A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

O “prédio” voador: Schuler/Overfinch e o nascimento do super SUV 4×4

Quando o automóvel nasceu, ele era um veículo off-road; estradas boas, lisas e sem buracos simplesmente não existiam. Uma olhada nos carros mais populares dos anos 1920 vai lhe mostrar como um vão livre grande ainda era importante: a estrada asfaltada era a exceção, não a norma. Mas a partir do fim da Segunda Guerra Mundial, tudo mudou. Auto-estradas começaram a aparecer mundo afora, e com elas velocidades mais altas, que fizeram os carros ficarem mais baixos, os pneus mais largos, e as carrocerias mais aerodinâmicas. O automóvel se especializava: existiam carros para asfalto, e para o fora de estrada. Estes mundos eram considerados tão diferentes quanto a Escandinávia e o Zimbábue, raramente encontrando-se terreno comum aos dois. Jipes eram ótimos para fazendas, florestas e desertos, mas em uma autobahn alemã davam medo, porque eram tão lentos, altos e balouçantes que se constituíam um real perigo. Mas versatilidade é algo muito atraente; uma perua grande off-road que conseguisse

Matérias relacionadas

A história do Chevrolet Corvette | Parte 6: C7, o último da velha escola

Dalmo Hernandes

Citroën XM: a história do último Citroën “maluco” que existiu

Dalmo Hernandes

Citroën: os carros que melhor definem a mais ousada fabricante francesa – parte 1

Dalmo Hernandes