A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os mais vendidos de agosto, o novo Mercedes-Benz Classe S, Yamaha MT-03 2021 no Brasil e mais

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos em agosto de 2020

Com a retomada das atividades econômicas o mercado de automóveis novos começa a retomar sua normalidade, e as distorções do período conturbado pelo qual passamos entre março e julho começam a ser corrigidas. Com isso, a liderança do mercado em agosto volta ao Chevrolet Onix, que emplacou 10.609 unidades durante o último mês.

Na segunda posição uma novidade: a picape Strada, que somou suas duas gerações disponíveis no mercado e fechou o mês com 8.689 unidades vendidas. Ainda é cedo para dizer se ela permanecerá na posição ou se  o desempenho se deveu a alguma prática promocional devido ao lançamento. É preciso, contudo, considerar que a picape Strada já tinha um bom desempenho de vendas ainda na geração anterior, especialmente na versão de entrada, que segue à venda. Portanto, estamos falando de um modelo bem-vendido que agora junta-se à uma nova geração que tem atributos voltados a um público diferente da anterior. Então é possível que as duas picapes realmente se mantenham entre as cinco mais vendidas nos próximos meses.

Superado pelas duas Fiat Strada, o Hyundai HB20 perde sua vice-liderança recém-reconquistada por apenas 199 unidades. Com 8.490 exemplares vendidos, ele ficou na terceira posição, com uma boa margem sobre o quarto colocado, o Volkswagen Gol.

O T-Cross, líder do mês passado, manteve sua média regular de vendas — 6.455 unidades em agosto — mas com o mercado voltando ao normal, o desempenho foi suficiente apenas para a quinta posição. Aqui, novamente, a versão PCD ajuda a bombar as vendas, como acontece com praticamente todos os crossovers médio-compactos oferecidos no Brasil.

Em seguida, na sexta posição vem o constante Fiat Argo, sempre flutuando nesta segunda metade do top 10, em agosto com 6.040 unidades, neste mês superando até mesmo o queridinho Onix Plus (que também soma duas gerações como Strada e Onix) e o Chevrolet Tracker, que se manteve entre os dez mais vendidos com 5.900 unidades, na oitava posição.

 

O top 10 é fechado com mais dois crossovers: os Jeep Compass e Renegade, respectivamente na nona e décima posições, separados por apenas 11 unidades — o Compass vendeu 5.221 exemplares e o Renegade 5.210.

Dois desfalcados foram a Fiat Toro, que acabou fora do ranking, mas na 11ª posição (terá a Strada roubado vendas das versões de entrada da Toro?), e o Ford Ka, que segue em queda com apenas 4.598 unidades, na 12ª posição. Não é para menos, o modelo já está com a mesma cara desde 2014 e trouxe apenas um facelift sutil e o novo motor 1.5 Dragon com câmbio automático de seis marchas para uma briga em que enfrenta adversários renovados há menos de dois anos. Para piorar sua situação, ele não terá uma nova geração antes de 2022, o que significa que dificilmente ele terá uma recuperação sem descontos agressivos. (Leo Contesini)

 

Novo Mercedes-Benz Classe S finalmente é revelado

A Mercedes-Benz, enfim, apresenta o novo Classe S de uma vez por todas. Pintado de branco, como é a tendência entre as fabricantes de luxo, o carro traz proporções que não se afastam muito da geração anterior – o que é natural, considerando que muitos compradores migrarão da antiga geração para a nova.

Por outro lado, também há muitas diferenças estéticas. Os faróis agora adotam um contorno mais agressivo, acompanhados por uma grade maior, que lembra bastante a peça usada pelo atual Classe E, porém maior. É bem provável que as versões AMG e Mayback ganhem suas próprias grades. As lanternas também mudam bastante – agora, como os outros sedãs da Mercedes, elas têm formato horizontal, algo que não se via desde o Classe S W140 da década de 1990.

