A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

Os carros mais legais que você pode comprar gastando entre R$ 30 mil e R$ 35 mil – parte 2

Tem até R$ 35 mil no bolso para comprar um carro mas quer fugir do popular 0km (vamos encarar a realidade, não dá para comprar um carro zero com menos que isso)? Não se preocupe! A gente perguntou aos leitores que carros eles comprariam gastando entre R$ 30 mil e R$ 35 mil e já montamos a primeira parte da lista com as sugestões. Agora, chegou a hora da parte 2!

Mas antes, é importante fazer um adendo: a maioria dos carros sugeridos é de perfil entusiasta, justamente fugindo um pouco dos populares que todo mundo conhece e sabe que, na prática, são compras seguras. Sendo assim, é natural que alguns deles, por mais que sejam acessíveis na hora da compra, acabem cobrando seu preço na hora de manter — uns mais, outros menos. Mas a você sabe disso tanto quanto a gente, não é?

 

Volvo C30

30-35-2 (3)

O Volvo C30 é um daqueles carros que conquistam logo pelo visual. Não é para menos: o hatchback de duas portas com tampa traseira de vidro (inspirado pela shooting brake P1800ES) é unanimidade entre os entusiastas. Além disso, é um dos Volvo modernos mais acessíveis do mercado: um exemplar fabricado entre 2007 e 2010 (ano em que o carro foi reestilizado, ganhando uma dianteira mais moderna) já custa menos de R$ 35 mil.

30-35-2 (4)

No entanto, o maior barato do C30 é o fato de, apesar da cara exótica, ele utilizar a mesma plataforma e mecânica do Ford Focus de segunda geração na versão de dois litros e 145 cv (sim, o famoso Duratec), o que significa que a maior dor de cabeça, novamente, serão os itens de acabamento caso algo dê errado. Mas você não vai comprar um carro pensando em batê-lo, vai?

 

Honda CR-X Del Sol

30-35-2 (1)

Por incrível que pareça, está mais fácil encontrar um Honda Del Sol à venda do que um exemplar do desejado Honda Civic VTi. Em comum, ambos têm o mesmo motor — o B16, um quatro-cilindros de 1,6 litro com comando duplo variável V-TEC, 160 cv e a capacidade de girar a quase 9.000 rpm.

30-35-2 (2)

Enquanto a alta demanda pelo Civic VTi acabou praticamente extinguindo os exemplares originais do mercado. Se você não quer um carro modificado por outra pessoa, o CRX Del Sol pode ser a solução. É claro que, sendo um carro mais raro, peças de acabamento podem dar uma canseira e despesas maiores do que no caso do hatchback. Por outro lado, quem quer a exclusividade de um cupê de dois lugares com teto targa deve estar preparado para isto… O preço de um exemplar inteiro fica entre R$ 30 mil e R$ 35 mil, em média, mas vai ser difícil encontrar um que tenha rodado menos de 100 mil km.

 

BMW 325i

30-35-2 (2)

 

O BMW Série 3 se encaixa em diversas faixas de preço com suas diferentes gerações e versões. Nesta aqui, a vaga fica com o 325i E46, com um seis-em-linha de 2,5 litros e 192 cv. Há exemplares com câmbio manual de cinco marchas, mas estes são bem mais difíceis de encontrar.

30-35-2 (3)

As qualidades, você já deve conhecer: é um carro bem acabado, robusto, fartos em equipamentose bons de guiar. Os defeitos? Bem, sendo um carro que hoje em dia custa uma fração do valor de quando era novo, o cuidado na hora de comprar um usado deve ser redobrado. Tente não se apegar muito à quilometragem e dê prioridade aos carros que tiveram a manutenção feita regularmente. No caso dos modificados, a qualidade do serviço é primordial.

 

Volkswagen Golf Turbo

30-35-2 (6)

Quando se pensa em Golf turbinado, logo vem à mente o GTI Mk4 com motor 1.8 turbo com cabeçote de 20 válvulas e 180 cv — o mesmo utilizado no Audi A3 contemporâneo. No entanto, existem outras opções na faixa dos R$ 30 mil a R$ 35 mil. O preço depende mais do estado de conservação que do ano de fabricação ou da versão, visto que todas são relativamente raras.

30-35-2 (5)

O Golf GTI de 180 cv, oferecido em 2002, é o mais famoso deles. No entanto, em agosto de 2004 a Volks trouxe 450 unidades da série especial Sport, com o motor recalibrado para entregar 150 cv. Ele não é um GTI, mas também é bastante interessante.

