prepara o lançamento de um novo motor V6 com tecnologia híbrida. Entretanto, segundo a revista Car and Driver, é bem provável que o novo topo de linha ainda utilize um V8 biturbo – até porque a ideia é que ele seja capaz de ir de zero a 96 km/h (0-60 mph) em 2,3 segundos, sendo três décimos mais rápido que o McLaren P1.

A publicação americana ainda diz que Mike Flewit, o CEO da McLaren, pretende dar mais detalhes a respeito da nova arquitetura e do novo motor antes do fim do ano. A revelação do novo modelo, porém, está prevista para o segundo trimestre de 2020, no mínimo. (DH)

 

BMW apresenta seu novo motor boxer – o maior já usado em uma moto

Se entre os carros a BMW é conhecida pelos motores de seis cilindros em linha, quando o assunto são as duas rodas, a marca é mais associada aos motores boxer, com cilindros opostos. E os alemães acabam de mostrar a mais nova adição à linha . O motor, apelidado como “Big Boxer”, desloca 1,8 litro (1.800 cm³) e é mais potente motor com esta configuração já feito pela BMW  – e o maior flat-twin já colocado em uma motocicleta.

Verdade seja dita: o Big Boxer já foi usado em algumas motos conceituais feitas pela BMW, como a recém-revelada R18 (acima) mas esta é a versão de produção.

Além do belíssimo visual retrô, inspirado pelas motos que a BMW fazia na década de 1930, o motor dispõe de 90 cv a 4.750 rpm e 16 kgfm de torque entre 2.000 e 4.000 rpm.

A BMW diz que o curso do motor é de 107 mm, com 100 mm de diâmetro nos cilindros. A marcha lenta fica em 950 rpm, e a BMW promete muita suavidade e força em baixas rotações. (DH)

Matérias relacionadas

Boschert B300: o 300SL Gullwing dos anos 1990 que a Mercedes não fez

Leonardo Contesini

Um motor de Porsche 911 era tudo o que faltava para o Karmann Ghia

Dalmo Hernandes

Como os importados dos anos 1990 me tornaram um entusiasta – mesmo antes de poder dirigir

Leonardo Contesini