A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os carros mais vendidos em julho, um Shelby GT500 de 800 cv, Audi R8 e TT em risco e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Volkswagen T-Cross é o carro mais vendido em julho – veja a tabela

Você deve lembrar que, no início de julho, dissemos que uma crise vira as coisas de cabeça para baixo a ponto de colocar três crossovers entre os cinco carros mais vendidos no Brasil. Pois bem: as coisas ainda estão viradas de cabeça para baixo, porque no último mês o carro mais vendido no Brasil foi, pela primeira vez, um SUV/crossover e agora há quatro deles no top 10.

Sim, o primeiro carro a desbancar o Chevrolet Onix desde agosto de 2015 é um crossover. A Volkswagen emplacou nada menos que 10.211 unidades do T-Cross, superando o modelo da GM por 495 unidades. É um tanto surpreendente à primeira vista, mas o resultado é um ponto fora da curva e uma liderança artificial. Isso, porque o T-Cross teve suas vendas infladas pela versão Sense, destinada às vendas diretas com descontos para o segmento PCD. A Volkswagen havia suspendido as vendas desta versão, mas a retomou em maio, quando havia mais de 8.000 vendas na lista de espera.

Isso explica o desempenho em junho, quando o T-Cross foi o terceiro modelo mais vendido, com 5.463 unidades, e também em julho. Trata-se, portanto, da demanda reprimida pela interrupção das vendas e da produção do modelo. Como o ranking considera os emplacamentos, é muito provável que Volkswagen Nivus também estreie entre os modelos mais vendidos, visto que está em “pré-venda” desde o início de julho. Quando as entregas começarem, o número de emplacamentos será alto e ele deverá estrear já na segunda metade do top 10.

A vice-liderança do mercado ficou com o Onix, este sim, posicionado no ranking de forma mais natural, com 9.176 unidades. O número ainda é inferior ao anterior à pandemia, mas a Chevrolet considera na contagem o Joy e a atual geração do hatchback. O volume de vendas, contudo, deverá se manter em um patamar mais baixo pois o Joy teve seus preços reajustados, tornando-se menos atraente que os rivais. Isso explica o bom desempenho recente do HB20, que mantém a terceira posição (ou a vice-liderança “natural”, sem distorções) com 7.852 unidades emplacadas.

Na quarta posição vem a picape Strada, que também está somando duas gerações para chegar às 6.564 unidades vendidas — um número expressivo mesmo fora do contexto da quarentena, especialmente para uma picape. Ela é seguida pelo Chevrolet Tracker, o segundo crossover desta lista. Previsivelmente, ele também teve um bom desempenho embalado pela versão PCD, que corresponde a cerca de 25% das vendas do modelo — algo em torno de 1.500 das 6.07 unidades vendidas em julho.

 

O crossover é seguido pelo irmão de três volumes, o Onix Plus, que teve 5.205 unidades vendidas em julho. Como o Onix hatch, ele também soma o antigo Prisma (atual Joy Plus) à nova geração para chegar a este número.

Na sétima posição aparece o terceiro crossover da lista, o antigo SUV mais vendido do país, o Jeep Compass, que teve 4.786 unidades vendidas e superou o Fiat Argo por apenas 30 unidades. O Fiat, por sua vez, superou o Jeep Renegade por apenas 21 unidades — foram 4.756 Argo emplacados, frente a 4.735 Renegade. Encerrando o top 10 de julho está o Volkswagen Gol, com 4.427 unidades emplacadas neste último mês.

 

Zagato mostra IsoRivolta GTZ, tributo ao clássico ítalo-americano

A Zagato, estúdio de design que há décadas faz parcerias com outras fabricantes para criar automóveis estonteantes, acaba de mostrar sua mais recente empreitada: o Zagato IsoRivolta GTZ – que, como o nome diz, é uma releitura do icônico Iso Rivolta da década de 1960.

Na verdade eles não mostraram o carro tod, e sim boa parte dele em algumas projeções. Mas já dá para ter uma boa noção do que esperar: um cupê retrô com proporções clássicas, faróis redondos e belas curvas, sem os excessos aerodinâmicos dos esportivos modernos. Uma das fotos mostra os blueprints do carro de frente, de lado e de traseira, então não é muito difícil montar o quebra-cabeças.

