A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #235

Project Cars #235: um novo interior e acertando a suspensão do meu Fiat Uno 1.6R

Estamos aqui de novo para mais uma parte deste projeto insano! Nos posts anteriores contei minha história de vida e sobrevivência, minha jornada com a mecânica de um modo superficial, o que iria mudar e o que iria manter no carro, e as mudanças drásticas que tive que fazer, como um motor novo, comandos, carburador, etc, para atender a cavalaria desejada.

Depois desa fase meu foco foi mudar o interior e, de leve, o exterior do carro. Em um domingo de manhã, tomando café e viajando na vida pensei comigo: o que fazer? Meu banco não era mais original, nem os forros. A única coisa que tinha original eram os puxadores de porta. Pensei seriamente em refazer tudo de couro, um interior todo black e tal, mas… sei lá… não animei com isso.

Pensei em comprar um jogo de bancos Recaro do nosso querido Gol GTS mesmo (sim, me julguem!), pois achei um jogo de banco pretos, lindos, por incríveis  R$ 400. Eu estava com a grana na mão, mas aos 45 minutos do segundo tempo um grande amigo que trabalha só com peças Fiat me veio com a proposta de um interior do Uno Turbo que um conhecido dele estava vendendo.

Negociamos e acertamos um preço. Comprei. Pronto: eu tinha um interior de Uno Turbo quase completo. Quase, porque faltava os puxadores. Porém o vendedor é de Campos dos Goytacazes e eu de Barra Mansa. E mesmo sendo tudo no RJ há uma boa distância — que nenhuma transportadora ou empresa de ônibus estava com boa vontade de cobrir trazendo as peças. Por coincidência um amigo dele viria aqui perto da minha cidade e se disponibilizou a trazer. Em uma bela sexta-feira, o cara para na porta da minha casa e entrega o interior.

foto 2

Depois de alguns dias eu montei os bancos. Sei lá… não me chamem de doido, mas não gostei do resultado. Não fiquei emocionado e logo que desmontei, coloquei tudo à venda e fui atrás de algo mais racer.

foto 3

foto 4

Comprei dois bancos concha de fibra e um par de cintos quatro pontos. Bolei um estofado de leve e revesti tudo com algo como camurça adorei o resultado.

foto 5

Como não achei nenhum trilho ou algo do tipo universal para fixar no Uno eu mesmo bolei um e mandei fazer. O negócio não ficou ruim, acreditem, e fixei na posição ideal do banco — que, pra mim, sempre tem que ser com o piloto sentado tendo os braços esticados e o pulso pegando em cima da volta do volante.

4_jpg__5202e77c67

Pensando tanto no alívio quanto na distribuição de peso deixei sem bancos traseiros. Até por que quem andaria no carro seria somente eu e minha namorada, então não precisávamos ficar com um banco fazendo peso extra. Os forros de porta dianteiros originais voltaram ao lugar, com o puxador clássico. Na parte traseira fiz uma coisa que me veio à cabeça e eu gostei: fechei com um tipo de tela em fibra de tecido. Joguei o estepe para a mala e dei uma ajeitada no som — sim: o carro é para andar forte, mas para curtir um passeio também. Para não ficar nada exagerado coloquei um Bravox de 12 polegadas, um kit de duas vias e pronto. Estava feito meu som ambiente com qualidade.

Parti para um setup definitivo na suspensão. Queria algo baixo mas não arrastando no chão, então eu iria de suspensão a ar mesmo, apesar de muita gente condenando, dizendo que suspensão a ar não combina com pista. Tinha pensado seriamente em comprar bolsas da Airlift, mas acabei desistindo e parti para um amortecedor trabalhado com uma mola especial, que ficariam ideais no meu carro.

foto 7

A minha ideia de altura ideal sempre foi a desse carro abaixo. Acho que consegui alcançar:

foto 8

Para fechar meu ”kit”, decidi deixar o visual externo do carro mais limpo. Assim decidi pintar o centro das rodas Work Equip 03 de branco, para dar mais harmonia. Faltava pouco para ter meu carro do jeito que eu queria. Já estava com o motor ok, os upgrades instalados, interior consertado e suspensão e rodas do jeito certo.

Falta só aquela funilaria básica mesmo para poder ter meu projeto sonhado em mãos. Mas foi aí que o negócio complicou. O funileiro onde levei o carro teve problemas com o local alugado e tudo demorou o triplo do previsto. Essa história vou contar no próximo post do meu PC, onde veremos o carro pronto e montado, com a cara a tapa de admirações e críticas. Espero que gostem. Abraço do 7 vidas!

Por Dhyego Machado, Project Cars #235

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Vivendo o sonho: a história do meu Chevrolet Calibra 1995, o Project Cars #188

Leonardo Contesini

BMW 328i E36 MT: os primeiros upgrades e a estreia nos track days do Project Cars #404

Leonardo Contesini

Project Cars #305: hora de abrir o boxer e começar a preparação do meu Fusca 1961

Leonardo Contesini