A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

Os supersedãs com motor W18 e V24 que a Mercedes tentou fazer

Houve uma época, na segunda metade dos anos 1980, em que os fabricantes extraíam potência de seus carros da forma mais simples de se fazer isso: aumentando o deslocamento dos motores. Foi assim que a BMW quase acabou produzindo um Série 7 com um motor V16 de 6,7 litros no final daquela década, o que teria dado início a uma corrida por potência e motores cada vez maiores que quase resultou em um Mercedes-Benz com 18 cilindros. Mas para entender melhor essa história, precisamos entender o contexto da época. Imagine o mundo no fim dos anos 1980. A Alemanha Ocidental era o país mais rico e estável da União Europeia, porque a outra potência local, o Reino Unido, estava passando por uma década de reformas urgentes para mantê-lo nos eixos. Privatizações, austeridade, Margareth Thatcher e toda aquela confusão que até hoje gera discussões inúteis e intermináveis. Isso também significava que a indústria britânica estava iniciando a decadência que praticamente a matou nos anos 1990. Rolls-R

Matérias relacionadas

AMC Eagle: o primeiro crossover compacto da história

Dalmo Hernandes

Como o 959 tornou-se a obra-prima da Porsche

Leonardo Contesini

Os 60 anos do DS, o carro que redefiniu a Citroën – e os carros franceses

Dalmo Hernandes