30-35-2 (10)

Caso esteja difícil encontrar um GTI ou Sport Mk4, o que é compreensível, não se preocupe: você pode encontrar um exemplar do GTI reestilizado, conhecido como “Mk4,5”, vendido entre 2007 e 2009 — apesar de não ter um visual tão harmônico quanto o Mk4 original, ele manteve todas as suas qualidades e ainda ficou mais potente, com 193 cv.

 

Subaru Forester

30-35-2 (4)

O Subaru Forester é um crossover sim, mas é de um tempo em que crossovers eram carros realmente bacanas: ele está mais para uma perua um pouquinho mais alta, com suspensão reforçada e visual com um quê de utilitário esportivo — conjunto que, do ponto de vista entusiasta, agrada de verdade. Ainda mais considerando que o motor é um flat-four muito parecido com o que equipa o emblemático Impreza WRX.

30-35-2 (5)

No nosso orçamento fictício, encaixam-se exemplares da segunda geração, vendida de 2002 a 2008, e da terceira geração, de 2009 a 2013. Os motores são dois: um 2.0 naturalmente aspirado de 150 cv, ou 2.5 turbo de 230 cv. Ambas compartilham características chave, como tração integral (que, além de garantir aptidão para enfrentar terrenos ruins, ajuda na dinâmica em viagens), boa visibilidade graças à grande área envidraçada, e robustez.

A robustez mecânica, no entanto, não deve ser motivo para relaxar demais: sendo um carro importado com uma rede de concessionárias pequena, uma boa ideia é encontrar um profissional especializado em Subaru — coisa que é mais comum nos grandes centros.

 

Land Rover Freelander

30-35-2 (6)

O Freelander é um dos Land Rover mais comuns e acessíveis — talvez você nem imaginasse que é possível comprar um exemplar pelo preço de um carro pequeno. A manutenção, contudo, ainda é digna de um Land Rover, bem como o consumo do motor V6 de 2,5 litros e 177 cv encontrado na primeira geração, que foi vendida entre 2003 e 2007 e é a que se encaixa na nossa faixa de preço atual.

30-35-2 (7)

Por outro lado, quem compra um Freelander sabe exatamente o que está levando para casa: um utilitário com “U” maiúsculo, perfeitamente capaz de enfrentar trilhas leves e até de se aventurar por caminhos mais hardcore. Além disso, a oferta de equipamentos é sempre farta, com itens como ar-condicionado, airbags, direção assistida, trio elétrico e teto solar de série.

 

Dodge Dakota

autowp.ru_dodge_dakota_r_t_club_cab_1

Ainda no pique dos utilitários, que tal uma picape americana com motor V8? É exatamente isto que a Dodge Dakota (que, na verdade, foi produzida no Brasil entre 1998 e 2001) oferece. Na verdade, estamos falando de três motores diferentes: além do V8 de 5,2 litros, 232 cv e 40 mkgf de torque da versão R/T, há o V6 de 3,9 litros e 177 cv, o quatro-cilindros de 2,5 litros e 121 cv, e o 2.5 turbodiesel de 115 cv encontrados na Dakota Sport. A cabine pode ser simples, estendida ou dupla.

30-35-2 (7)

Nenhuma delas têm tração 4×4 — apenas traseira, o que nem todos consideram um defeito. É preciso, contudo, ter noção de que as peças não são muito baratas e nem fáceis de encontrar, e que o consumo dos motores a gasolina é alto. Por outro lado, o que você espera de uma picape grande? Os melhores exemplares encostam nos R$ 35 mil (especialmente a versão R/T), mas não é impossível achar uma boa Dakota por pouco mais de R$ 30 mil.

 

Peugeot 206 CC

30-35-2 (9)

Um dos conversíveis modernos mais acessíveis do mercado, o Peugeot 206 CC pode ser considerado “carro de mulher” por alguns, mas a verdade é que a ideia de ter um carro para viajar a céu aberto com manutenção de hatchback é bem atraente. Importado de 2001 a 2007, o 206 CC (Coupé Cabriolet) pode levar quatro pessoas (na prática, duas crianças pequenas na traseira) e permaneceu idêntico do início ao fim da importação.

30-35-2 (8)

O motor 1.6 16v de 110 cv é o mesmo que equipa outras versões e a manutenção também é equivalente. No entanto, é preciso tomar cuidado extra com a suspensão, que pode sofrer desgaste excessivo devido à calibragem para as vias europeias. O preço de um bom exemplar fica entre R$ 33 mil e R$ 35 mil.

Matérias relacionadas

Os melhores esportivos com menos de 150 cv já feitos – Parte 2

Leonardo Contesini

As rodas aftermarket favoritas dos leitores do FlatOut – parte 1

Dalmo Hernandes

Kombis alternativas: as rivais esquecidas da van da Volkswagen

Dalmo Hernandes