A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os carros mais vendidos no Brasil em 2019, a primeira edição especial do Porsche 992, menos mortes nas rodovias na virada do ano e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos no Brasil em dezembro de 2019 – e ao longo de todo o ano

Mais um mês encerrado, mais um mês com o Chevrolet Onix na liderança do mercado. Com 21.442 unidades vendidas em dezembro, o hatchback chegou às 241.414 unidades vendidas em 2019 e completou o quinto ano consecutivo na liderança do mercado. Estamos diante de uma nova série como a do Gol? Afinal, apesar dos recalls do Onix Plus, o hatchback continua inabalável, e vendendo duas vezes mais que seus rivais diretos, o Ford Ka e o Hyundai HB20.

Falando neles, o Ford superou o Hyundai mais uma vez, mas não na segunda colocação mensal. O Ford vendeu 8.922 unidades e ficou em terceiro, perdendo a segunda colocação para o Chevrolet Onix Plus — sim: o incêndio não afetou a reputação do carro, que se tornou o vice-líder em dezembro com 9.989 unidades.

Em quarto lugar ficou o pequeno Renault Kwid, que se firma no top 5 com 8.174 unidades em dezembro, à frente do Fiat Argo, que mostrou uma boa recuperação com 8.036 unidades no mês.

Na sexta posição ficou o Volkswagen Gol, que também se recuperou e acabou na frente do Polo, até pouco tempo atrás o modelo mais vendido da marca. Em dezembro foram 7.870 unidades do Gol.

Em sétimo ficou o Hyundai HB20, que parece ter sido afetado pelo facelift desastroso que deu a ele a aparência de um bagre enfezado — ainda que tenha um excelente conjunto mecânico. Foram “apenas” 7.679 unidades em dezembro, número bem abaixo de sua média anterior ao facelift, e suficiente para perder a vice-liderança anual para o Ford Ka, que vinha crescendo após a renovação deste ano.

Na oitava posição temos o novo SUV mais vendido no Brasil, ao menos em dezembro: o T-Cross ganhou a versão PCD e, vejam só que surpresa (não…), passou a figurar no top 10. Depois da décima posição em novembro, ele agora escalou duas posições depois de vender 6.631 unidades em dezembro.

A nona posição ficou com outro SUV que se beneficia do segmento PCD: o Hyundai Creta. Em dezembro foram 6.625 unidades vendidas, menos de 300 exemplares à frente do Volkswagen Polo, que fechou o top 10 com 6.331 unidades.

Com os 12 meses na conta, o ranking anual ficou da seguinte forma: 1º Chevrolet Onix (241.214), 2º Ford Ka (104.331), 3º Hyundai HB20 (101.590), 4º Renault Kwid (85.117), 5º Volkswagen Gol (81.285), 6º Fiat Argo (79.001), 7º Fiat Strada (76.223), 8º Chevrolet Prisma (73.721), 9º Volkswagen Polo (72.057), 10º Jeep Renegade (68.726). 

Com 2,78 milhões de veículos emplacados, 2019 foi o melhor ano do mercado desde 2014, com um crescimento de 8,65%. (Leo Contesini)

 

 

Feriado de ano novo termina com menos mortes nas rodovias federais

Apesar da polêmica sobre a suspensão dos radares nas rodovias federais, o feriado de ano novo terminou com menos acidentes fatais que em 2018. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, entre 28 de dezembro e 1º de janeiro, houve 70 mortes nas rodovias federais, ante 75 registradas no mesmo período de 2018. O número total de acidentes também diminuiu, com 863 registrados em 2019/2020 e 914 em 2018/2019.

Aparentemente a PRF se concentrou mais nas ultrapassagens proibidas/forçadas, visto que esta foi a infração mais flagrada neste ano e que tem o efeito prático de ser flagrada presencialmente, e pode resultar na abordagem do motorista.