A Zagato já havia brincado com a ideia de reviver o Iso Rivolta em 2017, quando mostrou seu conceito Vision Gran Turismo. Mas aquele carro era bem mais radical, com proporções musculosas, recortes marcados e cockpit transparente. Já o IsoRivolta GTZ é mais mundo real e bem mais parecido com o carro que lhe serviu de inspiração.

O motor é um V8 Chevrolet, exatamente como a Iso fazia na década de 1960. Detalhes mais específicos não foram divulgado – a Zagato só diz que o motor tem 6,8 litros em vez dos 6,2 litros originais. Mas o lançamento com todas as informações está marcado para outubro, então não deve demorar para que saibamos tudo. (Dalmo Hernandes)

 

Shelby anuncia kit para GT500 e GT350 com mais de 800 cv

Os proprietários dos novos Ford Mustang Shelby GT500 e GT350 podem comemorar: a Shelby American anunciou um kit de modificações para os muscle cars, denominado Signature Edition (SE). Segundo a Shelby, o intuito é celebrar os 55 anos da parceria entre Shelby e Ford, iniciada em 1965.

Certamente o kit mais interessante é o do GT500 Signature Edition (ou GT500SE). Com ele, o motor V8 supercharged de 5,2 litros vai de 770 cv para “mais de 800 cv” (o número exato não foi fornecido) com a adoção de uma nova polia para o compressor, além de modificações nos sistemas de admissão e arrefecimento. Além disso, a suspensão é modificada para ficar mais baixa e firme. O kit também inclui um capô de fibra de carbono 13,6 kg mais leve que o original e, opcionalmente, para-lamas alargados.

No GT350SE não são oferecidas modificações no motor. Mas a suspensão também é retrabalhada, o interior ganha alguns detalhes de acabamento como novas costuras no banco e manopla de câmbio exclusiva, e novas rodas com pneus Michelin Pilot Sport 4S são instaladas. A Shelby diz que qualquer GT350 pode receber os itens, mas que apenas os carros fabricados em 2020 receberão um emblema especial de aniversário. Apenas 100 carros de cada ano-modelo poderão ser modificados, de modo a garantir algo mais exclusivo.

As encomendas poderão ser realizadas a partir de 14 de agosto. A Shelby afirma que quem se apressar poderá garantir um dos 15 primeiros exemplares, denominados “First 15”. Com eles, além das modificações, o proprietário receberá uma foto autografada do carro na oficina da Shelby, roupas e acessórios licenciados e, talvez o mais bacana, um convite para uma festa em Las Vegas que inclui estadia e uma visita ao QG da Shelby.

A parte ruim é que, embora disponível para todo o planeta, o kit Signature Edition não inclui o transporte do carro até a Shelby – ou seja, na prática apenas quem mora nos Estados Unidos pode usufruir de tudo. (Dalmo Hernandes)

 

Audi R8 e TT podem renascer como esportivos elétricos

A notícia triste do dia fica por conta da Audi. Já faz algum tempo que o futuro do cupê TT e do supercarro R8 é incerto, mas agora o pessoal da Autocar diz que eles podem morrer… e renascer como carros elétricos.

Segundo uma fonte ligada ao novo presidente da Audi, Markus Duesmann, o plano faz parte de uma estratégia de contenção de gastos chamada “Audi Transformation Plan”, iniciada pelo antecessor de Duesmann no cargo, Bram Schot, que aposentou-se em abril.

O informante diz que Duesmann enxerga o TT e o R8 como peças cruciais neste plano de transformação da Audi, mantendo sua posição como esportivos entusiastas, porém tornando-se mais viáveis ao abandonar a combustão interna. Aumentando o foco em parcerias com a Volkswagen e com a Porsche, com quem divide plataformas, a Audi pretende economizar até €22 bilhões, dos quais €12 bilhões já estariam reservados para a criação de novos modelos elétricos.

Os dois carros, portanto, fariam parte do grande plano da Audi de lançar 30 novos modelos até 2025, sendo 20 deles elétricos e 10 híbridos plug-in usando as plataformas MQB, MLB e PPE (Porsche Premium Electric).

Matérias relacionadas

Maverick GT V8 302 1974: 540 cv e nitro na noite de São Paulo – FLATOUT MIDNIGHT EP.04

Juliano Barata

Os brasileiros que já subiram ao pódio nas 24 Horas de Le Mans

Dalmo Hernandes

Os melhores engine swaps envolvendo o Toyota 86 / Subaru BRZ

Dalmo Hernandes