A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #109

Project Cars #109 – um trato na lataria do Honda CRX de Leandro Garcia

Depois da aventura na busca pelo tranqueira perdido e de descobrir o real estado dele, agora é a hora de encarar os problemas e começar a caça por peças fora de linha. Mas antes de começar vamos resolver uma pendência.

A bateria do carro fica originalmente nesta posição da foto abaixo, mas não tenho o suporte original dela e como estava sem grana, comprei uma bateria baratinha de Corsa, que tem o tamanho bem diferente das baterias dos Honda, mas caiu como uma luva para a minha ideia maluca.

post 3 - Image 2

Porque não colocar dentro do para-choque?

Como teria que fazer um suporte e vou precisar também de muito espaço para medir e desenhar suportes para o novo motor, eu tive a ideia de colocar a bateria dentro do para-choque no lado direito (temporariamente até decidir aonde será a posição definitiva). Com isso medi, desenhei um suporte e voilá.

Voltando para as gambiarras antigas… Os para-lamas foram extremamente danificados e alterados, por isso não vi mais salvação para eles e comecei a caça por peças novas.

A meta é ter a frente do carro toda em full carbon fiber, por isso comecei a procurar pela internet um par de para-lamas em fibra de carbono. Até pensei na possibilidade de mandar fazer por aqui, mas para fazer uma peça em CF você precisa da peça original para tirar um molde. Como os para-lamas originais estavam péssimos, não tinha como tirar molde deles.

Foi aí que achei no eBay os para-lamas da Carbon Creations. Paguei US$ 614, com frete incluso para uma caixa postal que uso em Nevada. Não foi muito diferente do valor que eu pagaria em um par de para-lamas originais — eles são mais baratos, mas o frete fica mais caro porque pesam mais, o que equilibra as coisas.

Depois de chegarem em Nevada, mandei direto para cá via DHL. O frete saiu meio salgado — US$ 470 — mas em cinco dias estava na minha casa. Outra coisa que pesou foi o imposto, já que cobram 60% de Imposto de Importação mais 18% de ICMS. No final das contas paguei mais de R$ 3 mil nos para-lamas de fibra de carbono. É claro que foi salgado, e estou até agora sofrendo com esse custo elevado… mas preste atenção nessas fotos — impossível não ficar com um sorriso de orelha a orelha quando vê uma coisa dessas!

O difícil mesmo foi alinhar os danados. Essas peças não vêm furadas e prontas para se montar, você precisa ajustar, medir, posicionar e depois ir fazendo os furos exatos. Após um dia inteiro ajustando, ficaram assim:

Apenas um detalhe: repararam que os faróis de Marea não estão mais ai?  Pois é, tiveram seu fim e não fazem mais parte do tranqueira. Mas não vou falar deles agora, pois ficará para o post com a novela da troca dos faróis.

Agora, uma pausa na dianteira e vamos ver como esta a traseira do carro. Na primeira conferida parecia quase tudo OK, com exceção apenas do triângulo esquerdo e do teto, perto da tampa do porta-malas. Mas ao tirar o para-choque descobri que ele estava preso pela ferrugem e sujeira, pois a alma já não pertencia mais a este mundo.

post 3 - Image 14

 

O lado bom é que a traseira esta perfeita. Nunca sofreu colisões e não tem pontos de ferrugem. Realmente, a única peça ruim era a alma.

post 3 - Image 15

Com isso, lá vamos nós de novo na caça da peça nova — mas lógico que já pensei em outro upgrade: existem várias versões de alma para o CRX, pois ela era diferente entre os modelos. Os modelos DX e Si (americano) têm a alma mais pesada e, consequentemente, mais resistente.

Como a meta do carro é acelerar em arrancadas, não preciso de alma traseira. O problema é que o para-choque é preso por ela e por isso decidi que usaria a alma do CRX HF, pois ela é muito leve e serve apenas para prender o para-choque.

Fiquei meses procurando em sites americanos e umas duas vezes que apareceu a alma à venda, mas não podia comprar na hora e, quando finalmente podia comprar, já tinha sido vendida. Um dia, pesquisando pela internet, achei na Malásia uma alma traseira do CRX EF7 (modelo Si 88-89 japonês). Ela é mais leve ainda que a do HF e só prende o para-choque por cima, diferentemente da HF que prendia em cima e em baixo.

Dessa vez não tive dúvida e paguei US$ 60 na alma e mais US$ 69,78 de frete direto para o Brasil. Até que ela não demorou muito para vir via correio, coisa de um mês, mais ou menos, e é óbvio que ela foi taxada em 60%. Ao menos chegou perfeita e sem maiores dores de cabeça.

post 3 - Image 16

E aqui ela montada no carro e em comparação com a original que sobrou do tranqueira:

post 3 - Image 20

No próximo post vamos colocar o tranqueira no elevador e falar um pouco sobre a suspensão, além de umas dicas que eu descobri de como restaurar e revitalizar as partes de plástico. E, claro…

post 3 - Image 22

Mais peças chegando!

Por Leandro Garcia, Project Cars #109

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Preparando uma Mitsubishi L200 off-road: a história do Project Cars #377

Leonardo Contesini

Trocando a pele: a nova cor e o envelopamento do meu Honda Civic Supercharger, o PC# 187

Leonardo Contesini

Depois da quebra, a reconstrução do motor 1.9 turbo do meu Voyage de track days, o Project Cars #94

Leonardo Contesini