Fora isto há outros detalhes – como as maçanetas externas elétricas, que ficam rentes à carroceria o tempo todo e só se mostram quando o dono se aproxima do carro (opcional que é novidade no Classe S). O vinco lateral agora é mais curvado e fica mais próximo da base das janelas, proporcionando uma lateral mais limpa e elegante, mas não “vazia” (ouviu, BMW?). A combinação de proporções familiares com elementos estéticos inéditos deve garantir que o Classe S encare de igual para igual o BMW Série 7 e o Audi A8, seus eternos rivais.

É por dentro, porém, que o Classe S muda de verdade. O habitáculo tem arquitetura totalmente nova, adotando formas mais esbeltas que tornam o ambiente mais arejado. A maior parte dos elementos é horizontal e minimalista, enfatizando a tecnologia embarcada e os materiais nobres. Chama bastante nossa atenção a iluminação ambiente com 250 LEDs, que corre por todo o painel e continua nos revestimentos das portas – bem como as telas para o quadro de instrumentos e para a central multimídia (esta, com enormes 12,8 polegadas). Estas são apenas duas, mas pode-se optar por até cinco telas, com duas ou três para os ocupantes do banco traseiro.

O carro conta com uma série de itens tecnológicos – e pode ser equipado, por exemplo, com dois tipos diferentes de head-up display; quadro de instrumentos 3D que funciona por rastreamento em tempo real dos movimentos das pupilas e sistema de som Burmester com 22 alto-falantes que usa vibrações nos bancos para efeitos sonoros “4D”. O climatizador, de acordo com a Mercedes, é capaz de esquentar ou esfriar o interior quase instantaneamente – embora, infelizmente, os comandos fiquem na tela sensível ao toque do console central, e não em comandos físicos. Já o sistema de sistema de aromatização do interior agora traz duas novas fragrâncias – Bamboo Mood e Cotton Mood.

Opcionalmente, a suspensão pode contar com um sistema que escaneia o piso à frente 1.000 vezes por segundo para ajustar os amortecedores em tempo real e inclinar nas curvas para contrabalançar os movimentos da carroceria sem incomodar os passageiros. Além disso, o carro conta com nível três de automação – o que, na prática, significa que o carro pode se operar sozinho em condições pré-determinadas pela fabricante, abaixo de uma velocidade máxima também definida pelos sistemas do carro. No caso, o modo autônomo do Classe S pode ser acionado em tráfego de alta densidade e funciona a até 60 km/h.

Os sitemas de esterçamento das rodas traseiras também são dois. Um deles é capaz de girar as rodas traseiras em até 4,5°, melhorando a estabilidade do carro em curvas de alta velocidade; e o outro vai até 10°. A Mercedes-Benz diz que o segundo sistema é mais voltado a quem utiliza o carro na cidade, pois permite melhor agilidade em manobras e reduz o diâmetro de giro de menos de 10 metros – comparável ao do Classe A.

Foram revelados apenas dois motores, por enquanto. O S500 terá um seis-em-linha biturbo de três litros com 435 cv, e o S580 usará um V8 biturbo de quatro litros com 503 cv. Ambos terão câmbio automático de nove marchas e tração nas quatro rodas. Mas o cofre do novo Classe S é espaçoso o bastante para um V12 – como terá a versão Mercedes-Maybach, provavelmente com seis litros e dois turbos. As inevitáveis versões da AMG deverão utilizar uma variante mais potente do motor V8 biturbo de quatro litros.

E a Mercedes-Benz garante que o Classe S, ao menos nesta geração, não terá motores elétricos. Este papel ficará com o sedã EQS, que faz parte da nova família de carros elétricos que, por enquanto, a Mercedes quer manter separada de seus modelos tradicionais.