Além disso, a fiscalização por radares foi racionalizada: houve um estudo técnico que definiu 500 trechos de 10 km cada, com alto risco de acidentes, e a fiscalização por radares acabou concentrada nestes pontos.   (Leo Contesini)

 

Robert Kubica permanece na F1, agora na Alfa Romeo

O polonês Robert Kubica parece aqueles pequenos Fiat 126 de rali usados em sua terra natal: o mundo está caindo, os obstáculos vão aparecendo mas ele segue em frente, desviando de tudo, imparável. Depois de perder sua vaga na Williams, que precisou vender o segundo carro a Nicolas Latiffi (não confunda com o nome Lafitte), Kubica agora encontrou um lugar na equipe em que viveu o auge de sua carreira: a Sauber — que agora se chama Alfa Romeo. Kubica, infelizmente, será piloto reserva, pronto para atuar quando Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi não estiverem em ação.

Em 2019 ele pouco pôde fazer com a decadente Williams — que usou praticamente o mesmo carro do ano passado. Mesmo assim, Kubica conseguiu um ponto de honra ao terminar em décimo o GP da Alemanha enquanto seu colega George Russell terminou sem pontuar.

Não está claro se ele pretende marcar território para assumir a titularidade quando Kimi se aposentar, o que irá acontecer no final desta temporada — especialmente porque a Ferrari pretende usar a Alfa Romeo como equipe de teste para seus novos talentos e um certo Mick Shumacher está na fila. Por outro lado, não seria exagero pensar na aposentadoria de Vettel — ou na não-renovação de seu contrato pela Ferrari —, situação que abriria caminho para Mick Schumacher formar uma dupla com Charles Leclerc na Ferrari. (Leo Contesini)

 

As motos mais vendidas em 2019

Além dos carros, a chegada de um novo ano traz também as estatísticas do mercado para as motocicletas. E 2019 foi um excelente ano para elas – com 1.077.553 unidades emplacadas, as vendas cresceram 14,6% em relação a 2018.

O ranking das mais vendidas é dominado pelos modelos de baixa cilindrada. E, sem surpreender a ninguém, a Honda CG (agora apenas com motor de 160 cm³) lidera com folga, chegando aos 307.973 exemplares vendidos. A segunda colocada é sua colega de estábulo, a Honda Biz, com 155.920 unidades comercializadas. A terceira colocada é a Honda NXR Bros 160, que emplacou 122.353 exemplares.

Confira o ranking completo das dez motos mais vendidas em 2019 abaixo:

  1. Honda CG 160 – 307.973
  2. Honda Biz  – 155.920
  3. Honda NXR 160 Bros – 122.353
  4. Honda Pop 110i – 102.807
  5. Honda CB 250F Twister – 36,361
  6. Honda PCX 150 – 32.582
  7. Yamaha Fazer 250 – 25.328
  8. Honda XRE 300 – 24.718
  9. Yamaha XTZ Crosser 150 – 24.570
  10. Yamaha YBR 150 Factor – 22.499

(Dalmo Hernandes)

 

Volkswagen Fox deixou de ser produzido temporariamente

A Volkswagen está em uma fase de transição geral em sua linha, e um dos reflexos destas mudanças é a paralisação temporária da produção do Fox. De acordo com os colegas do Motor1, que cita uma fonte junto à marca, o hatchback só voltará a ser fabricado em maio.

A questão é que, de fato, o Fox teve sua produção interrompida no fim de 2019, o que alimentou boatos a respeito de seu fim. Este seria motivado pela legislação brasileira: ficou definido que, a partir de 28 de janeiro de 2020, todo carro novo fabricado no Brasil deverá ser equipado com cintos de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes, além de fixação Isofix para cadeirinhas infantis. Entretanto, a Volkswagen ainda considera que o Fox vende razoavelmente bem e, por isso, decidiu implementar as mudanças ao projeto. A pausa na produção daria o tempo necessário para isto.

