A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Os mais vendidos de fevereiro, Toyota Etios vai mesmo sair de linha no Brasil, Mercedes-AMG GT73 é confirmado e mais

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Os carros mais vendidos em fevereiro de 2021

A Fenabrave divulgou o ranking dos emplacamentos de fevereiro de 2021. No mês mais curto do ano houve algumas mudanças de posição importantes – especialmente para a Fiat, que viu um belo crescimento nas vendas em relação a janeiro.

Na ponta, porém, continua o Chevrolet Onix, que emplacou 10.261 unidades – uma leve queda em relação a janeiro, quando foram vendidos 10.567 unidades do compacto. É bem possível que a situação mude no mês que vem, porém: a linha de produção da Chevrolet em Gravataí (RS), de onde saem o Onix e o Onix Plus, ficará paralisada por três semanas por causa da falta de componentes decorrente da pandemia.

Fiat Strada e Hyundai HB20 seguem completando o top 3, com desempenho praticamente idêntico ao mês passado: a picape da Fiat vendeu 9.371 unidades em fevereiro (contra 9.232 em janeiro) e o hatchback da Hyundai emplacou 7.717 carros (no mês passado foram 7.936). Da mesma forma, o Onix Plus manteve a quarta posição com 6.501 unidades – pouco mais de 600 a menos que em janeiro, quando foram vendidos 7.139 exemplares do sedã.

Quem se deu bem foi o Fiat Argo, que em janeiro ficou com a lanterna do top 10 ao vender pouco mais de 5.000 exemplares – em fevereiro ele foi o quinto colocado, com 6.221 carros emplacados. O Mobi vem logo atrás, em sexto, com 6.015 unidades vendidas. E ele sequer estava entre os dez primeiros em janeiro.

O Volkswagen Gol caiu uma posição: com 5.847 unidades vendidas, agora é o sétimo mais vendido. O Jeep Renegade, que surpreendeu em janeiro ao ser o quinto mais vendido, ficou com o oitavo lugar em fevereiro ao emplacar 5.834 exemplares.

Completam o top 10 Fiat Toro, com 5.626 unidades emplacadas, e Volkswagen T-Cross, que fechou fevereiro com 5.524 exemplares vendidos.

 

Toyota confirma fim do Etios em abril

Depois de fazer-se de desentendida frente aos rumores, a Toyota confirmou nesta semana que o Etios deixará de ser vendido no Brasil.

As vendas continuarão até abril, e o hatchback continuará em produção – porém em volume reduzido, apenas para exportação. O foco da linha de produção em Sorocaba (SP) será o novo Corolla Cross, embora a Toyota diga apenas que se trata de “um novo modelo”.

Encerram-se, assim, oito anos de história do Etios no Brasil. O modelo foi desenvolvido na Índia e causou reações mistas pelo design e por alguns elementos típicos dos automóveis asiáticos, como o quadro de instrumentos no meio do painel. Com algumas modificações, porém, o Etios conseguiu seu espaço e chegou a ser o Toyota mais vendido do Brasil em 2017, com mais de 70.000 exemplares emplacados levando em conta as carrocerias hatch e sedã.

Quando o Etios sair de linha, caberá ao Yaris assumir o papel de modelo de entrada da Toyota no Brasil. A Toyota garante, porém, que manterá todo o suporte aos proprietários, incluindo revisões programadas, na rede de concessionárias.

 

Mercedes-AMG GT73 é confirmado e ganha teaser oficial

A Mercedes-AMG confirmou que lançará em breve o novo GT 73, modelo posicionado acima do AMG GT 63 e equipado com tecnologia híbrida plug-in. Foram divulgadas algumas fotos do veículo levemente camuflado, como já virou praxe na indústria, além de algumas informações a respeito do powertrain.

Visualmente, o AMG GT 73 se parece muito com o GT 63, diferenciando-se apenas pelo desenho dos dutos de admissão e dos elementos aerodinâmicos dos para-choques – além de trazer o emblema “V8 biturbo E Performance” no lugar do emblema “V8 Biturbo 4Matic”, indicando o possível uso de turbocompressores elétricos.

O motor continuará sendo o V8 biturbo de quatro litros, como no GT 63. Mas haverá também um motor elétrico ligado a um conjunto de baterias – tudo feito para ser o mais leve possível. Não se fala em números ainda, mas há quem aposte em algo acima dos 800 cv. O motivo é simples: o conceito apresentado em 2017, que tinha um conjunto híbrido semelhante, dispunha de 815 cv e, segundo a Mercedes, era capaz de ir de zero a 100 km/h em apenas três segundos. Seria um salto e tanto sobre os 640 cv do GT 63 S, que usa o motor V8 biturbo de quatro litros sem qualquer tipo de eletrificação.

O lançamento do AMG GT 73 está previsto para o fim de 2021.

 

Volvo C40 Recharge é o novo SUV-cupê elétrico sueco

A Volvo apresentou ontem (2) o C40 Recharge, seu novo modelo totalmente elétrico. Trata-se de um SUV-cupê claramente baseado no XC40, porém com o teto fastback característico deste tipo de carro. Não haverá variantes a combustão, e as vendas serão feitas exclusivamente online.

A dianteira do C40 Recharge é praticamente igual à do XC40 Recharge, com faróis de desenho ligeiramente distinto e a grade ainda mais integrada à carroceria ao redor. Atrás, as lanternas também têm um formato muito parecido, porém agora têm extensões na tampa do porta-malas. Da mesma forma, o interior ecoa as linhas do XC40.

E conjunto elétrico também é o mesmo do SUV: dois motores elétricos que, juntos, entregam 408 cv e 67,3 kgfm de torque para as quatro rodas. As baterias de 78 kWh proporcionam autonomia estimada em até 420 km. Uma carga completa leva oito horas em um carregador de 11 kW.

O Volvo C40 Recharge começará a ser fabricado ainda neste ano em Ghent, na Bélgica, onde já é produzido o XC40. Ele será o primeiro de seis novos carros elétricos com lançamento previsto até 2025.

 

Alpine revela seu carro para a temporada 2021 da Fórmula 1

Depois de disputar a Fórmula 1 desde 2016 como Renault, a equipe Alpine estreia o novo nome com um novo carro – o A521. Como manda o regulamento, o Alpine A521 usa o mesmo chassi do Renault R.S.20, porém com aerodinâmica atualizada para reduzir a velocidade nas curvas.

As cores azul, vermelho e branco têm o intuito de homenagear as bandeiras da França e do Reino Unido – em referência ao fato de o chassi da equipe francesa ter sido desenvolvido na sede inglesa da Alpine, onde também foi revelado o carro.

Mas o Alpine A521 sequer é a maior novidade da ex-Renault F1 para 2021. Esta fica por conta do segundo retorno de Fernando Alonso à equipe que o revelou como um dos grandes nomes da categoria – foi com a escuderia francesa que ele conquistou seus dois títulos, em 2005 e 2006. Depois de uma passagem turbulenta pela McLaren em 2007, Alonso voltou a correr pela Renault em 2008 e 2009. Agora, seu contrato vai ao menos até o fim de 2022. O colega de Alonso na Alpine será Esteban Ocon, que encerrou 2020 cono 12º colocado pela Renault.

Matérias relacionadas

Por que o Fiat Uno merece todo o seu respeito

Dalmo Hernandes

LM002, ou “Lambo do Rambo”: quando a Lamborghini decidiu fazer um SUV pela primeira vez

Dalmo Hernandes

As três lições que aprendi com meu Opala

Marco Antônio Oliveira