Por ora, preços ainda não foram anunciados – mas devem sê-lo em breve. (Dalmo Hernandes)

 

Yamaha MT-03 2021 chega ao Brasil por R$ 25.490

A Yamaha anunciou hoje (2) a chegada da nova MT-03 2021 ao Brasil. A naked renovada foi apresentada em outubro de 2019 com visual futurista – especificamente por conta dos novos faróis de LED, que dispensam a lente e deixam a moto com uma cara futurista. Muitos a compararam com um robô – como os personagens da saga Transformers.

A MT-03 também ganhou novas carenagens laterais que a deixaram mais robusta. Mas, embora pareça maior, o tanque continua com 14 litros. A estrutura da moto não sofreu mudanças, e o motor continua sendo o bicilíndrico de 321 cm³. Ele entrega 42,1 cv a 10.750 rpm e 3,02 kgfm a 9.000 rpm, moderados por um câmbio de seis marchas.

Há outras novidades, porém. Agora, a a MT-03 tem painel digital – o mesmo da YZF_R3, com computador de bordo e hodômetros total e parcial. E a suspensão passa a usar garfo invertido na dianteira, com nova geometria para o monoamortecedor traseiro.

No Brasil, a Yamaha MT-03 2021 é oferecida nas cores azul “Racing Blue” metálico, Cinza Fluo e preto “Midnight Black”. O preço sugerido é de R$ 25.490 mais frete. (Dalmo Hernandes)

 

Nissan Z Proto ganha teaser “oficial” da traseira

Enquanto prepara a apresentação do tal Z Proto (aquele que deverá ser o protótipo do novo Z-car), a Nissan quer gerar buzz. E os japoneses acharam uma forma interessante de fazê-lo – usando o Instagram do vice-presidente global de design da marca, o projetista cubano Alfonso Albaisa.

Albaisa publicou o sketch minimalista de um Z-car, mostrando o contorno das janelas, a linha do teto e boa parte da traseira. Ele não chega a assumir que se trata de um rascunho para o novo Z, mas menciona a ocasião em que viu seu primeiro Nissan Z – um 300ZX, 31 anos atrás – e também seu trabalho no design do 350Z.

View this post on Instagram

Projects with huge meaning do not come every day, on top of that, few projects trigger immediate “slide show” memories like Z. In Tokyo 50 years ago Tai san(Nissan Executive Design Director) saw his first Z and “lights on” wanted to be a car designer. Around the same time but a few thousand miles away a Cuban kid(me😇)in Miami saw his first Z and as well simply “what?WOW”! Tai san later was a designer on the ultra-modern, breathtakingly minimalistic 300ZX, the 2nd clay model I saw on my first trip to design studio in Japan 31 years ago (another huge WHAT?WOW moment). I later found myself working on 350Z, a team dream to find a new language for Z discovering mechanical beauty and road hugging performance posture. More to come but please share and let us know your memorieZ. #nissanz #Powerofz #nissan #datsun240z #nissan350z #nissan300zx #nissan370z #nissannext #fairlady240z

A post shared by Alfonso Albaisa (@alfonsoalbaisa) on

O rascunho tem, claramente, a traseira inspirada pelo 300ZX Z32, com as lanternas formadas por barras horizontais sobrepostas. Já o contorno do teto e o formato dos vidros laterais bate com o que já vimos nos teasers em vídeo da Nissan. Os faróis, que seriam a forma mais fácil de identificar o carro, não aparecem no sketck (apostamos que justamente para não entregar o ouro).

Dada a chegada iminente do Z Proto, é irresistível pensar que há uma relação com o rascunho – até porque o designer diz que tem mais novidades vindo por aí. (Dalmo Hernandes)

 

Matérias relacionadas

Hot Wheels: a história das miniaturas de carros mais famosas do mundo

Dalmo Hernandes

Carro de Nelsinho Piquet desclassificado de Le Mans, BMW M4 CS confirmado no Brasil, O Hennessey de 460 km/h e mais!

Leonardo Contesini

Fiat encerra produção de cinco modelos de uma só vez, a primeira imagem do hipercarro Mercedes-AMG, a volta do Ford Bronco e mais!

Leonardo Contesini