O Motor1 ainda diz que, segundo sua fonte, a sobrevida do Fox está garantida até 2021. Após isto, porém, seu futuro é incerto. O mesmo, aliás, ocorre com o VW Up – um projeto que estreou em 2014 com a proposta de substituir o Gol por um carro mais moderno, porém a tecnologia embarcada o tornou caro demais para isto. Outros carros que deverão ter a produção em São José dos Pinhais interrompida são o Gol, o Voyage e a Saveiro de cabine dupla, a fim de receberem os novos equipamentos de segurança. (Dalmo Hernandes)

 

Jeep apresentará família de híbridos “4xe” em breve

Sinal dos tempos: a Jeep vai abraçar a tecnologia híbrida. Na semana que vem, durante a CES 2020, a fabricante vai mostrar três novos modelos híbridos – o Wrangler, o Compass e o Renegade.

Os três Jeep eletrificados vão usar o novo sobrenome “4xe” e, embora sua apresentação vá acontecer nos próximos dias, sua chegada ao mercado deve ficar para 2022.

Vale lembrar que o Compass e o Renegade híbridos já haviam sido apresentados em março de 2019, no Salão de Genebra. O Wrangler, porém, será a grande novidade – e a mais polêmica, considerando a natureza old school do off-roader. Ele contará com um sistema elétrico de 48 volts, um motor gerador elétrico conectado ao virabrequim via correia dentada, e um sistema de recuperação de energia do tipo KERS. (Dalmo Hernandes)

 

Toyota Corolla e Honda Civic ficam mais caros

Lembra de quando um sedã médio custava R$ 80.000? Pois essa época já passou, e faz tempo. Aliás, os dois líderes do segmento no Brasil – o Toyota Corolla e o Honda Civic – acabam de ficar mais caros.

A dor é maior no caso do Corolla, que agora não pode mais ser comprado por menos de R$ 100.000. A versão de entrada, a GLI 2.0 com câmbio CVT, subiu R$ 2.000 e passou de R$ 99.990 para R$ 101.990. A versão XEI 2.0 CVT, intermediária, custava R$ 110.990 e agora sai por R$ 112.990, também aumentando R$ 2.000.

Já o Corolla Altis 2.0 CVT aumentou de R$ 124.990 para R$ 128.990 – um acréscimo de R$ 4.000. O Corolla Altis Premium e o Altis Hybrid 1.8 também subiram R$ 4.000, e também custam R$ 128.990. E o topo de linha, o Altis Premium Hybrid, foi de R$ 130.990 para R$ 135.990. Isto representa um aumento de R$ 5.000, o maior acréscimo da tabela.

Segundo colocado em vendas, o Honda Civic agora tem a vantagem do preço – ao menos nas versões de entrada. Com um acréscimo de R$ 1.300, o Civic LX vai de R$ 97.900 para R$ 99.200. Já o Civic EX aumenta R$ 1.400 e passa de R$ 104.100 para R$ 105.500.

O Civic EXL, que antes custava R$ 112.600, agora é vendido por R$ 114.100, aumentando R$ 1.500. Por fim, o topo de linha Civic Touring passa a custar R$ 136.700 – R$ 1.800 a mais que os R$ 134.900 praticados anteriormente. (Dalmo Hernandes)

 

Primeira edição especial do Porsche 911 de nova geração homenageia Jacky Ickx

A nova geração do Porsche 911 está chegando ao seu segundo ano de produção e recebe sua primeira edição especial. E não é uma comemoração qualquer, a edição “Belgian Legend” homenageia os 75 anos do piloto belga Jacky Ickx.

O piloto tem em seu histórico seis vitórias nas 24 horas de Le Mans, sendo quatro delas pela Porsche. Ickx fez parte da equipe Porsche em Le Mans de 1976 a 1985 e até hoje participa de eventos como o Goodwood Festival of Speed e Monterey Historics representando a Porsche.

A edição especial é baseada no 911 Carrera 4S e limitada a 75 unidades. Todas virão com a exclusiva pintura azul “X”, rodas Carrera Classic com parte interna pintada na cor da carroceria e emblema com a bandeira da Bélgica e assinatura do piloto na coluna B. A cor e os detalhes prateados nas rodas e na moldura das janelas são em alusão ao tradicional capacete de Jacky Ickx.

