FlatOut!
Image default
Técnica

Por que se remove a carroceria dos Land Rover? Como se faz isso?


A imagem acima é forte: um carro moderno, robusto e muito caro (ao menos quando novo), dividido em duas partes, como um Haas de Fórmula 1 depois de umas voltas com Grosjean, Mazepin ou Schumacher. Esse tipo de cena, de carros desmontados em partes, hoje é quase limitada aos boxes da Fórmula 1 ou de Le Mans, ou então em fotografias em tons de cinza do passado — até o início dos anos 1990 ainda se via carros de 25 ou 30 anos separados em peças nas oficinas; eu mesmo lembro quando descobri que a carroceria do Fusca podia ser separada de seu chassi rolante, um dia ao pedir uns pontos de solda na mesa da minha Monark BMX Acrobike. Mas o carro da foto é um Land Rover Discovery. Um carro que atravessa até 90 cm de alagamentos enquanto transmite "Galinha Pintadinha" para as crianças no banco de trás e massageia as costas cansadas da sua esposa. Ele é sólido, tecnológico, robusto, magnânimo. Como ele pode estar nessa situação tão embaraçosa? Esse, claro, é o ponto de vista romantiza