A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

O que significam os símbolos e adesivos mais comuns da cultura JDM?

Você já deve ter visto este símbolo da imagem aí acima colado em um carro japonês. Ele é um dos vários símbolos que os entusiastas da cultura JDM usam em seus carros como item de personalização e identificação com a cultura japonesa. Mas você sabe o que ele significa?

Ele é conhecido como wakaba, que significa “folha nova”, mas seu nome oficial é Shoshin Untensha Hyoshiki (reduzido como Shoshinsha). Sim, ele tem um nome oficial porque é um adesivo de uso obrigatório por lei. Sim (de novo): no Japão existem leis que te obrigam a usar adesivos. Desde 1997 as leis de trânsito do Japão exigem que os motoristas novatos usem um símbolo de identificação em seus carros — exatamente como o projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados. Esse símbolo, por acaso, é o Shoshinsha/Wakaba. O nome Shoshin Untensha Hyoshiki significa algo como “sinalização de motorista iniciante”.

JDM

Os motoristas idosos, com mais de 75 anos, também são obrigados a usar uma identificação que é menos conhecida pelos entusiastas da cultura JDM: o Korei Untensha Hyoshiki (ou Koreisha), que significa “símbolo de motorista idoso”.

koreisha_mark_by_why_psi-d47rd8a

O formato mais conhecido é o momiji/ochiba/kareha, que tem a forma de uma folha de tons amarelos como as folhas de outono, já no fim de sua vida. Poético, não? Pois os motoristas idosos não gostaram muito da analogia com o fim do ciclo da vida e em 2011 o momiji foi substituído por um novo símbolo em forma de trevo, que representa as quatro estações do ano — uma forma mais sutil de representar os ciclos da vida.

6952158529_24e4ce895a_k

 

Aproveitando o papo do significado destes dois símbolos, vale conhecermos também o significado de outros símbolos populares no universo JDM. Este abaixo, por exemplo, é a Kyokujitsu-ki, a bandeira do sol nascente.

rising-sun-decals-on-Nissan-Z-e1455886657602

Esta bandeira foi usada originalmente pelos senhores feudais do período Edo, e se tornou um símbolo de guerra do Exército Imperial Japonês e da Marinha Imperial Japonesa no final do século 19. Ainda hoje ela é usada como símbolo de tradição e boa-sorte, além de ainda ser mantida como símbolo militar. Nos EUA, na Coreia do Sul e na China a bandeira também representa o imperialismo japonês do início do século 20. Por essa razão, não é uma boa ideia usá-la nestes países.

Outra bandeira transformada em símbolo JDM é a Nisshōki, que é o nome oficial da bandeira do Japão. Nisshōki significa, literalmente, bandeira do Sol.

06dd1d77b6240b6a755382be96b82ba6

Esta bandeira chegou a ser usada como bandeira do exército e da marinha, mas quando a bandeira do Sol nascente se tornou o símbolo oficial destas forças armadas, a bandeira do Sol foi adotada como bandeira nacional do Japão, embora isso só tenha sido oficializado em 1999 (!).

ed2e5d1344f5a292601b8efe50393b1d

Depois das bandeiras e símbolos oficiais temos ainda o Domo-kun, que é um bichinho peludo e marrom, com boca grande que nunca fecha e mostra seus dentes afiados. Ele é o mascote do canal de televisão NHK, e aparece nos intervalos comerciais em vinhetas de 30 segundos.

IMG_0607

Por último, há o “shocker”, que sabe-se lá por que tornou um símbolo da cultura JDM, uma vez que nasceu nas escolas e faculdades dos EUA e não é usado no Japão. Seu significado é um tanto obsceno para ser explicado por aqui, então sugiro que você procure discretamente no Google. Se não estiver no trabalho.

Matérias relacionadas

Os carros japoneses mais bacanas anunciados no GT40

Dalmo Hernandes

Corcel 50 anos: a história contada com materiais inéditos, do GT XP ao Del Rey | FlatOut 56

Juliano Barata

As mais incríveis bikes feitas por fabricantes de carros

Dalmo Hernandes