Por dentro os detalhes prateados se repetem na moldura do painel e no acabamento dos bancos. O acabamento é em couro preto e a assinatura de Ickx está presente no apoio de braço, com o nome da edição nas soleiras. A edição será disponível apenas na Bélgica. (Eduardo Rodrigues)

 

Ford australiana está preparando Ranger Raptor com motor V8 do Mustang

A Ford Ranger Raptor foi lançada em 2018 e estreou um novo motor 2.0 diesel biturbo, que apesar de potente para um motor diesel não dava aquele caráter de picape baja feita para saltar dunas em altas velocidades como a irmã maior F-150 Raptor tem. A Ford da Austrália está trabalhando para resolver isso colocando o V8 5.0 do Mustang na Ranger Raptor, para poder explorar ainda mais a capacidade da picape.

A informação foi levantada pela revista australiana Wheels, segundo a publicação essa versão nova não vem sendo desenvolvida dentro da Ford e sim por um preparador externo. Não é a primeira vez que a divisão australiana dos fabricantes fazem isso, em 2019 a Ford chamou a preparadora Herrod Performance para fazer o Mustang R-Spec e mais recentemente o representante local da Nissan chamou a Premcar para criar a Navara Warrior.

Assim como aconteceu com o Mustang R-Spec, a Ranger Raptor V8 deverá ser vendida na rede de concessionárias da Ford e com garantia de fábrica. Segundo fontes da revista o motor terá a mesma especificação do usado no Mustang GT vendido da Austrália, com 461 cv e 56,7 kgfm. Como comparação a Ranger Raptor diesel produz 213 cv e 51 kgfm.

A transmissão automática de 10 marchas usada na Raptor é a mesma usada no Mustang e deverá ser mantida. Não se fala em mudanças na suspensão, a Ranger Raptor usa amortecedores da Fox Racing nas quatro rodas, na traseira o feixe de molas foi trocado por molas helicoidais, o eixo traseiro recebeu também paralelogramos de Watt para aumentar a estabilidade.

A Ford foi procurada para dar um parecer oficial sobre essa versão especial e o diretor de comunicação, Matt Moran, foi evasivo. Não confirmou nem negou a existência do modelo. (Eduardo Rodrigues)

 

Um Mustang Bullitt original do filme está a venda

Um dos dois Ford Mustang GT 390 que foram usados no filme Bullitt, estrelado por Steve McQueen, será leiloado na próxima sexta, dia 10. O carro em questão foi usado como “hero car” e é o sobrevivente em melhor estado, ele voltou a público em 2018 durante o lançamento da versão Bullit do Mustang atual.

Esse Mustang não foi restaurado e mantém os componentes da época, assim como algumas modificações feitas para o filme. O carro deixou de ser usado durante a década de 80 e ficou guardado até voltar a público, ele pertencia a Robert Kiernan. Com a morte de Robert em 2014 o carro passou a ser de seu filho Sean, que tratou de deixar a mecânica do carro em ordem para poder rodar.

O Mustang do filme está na lista de itens a ser leiloados pela casa de leilões Mecum em um leilão em Kissimmee, na Flórida. O carro não tem preço de reserva, o valor inicial dos lances também não foi divulgado. Segundo a agência de seguros Hagerty, que é especializada em carros clássicos, o valor estimado desse Mustang é de US$ 4 milhões, equivalente a pouco mais de R$ 12 milhões em conversão direta. (Eduardo Rodrigues)

Matérias relacionadas

Mercedes-AMG GT pode ganhar versão com 600 cv, o novo Citroën C3 WRC, Honda chega aos 100 milhões de carros produzidos e mais!

Leonardo Contesini

Jeep Wrangler: todos os detalhes da nova geração do ícone off-roader – que agora é turbinado!

Dalmo Hernandes

Presidente do Uruguai recusa US$ 1 milhão por seu Fusca, Ken Block leva Chris Harris para andar de lado, sucessor do Bugatti Veyron flagrado e mais!

Leonardo Contesini